Reviews

Aprenda a voar e tire seu brevê no simulador ‘Ultrawings’

Se você já sonhou em pilotar um avião mas jamais levou isso a sério por causa dos riscos, do alto custo e coisas do tipo, ‘Ultrawings’ (Bit Planet Games) pode ser a solução perfeita pra você. Recém-lançado para o PSVR, o game é o primeiro simulador de voo de fato e de direito do headset de realidade virtual do Playstation 4.

[Can not you understand? Use the Google Translate button, on the right side (on PCs) or below the text (on smartphones and tablets)]

O PSVR já possui alguns games focados em pilotagem de aeronaves (como ‘Eve: Valkyrie’, ‘Starblood Arena’ e ‘End Space’), mas estes se concentram mais em combates aéreos do que na simulação de voo em si. Em ‘Ultrawings’, você aprenderá todos os passos que envolvem a pilotagem de aeronaves – bem menos arrojadas e futuristas do que aquelas vistas nestes outros jogos. E ainda assim você sentirá uma grande satisfação ao conseguir pousar no local exato ou de cumprir uma missão dentro do melhor tempo.

O mais interessante é como os desenvolvedores da Bit Planet Games trabalharam os controles do jogo. E este é outro grande diferencial de ‘Ultrawings’. Você utiliza os PS Moves para como se fossem suas mãos, semelhante a outros simuladores do PSVR. Com elas, vai acionar os botões da aeronave e controlar o manche. É tudo muito intuitivo e funciona muito bem. Mas é preciso atenção: se você forçar o manche para além do alcance dele, você pode perder o controle sobre a aeronave. Também é possível usar o Dualshock 4, mas aí vai perder bastante a imersão do jogo. Os controles são bem responsivos e há possibilidade de optar por um estilo arcade (recomendado para iniciantes) ou simulador.

E no que consiste o gameplay? Bom, você começará pilotando um simples ultraleve. Mas, para isso, terá que tirar seu brevê – como é conhecida no Brasil a licença para pilotar aeronaves. A bordo do seu ultraleve, vai cumprindo algumas tarefas até conseguir dinheiro para comprar escritórios em outras ilhas e ter acesso a outras aeronaves. São quatro ilhas ao todo, com dois aeroportos em cada uma e uma quantidade grande de tarefas, que incluem cumprir determinado percurso dentro de um tempo delimitado, passar por entre anéis e alcançar o maior número de pontos, fotografar determinados prédios usando um tablet, pousar perfeitamente dentro de um alvo, estourar balões utilizando um revólver ou a metralhadora do seu avião… E por aí vai.

Cumprindo essas tarefas você acumula dinheiro para o seu porquinho (estou falando literalmente!) e poderá comprar outros três modelos de aeronave: um avião experimental e dois monomotores. Cada um é mais veloz e mais manobrável que o outro, o que vai representar um grau maior de dificuldade para o piloto. E para poder pilotá-los, será preciso tirar uma nova licença.

Isso tudo vai render cerca de 15 a 20 horas de gameplay, o que pode ser bom por um lado, ruim por outro. Em muitos casos, você vai se achar executando uma tarefa e vai achar que já havia passado por ela, porque elas são muito parecidas. Ainda assim, vale ressaltar que não é necessário cumprir todas para prosseguir na história. Há que se ressaltar ainda que o jogo se passa em um mundo aberto. Você pode utilizar o voo livre para sair e explorar as ilhas do jogo – desde que tenha combustível suficiente para isso.

Aliás, não temos exatamente uma história. O jogo é um simulador. Você é um piloto. Você recebe ordens e orientações via rádio. E acabou-se. Não há personagens. Os principais protagonistas são os aviões. Ah, e para os brasileiros, um detalhe importante: o jogo é todo falado em inglês, sem legendas, mas a interface (textos, orientações) vem em português do Brasil.

Os gráficos são estilo cartoon, mas não tanto. Algumas construções, como torres e antenas, puxam mais para o realismo. As águas poderiam receber um acabamento melhor e é neste ponto que observei o único defeito gráfico do jogo. Em determinados locais, você pode ver uma linha separando duas partes do oceano, como se fossem blocos de pixels. É esquisito.

O som peca um pouco em dois quesitos. O primeiro: a música, apesar de combinar bem com o clima do jogo, é repetitiva. Recomendo você separar uma playlist pra ouvir durante a jogatina. Quem sabe um ‘I believe I can fly’ ou ‘Learning to fly’? Além disso, o som das aeronaves é baixo em comparação com a voz da torre de comando. Uma opção de aumentar o som das turbinas resolveria o problema, mas atualmente você só pode baixar/aumentar a música e o volume geral.

“DÁ ENJOO?”

Nunca tive problemas de enjoo de movimento (motion-sickness) no PSVR e o mesmo vale para simuladores de voo que joguei até agora. Com ‘Ultrawings’ não foi muito diferente, mas cheguei a sentir um certo desconforto em momentos extremos – como quando, por exemplo, perdi o controle do avião e comecei a rodopiar em alta velocidade. Creio que seja uma reação esperada numa situação como essa. Acho que sentir um certo enjoo em um simulador de voo é normal. Se for algo que você conseguir suportar, será possível superar o problema com sessões mais curtas de jogo.

Para ter uma segunda opinião, pedi para que um amigo também experimentasse o jogo. Ele sempre teve problemas com títulos como ‘Eve Valkyrie’ e ‘Starblood Arena’, mas disse que com ‘Ultrawings’ foi tranquilo, sem enjoo algum. Vale ressaltar que o jogo possui duas opções de conforto que diminuem a chance de você sentir enjoo, reduzindo a área visível.

VEREDITO

‘Ultrawings’ inova e surpreende no PSVR trazendo uma jogabilidade até então inédita em jogos de RV. O título não está livre de defeitos e às vezes pode soar repetitivo. Mas é o único do seu gênero disponível no Playstation VR e oferece boas horas de diversão. Estes são diferenciais que fazem de ‘Ultrawings’ um jogo obrigatório para quem é fã de simuladores de voo. E, para quem não é, com certeza funcionará como uma bela introdução ao gênero. Nota: 9,0

INFORMAÇÕES TÉCNICAS
Jogo: ‘Ultrawings’
Estúdio: Bit Planet Games (www.bitplanetgames.com/ultrawings)
Gênero: Simulador de voo
Data de lançamento: 19 de dezembro de 2017
Plataformas: PSVR (utilizada neste review), Oculus Rift, HTC Vive e Gear VR
Preço: R$ 76,90 (PS Store BR) | US$ 24,99 (PS Store EUA)
Tamanho do download: 1,33 GB
Idioma: Inglês (áudio), com interface (textos) em português do Brasil
Controles suportados: 2 Playstation Move Controllers (recomendado) ou Dualshock 4

[Este review foi feito com jogo digital cedido pelo estúdio Bit Planet Games. Agradecimento especial a Christopher Stockman]

Assista ao trailer de ‘Ultrawings’:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s