Notícias

Retrospectiva 2017: o que o ano trouxe de melhor para o Playstation VR?

O ano está acabando e chegou aquela hora inevitável de olhar para trás e perguntar: o que 2017 trouxe de bom para o Playstation VR? Muita coisa aconteceu, ocorreram alguns fiascos aqui e ali, mas podemos dizer que 2017 trouxe grandes jogos para o PSVR, que merecem figurar na coleção de qualquer jogador. Revendo estes 12 meses, é possível perceber claramente uma evolução contínua no número e na qualidade de lançamentos.

[Can not you understand? Use the Google Translate button, on the right side (on PCs) or below the text (on smartphones and tablets)]

O ano começou morno na quantidade de lançamentos, mas a presença de ‘Resident Evil 7’ logo no primeiro mês de 2017 incentivou muitos jogadores a adquirir o headset. Passados alguns meses de penúria, a partir do segundo trimestre as coisas começaram a esquentar. O segundo semestre foi incrível, com tantos lançamentos que fica difícil indicar apenas um por mês. Por isso, apontarei nesta retrospectiva o principal título de cada mês e incluirei algumas menções honrosas. Lembrando que esta lista é pessoal e gostaria muito de saber quais foram para vocês os destaques de 2017. Vamos lá!

JANEIRO

resident evil

Resident Evil 7

O mês trouxe pouquíssimos lançamentos para o PSVR (apenas três), mas incluiu entre eles o carro-chefe do Playstation VR até aqui. ‘Resident Evil 7’ (Capcom) acabou se tornando o motivo de muita gente comprar o headset de realidade virtual da Sony. Também pudera: ‘RE7’ é um dos principais títulos AAA do PSVR, considerado o jogo VR do ano e um dos poucos a suportar integralmente, na mesma versão, tanto o VR quanto a tela plana. O título é realmente assustador e conheço vários jogadores que não conseguiram terminá-lo, não por falta de habilidade ou de tempo, mas por medo. No final do ano, ainda vieram as DLCs ‘Not a Hero’ (gratuita) e ‘End of Zoe’ (paga) para aumentar as horas de gameplay (e terror).

FEVEREIRO

mervils

Mervils: A VR Adventure

Logo que comecei a jogar este game, cheguei à conclusão de que quem não gosta de ‘Mervils’ (Vitruvius Technologies) bom sujeito não é. Um dos poucos jogos em 3ª pessoa do PSVR, ‘Mervils’ segue o estilo de ‘Super Mario 64’, mas com identidade própria e, o que é melhor, em realidade virtual. Traz uma campanha sólida, com cerca de 6 horas de duração, e um gameplay que agrada crianças e adultos.

Menção honrosa: ‘Dying: Reborn’. Trata-se de um game de puzzle, estilo “escape room”, com quebra-cabeças intricados que vão fazer você pensar. Mas o jogo peca por oferecer pouco: ao todo, são apenas três salas e quase não há história. O jogo suporta apenas o Dualshock 4 e pode causar um pouco de enjoo de movimento.

MARÇO

fated

Fated: The Silent Oath

Este foi um mês difícil para o PSVR. ‘Fated’ (Frima Studio) aparece como o menos pior entre os quatro jogos lançados em março. Não que seja um jogo ruim. É ótimo, muito bem feito, com belos gráficos. Mas se assemelha mais a um filme do que um jogo. Um filme com cerca de 1h15 de duração.

ABRIL

starblood

Starblood Arena

Aqui é quando as coisas começam a melhorar de verdade para o PSVR. ‘Starblood Arena’ (Sony) é um dos multiplayers competitivos mais variados e ricos do Playstation VR. Com versão totalmente falada em português, o jogo é focado no combate entre naves, que possuem armas e habilidades diferentes. Somado a isso, personagens bem trabalhados e o visual estilo cartoon fazem deste título uma espécie de ‘Overwatch’ em realidade virtual. É preciso ressaltar, no entanto, que o jogo faz parte da lista de games que mais causam enjoo de movimento nos jogadores.

Menções honrosas: ‘Statik’ e ‘Mortal Blitz’. O primeiro é um puzzle fantástico e divide as atenções de jogo do mês com ‘Starblood’. Nele, você terá que descobrir como soltar suas mãos de um intrincado mecanismo de detenção sem receber dica nenhuma sobre o que fazer. Já ‘Mortal Blitz’, apesar de curto, é um bom shooter, sempre comparado a ‘Time Crisis’. Seria melhor se você pudesse pular as cutscenes depois de zerar.

MAIO

farpoint

Farpoint

Principal lançamento do mês e um dos principais do ano, ‘Farpoint’ (Impulse Gear) veio junto com a Aim Controller, um controle em forma de arma perfeito para títulos de FPS. Belos gráficos, uma história sólida e uma versão totalmente falada em português fazem do título um game obrigatório. Atualizações posteriores, que já estão disponíveis, trouxeram modos cooperativos e competitivos que estendem a vida útil do game, trazendo mais diversão e variedade. Se o preço da Aim Controller não é muito convidativo (principalmente no Brasil, onde custa em média R$ 700,00 com o jogo), a escassez dela no mercado demonstra que o periférico veio para ficar. E cada vez mais estão chegando jogos para ela – para 2018, estão previstos ‘Bravo Team’, ‘Firewall: Zero Hour’, ‘Shadowcore’, entre outros.

Menção honrosa: ‘Star Trek: Bridge Crew’. O game te transporta de maneira incrível para dentro da USS Enterprise e você se une a outros jogadores para pilotar a icônica espaçonave. O jogo recebeu uma atualização gratuita que permite que jogadores em tela plana também desfrutem do game.

JUNHO

ancient amulator

Ancient Amuletor

Com quatros personagens diferentes e gameplays diferenciados para cada um, o shooter ‘Ancient Amuletor’ (Time of Virtual Reality) foi destaque em um mês sem grandes novidades. Jogá-lo online com amigos, reunindo até três jogadores, é sempre mais prazeroso, além de tornar a tarefa mais fácil, já que as últimas hordas de inimigos podem ser bem complicadas se você estiver sozinho.

Menção honrosa: ‘Spider-Man: Homecoming’. Jogo promocional do filme de mesmo nome, este ‘Spider-Man’ gratuito deixa os jogadores com a vontade de jogar mais. Ainda não temos um jogo completo do Cabeça de Teia, mas este game curtinho mostra o quanto isso seria divertido.

JULHO

superhot

SuperHot VR

Julho foi repleto de grandes lançamentos, mas não há como não colocar o shooter ‘SuperHot VR’ (SuperHot Team) no topo da lista. Trata-se de um dos títulos mais inovadores para Playstation VR, com uma mecânica de “congele o tempo” que às vezes faz você achar que está jogando um quebra-cabeças. Depois que você termina o game, libera novos modos que estendem ainda mais as horas de gameplay.

Menções honrosas: ‘Arizona Sunshine’, ‘Archangel’ e ‘Theseus’. Com gráficos simples, ‘Arizona’ traz uma campanha com cerca de 4 horas de duração e pode ser jogado em sua totalidade com a Aim Controller. Além disso, há a possibilidade de jogá-lo em dupla. Acrescente aí o modo horda e eleve às alturas as horas de diversão. ‘Archangel’ é um ‘on-rails shooter’ bastante desafiador, em que você enfrenta naves, soldados e tanques a bordo de um mecha com vários metros de altura. ‘Theseus’ é um jogo em terceira pessoa com uma abordagem totalmente nova no PSVR. Controlando o mítico herói, você ficará frente a frente com o Minotauro e terá que escapar do seu labirinto.

AGOSTO

Sparc-Header

Sparc

Totalmente focado no multiplayer, ‘Sparc’ (CCP Games) traz duelos 1×1 em uma espécie de jogo virtual único. Fácil de aprender, difícil de dominar, ‘Sparc’ criou uma legião de jogadores aficionados, que criam seus próprios campeonatos. Conheço jogadores que começaram a jogar desde o primeiro dia do lançamento e até hoje estão lá, disputando suas partidas online. As várias opções de customização de personagem são um toque especial ao jogo.

Menção honrosa: ‘Paranormal Activity: The Lost Soul’. Tente descobrir os mistérios que rondam uma casa mal-assombrada enquanto supera a vontade de tirar o headset a todo custo, porque não aguenta mais um susto. A sensação de medo aqui é real – você se sente dentro daquela casa. Para os fãs dos jogos de terror, é imperdível.

SETEMBRO

solus project

The Solus Project

O survival ‘The Solus Project’ (Grip Digital) ganhou uma versão para VR que combina à perfeição com este tipo de jogo, em que você precisa explorar um planeta aparentemente inabitado. O game pode parecer “parado” para alguns, mas quando você se envolve na história e tenta descobrir como sobreviver naquele lugar, explorando cada canto daquele mundo, torna-se uma experiência fantástica. Mas não se esqueça de beber água. Nem de se alimentar.

Menção honrosa: ‘Voltron VR Chronicles’ e ‘Rigs: Mechanized Combat League’ grátis na PS Plus. Com cerca de 45 minutos de duração, ‘Voltron’ traz a nostalgia dos anos 1980 em uma nova versão animada e interativa. Mistura de jogo e experiência VR, ‘Voltron’ traz uma das animações mais incríveis existentes até hoje no PSVR. É como se você estivesse dentro de um dos episódios da série animada. Neste mês, a PS Plus também trouxe, pela primeira vez, um jogo grátis de PSVR: ‘Rigs’. Para a alegria dos jogadores, a prática se tornaria fixa a partir daí e, nos meses seguintes, vieram ‘Rush of Blood’ e ‘Bound’. ‘Starblood Arena’ já foi anunciado para janeiro de 2018.

OUTUBRO

raw data

Raw Data

Pessoalmente, ‘Raw Data’ (Survios) é um dos meus shooters preferidos e traz uma variedade de gameplay que faz valer o investimento. Jogue com diferentes personagens, com habilidades únicas, enquanto enfrenta hordas de robôs em uma história futurista na qual o futuro da humanidade está em jogo. Vamos continuar no aguardo pelos modos online do jogo, tanto cooperativos quanto competitivos, apesar de o estúdio responsável, a Survios, ainda não ter planos de lançar o multiplayer para o PSVR.

Menção honrosa: ‘Megaton Rainfall’. Torne-se um super herói invencível com os mais variados poderes neste ambicioso game indie. Tudo por um preço justo e várias horas de jogo.

Confira aqui o nosso review de ‘Raw Data’

NOVEMBRO

skyrim vr

Skyrim VR

Novembro trouxe um dos jogos mais aguardados pelos jogadores: o RPG ‘Skyrim VR’ (Bethesda), que reúne quase 200 horas de jogo em uma adaptação para o PSVR que, se não é perfeita, é disparada a experiência mais duradoura que temos no Playstation VR. Pela primeira vez, podemos desfrutar de todo o conteúdo do jogo original em realidade virtual, incluindo suas DLCs.

Menção honrosa: ‘Rec Room’. Este multiplayer online chegou ao PSVR fazendo a alegria dos jogadores, com um diferencial importante: o jogo é totalmente gratuito, sem qualquer tipo de ‘loot box’, ‘pay to win’ ou coisas do gênero. Várias modalidades esportivas estão disponíveis e, conforme vai jogando, você recebe itens para customizar seu personagem. É viciante.

Confira aqui o nosso review de ‘Skyrim VR’

DEZEMBRO

doom vfr

Doom VFR

Após meses de espera, finalmente chegou às nossas mãos o FPS ‘Doom VFR’ (Bethesda/idSoftware), trazendo belos gráficos, mas uma campanha considerada curta até para os padrões do PSVR (em cerca de 2h30 você termina o game). A sensação final é de que o jogo poderia render mais. Ainda assim, é um ótimo jogo.

Menção honrosa: PSVR no Brasil. O mês começou com uma surpresa para os brasileiros: finalmente o PSVR foi lançado no país e foi aberta a seção VR na PS Store nacional. É verdade que vários títulos ainda estão faltando, mas já é um começo. Vale destacar que, com a chegada do PSVR, ‘Rigs’ e ‘Rush of Blood’ foram liberados de graça para os brasileiros, pela PS Plus.

Confira aqui o nosso review de ‘Doom VFR’

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s