Reviews

[review] Embarque no navio de ‘One Piece: Grand Cruise’

Criado em 1997, o mangá ‘One Piece’ virou um anime de sucesso dois anos depois, com episódios lançados todos os anos, até os dias de hoje. Ganhou também várias adaptações para os video games, incluindo quase todos os consoles da família Playstation, inclusive o PS1. Agora, pela primeira vez, chega ao Playstation VR, com ‘One Piece: Grand Cruise’, um game exclusivo do PSVR desenvolvido pela Bandai Namco. O jogo traz uma espécie de tour pelo navio de Monkey D. Luffy e sua trupe de piratas nada convencionais, chamados de Piratas do Chapéu de Palha.

No jogo, você é um marujo novato no navio de Luffy, cujo objetivo na vida é se tornar o rei dos piratas. Para isso, ele precisa encontrar o maior tesouro do mundo, o tal “one piece” do título. Totalmente falado em japonês, o jogo-experiência traz legendas em português do Brasil, o que permite a compreensão por parte dos brasileiros. É como você estivesse dentro de um dos episódios da série, mas o jogo não tem propriamente uma história. Você vai sendo apresentado aos personagens do anime, enquanto conhece algumas dependências do navio. O caracol Transponder Snail será seu guia dentro do navio Thousand Sunny.

O jogo é dividido em “cenas” e você é carregado de uma pra outra em um roteiro pré-definido. Não há muito espaço para interação e você fica o tempo todo parado. A exploração dos ambientes do navio é limitada ao que o jogo permite. Mas você pode interagir com alguns objetos e personagens usando os olhos. E não é só pra ver. Alguns objetos podem ser marcados com um círculo e se você mantiver os olhos neles por algum tempo, algo acontece. Se você ficar olhando para a Robin, por exemplo, ela dá uma risadinha, como se estivesse flertando com você.

Aliás, as duas personagens femininas são usadas como iscas pra atrair a ala masculina para o game. Em uma das cenas, a ruiva Nami se aproxima tanto de você que é impossível não olhar pros peitões dela, magicamente acomodados em um biquíni mínimo. Este é apenas um aperitivo da malícia contida em ‘One Piece’, misturada com uma certa dose de ingenuidade, tão recorrente nos animes e mangás.

one piece2

CONTROLES

Você pode jogar o game usando o Dualshock 4 ou um PS Move (sim, só um mesmo). Mas a maior parte do tempo o controle não será usado para nada, pois, como já disse, alguns comandos são feitos com o tracking do headset. O controle será usado realmente nas partes em que você batalha contra a Marinha ou um polvo gigante, chamado de Kraken, em cenas que encerram os dois capítulos do jogo. Ambos os controles funcionam bem.

Na cena da batalha contra a Marinha, você utilizará um canhão para atirar em objetos e balas de canhão disparadas pelos navios adversários e vai acumulando pontos com cada acerto. No início, achei que tivesse que tentar afundar os navios inimigos, mas esta missão será dos integrantes mais experientes da tripulação, como o próprio Luffy. Mas, no combate com o Kraken, aí sim você vai atirar no polvo gigante. Em algumas cenas, você pode escolher o personagem que fará determinada ação. É aquela cena em que o personagem mostra todo o seu poder.

O aspecto visual é onde o game mais se sobressai. O jogo possui gráficos em cell-shade que reproduzem fielmente os desenhos do anime, só que agora tudo aparece em 3D, criando uma imersão fantástica no mundo de ‘One Piece’. Pena que seja tudo tão curto.

A experiência inteira dura em torno uma hora. No menu principal, é possível repetir as cenas que você já viu ou selecionar novas. Às vezes, é preciso voltar pra primeira cena para escolher um “caminho” diferente. Isso dá um pouco de variedade a mais ao jogo, mas acaba deixando o gameplay repetitivo. O jogo também tem troféus, mas não possui platina.

Em termos de enjoo de movimento, apesar de estar em um navio, ‘One Piece’ é totalmente livre de cinetose, a tal “motion sickness”. Isso porque você não se move, então não tem como enjoar.

one piece3

VEREDITO

‘One Piece: Grand Cruise’ segue a linha de muitas franquias conhecidas quando desembarcam no PSVR pela primeira vez: oferecem uma experiência curta, com mecânicas facilmente assimiláveis, que funciona como introdução ao universo da realidade virtual. Para quem é fã, é fantástico entrar efetivamente no mundo daquela série, anime ou desenho que você acompanha há tanto tempo. Mas, no final, acaba ficando aquele gostinho de “quero mais”. No entanto, o preço que está sendo cobrado é justo pelo conteúdo oferecido. Nota: 7,0/10.

INFORMAÇÕES TÉCNICAS

Título: ‘One Piece: Grand Cruise’
Gênero: Jogo-experiência
Estúdio: Bandai Namco (www.bandainamcoent.com)
Plataformas: Playstation VR (exclusivo)
Data de lançamento: 22 de maio de 2018
Preço: R$ 30,90 (PS Store Brasil) | US$ 9,99 (PS Store EUA)
Espaço em disco: 796 MB
Idioma: Japonês (áudio) / Português do Brasil (legenda e interface)
Controles suportados: 1 PS Move ou Dualshock 4
Jogadores: 1 (offline) | Sem modo online

[Este review foi feito com mídia digital cedida pelo estúdio Bandai Namco]

Assista ao trailer de ‘One Piece: Grand Cruise’

Anúncios

2 comentários sobre “[review] Embarque no navio de ‘One Piece: Grand Cruise’

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s