Artigos

Confira tudo o que sabemos até agora sobre o aguardadíssimo ‘Firewall: Zero Hour’

O FPS tático ‘Firewall: Zero Hour’ será lançado no próximo dia 28 de agosto, com exclusividade para o Playstation VR. E está difícil segurar a ansiedade! O jogo promete ser o melhor multiplayer do PSVR e um dos melhores jogos já lançados até agora para o headset de realidade virtual do Playstation 4.

No canal PSVR Brasil no YouTube, reuni em um só vídeo tudo o que sabemos até agora sobre o FPS tático desenvolvido pela First Contact Entertainment em parceria com a Sony. O link está abaixo. Deixo também a versão em texto do vídeo.

Este vídeo especial também comemora a marca de 200 inscritos no canal. Agradeço a todos os que já se inscreveram, curtiram e assistiram aos nossos vídeos. Muito obrigado! Fiquem ligados no canal (e no blog) que continuaremos trazendo muitas informações sobre o ‘Firewall’ e todos os grandes lançamentos do Playstation VR. Grande abraço!

Assista ao vídeo do canal PSVR Brasil

 


Tudo o que sabemos até agora sobre o aguardadíssimo ‘Firewall: Zero Hour’

1. O JOGO
‘Counter-Strike’ foi o precursor do gênero FPS multiplayer, há quase 20 anos, e praticamente definiu este estilo de jogo e o esporte eletrônico como conhecemos hoje. ‘Tom Clancy’s Rainbow Six Siege’ é a moda do momento e já ultrapassou a marca de 30 milhões de jogadores ao redor do mundo. ‘Firewall: Zero Hour’ chega para competir nessa seara como o primeiro FPS tático do Playstation VR e promete proporcionar uma imersão e jogabilidade jamais vista no gênero. Exclusivo do headset de realidade virtual do Playstation 4, o jogo será lançado no próximo dia 28 de agosto.

2. EXPECTATIVA
‘Firewall’ foi anunciado na PSX do ano passado, pelo próprio presidente da Sony, Shawn Layden, e recebeu atenção especial da gigante japonesa. Isso se traduziu em investimento massivo em qualidade de produção e marketing, além da localização do game para vários idiomas. O estúdio responsável pelo desenvolvimento é a First Contact Entertainment, até agora conhecido apenas pelo shooter futurista ‘Rom: Extraction’, que recebeu críticas mornas quando foi lançado, no final de 2016, só para os PCVRs.

3. COMO JOGAR
‘Firewall: Zero Hour’ é um jogo exclusivo do Playstation VR. Então, você vai precisar de um PSVR para poder jogar e, claro, de um PS4. ‘Firewall’ é a maior aposta da Sony para vender mais Aim Controllers, um controle em forma de arma que tem recebido poucos jogos desde o seu lançamento, em maio de 2017. A Aim Controller proporciona uma imersão incrível em jogos de tiro e, sem dúvida, é a melhor opção para jogar ‘Firewall’. Você realmente se sente segurando uma arma. Mas, caso não queira investir em uma Aim, você também pode jogar usando o Dualshock 4. Um dos desenvolvedores, inclusive, já disse que prefere jogar no Dualshock. Não há suporte aos Moves.

4. MODOS DE JOGO
O foco de ‘Firewall: Zero Hour’ é o multiplayer online. Todas as partidas são no formato 4 contra 4, seja no PVP (player versus player), seja no PVE (player versus enemy). O principal modo de jogo se chama Contracts Mode, o PVP competitivo. Nele, os jogadores vão se enfrentar para receber XP e Crypto, a moeda do jogo. O outro modo multiplayer é chamado de Training Mode, em que quatro jogadores enfrentam a máquina, recebendo apenas XP. Se não houver jogadores suficientes no lobby, os espaços vazios poderão ser preenchidos por bots.

5. PARTIDAS PRIVADAS
Será possível criar partidas privadas no jogo, juntando até oito jogadores no mesmo lobby. No entanto, estas partidas não vão dar XP nem Crypto. Mas permitirão que os jogadores organizem até campeonatos e coisas do gênero.

6. SEM CAMPANHA
O game não tem campanha para um jogador. O único conteúdo single player consiste em um modo treino, onde os jogadores poderão aprender as mecânicas básicas do jogo. No training mode, você vai testar e aprimorar suas habilidades contra a máquina em todos os nove mapas do jogo, recebendo XP para ajudar no seu progresso multiplayer.

7. OBJETIVOS
Em cada partida, os jogadores são divididos em duas equipes, uma ofensiva (attackers) e outra defensiva (defenders). O objetivo da equipe ofensiva é desativar o firewall e hackear um laptop com informações importantes, enquanto os defensores terão que impedir que isso aconteça. O contrato é cumprido e a partida acaba quando a equipe ofensiva consegue hackear o notebook ou quando a equipe defensiva evita o hackeamento até o final da partida. O jogo também acaba quando todos os membros de um time são eliminados. Não há “respawn” no jogo – uma vez morto, você ficará de fora até a próxima partida. No entanto, é possível reanimar um companheiro ferido. Os mercenários são contratados por contatos anônimos identificados apenas como “Father” e “Mother”. O contato anônimo de cada equipe guia os jogadores com objetivos e informações durante cada partida.

8. PROGRESSÃO
O game tem um sistema de progressão que dará XP e uma moeda chamada de Crypto (C) a cada partida que você jogar. XP destrava novas armas, acessórios e equipamento. Com a Crypto, será possível comprar esses itens. Ao ganhar XP, você aumenta seu rank para desbloquear habilidades e armas. Não sabemos, até o momento, quantos ranks são.

9. ARMAS
O arsenal de ‘Firewall: Zero Hour’ inclui uma boa variedade de armas, entre rifles de assalto, submetralhadoras, escopetas e pistolas. Você poderá modificar estas armas com equipamentos e itens próprios para cada uma, como miras, silenciadores e itens cosméticos. Estes itens são desbloqueados de acordo com a sua progressão. Cada personagem pode equipar duas armas (sendo uma primária e uma secundária). Os rifles de assalto e as submetralhadoras estão entre as armas primárias, que podem receber um número maior de modificações (cinco). As pistolas funcionam como armas secundárias e possuem quatro espaços para modificadores.

10. EQUIPAMENTOS
Cada jogador pode utilizar também dois equipamentos, entre granadas explosivas, granadas de fumaça, C4, minas e uma arma usada para reviver companheiros de time feridos. Alguns desses equipamentos são mais indicados para a equipe ofensiva, enquanto outros são mais recomendados em um cenário em que você precisa defender seu território. Ao todo, são mais de 30 armas e equipamentos somados.

11. PERSONAGENS
Você terá 12 diferentes personagens para escolher, oriundos de várias partes do mundo. São mercenários (chamados de “contractors”) que trabalham para quem pagar mais. Cada um vem com uma vantagem (ou “perk”) única, que o diferencia dos demais. Eles podem ainda ser customizados com habilidades adicionais e upgrades cosméticos. O estúdio ainda não divulgou detalhes sobre todos eles, mas sabemos que a mercenária “Texas” tem a vantagem de tomar menos dano de balas. Seu nome verdadeiro é Sarah Wells e quem fizer a pré-venda terá acesso antecipado a ela. Essa informação nos leva a acreditar que alguns personagens estarão bloqueados no início do jogo e você irá desbloqueá-los usando XP ou Crypto. Outro mercenário possui a vantagem “Loaded”, que dá mais munição para as armas primárias e secundárias. Uma personagem japonesa possui a vantagem “Ninja”, que reduz o barulho ao se movimentar.

12. MAPAS
São nove mapas, divididos em três regiões do mundo: Reino Unido, Oriente Médio e Rússia. Conhecer os mapas é importante para definir o tipo de armamento que você vai utilizar, já que alguns são mais abertos, enquanto outros privilegiam o combate à curta distância e o uso de escopetas, por exemplo. Identificar a localização do notebook em cada mapa é crucial para o time ofensivo. No entanto, essa localização pode variar a cada partida. Os defensores, por sua vez, iniciam o jogo ao lado do laptop. Para eles, o importante é saber de onde os ofensores vêm para colocar armadilhas, explosivos, minas ou mesmo bloquear portas usando perna-mancas. Você pode identificar facilmente a localização de seus companheiros de time através das paredes, mas onde estão os inimigos… Aí é outra história. Os mapas do Reino Unido são: Docks, Office e Shoot House. No Oriente Médio, os mapas são: Hotel, District e Compound. Os mapas russos são: Bunker, Warehouse e Embassy.

13. IMERSÃO
‘Firewall’ foi totalmente pensado para fazer o jogador sentir que não está dentro de um jogo. Não há um “hud” tradicional – o mapa e o tempo de jogo, por exemplo, aparecem em um dispositivo no seu pulso. A contagem de balas fica visível na própria arma. O jogo permite uma abordagem toda especial ao gênero FPS tático. Você pode se esgueirar nas esquinas para observar se um inimigo está próximo e assim não ser pego de surpresa. O áudio 3D também traz pistas sobre a localização dos inimigos ou onde estão acontecendo tiroteios, por exemplo. Você pode fazer gestos para os seus companheiros de time usando a própria arma. Outra coisa que contribui para o fator imersão é que a movimentação dos personagens é bastante fluída e realista, algo por enquanto raro quando se trata de jogos de realidade virtual, especialmente os multiplayers. Jogadores canhotos podem optar por inverter a posição das mãos de acordo com sua preferência.

14. COMUNICAÇÃO
Estratégia, trabalho em equipe e comunicação são cruciais nesse estilo de jogo. Agir como Rambo só vai atrapalhar o seu time. Por isso, é extremamente recomendável que você jogue com amigos ou pelo menos com jogadores que falem o mesmo idioma que você. Como é não é muito fácil encontrar jogadores de Playstation VR no Brasil, estou deixando abaixo o link para um grupo de Whatsapp formado especificamente para reunir jogadores do país. Já temos mais de 40 membros lá e quem quiser entrar, está convidado.
Link do grupo: https://chat.whatsapp.com/9OS4mIvgGEzHCpj0KraiS1

15. CINETOSE
O jogo tem locomoção livre, o que pode dar enjoo de movimento em alguns jogadores. Não há opção de teleporte, mas o estúdio adicionou alguns recursos para diminuir a sensação de tontura que algumas pessoas podem sentir. Um deles é o famoso “blinder”, também conhecido como vinheta – que escurece as bordas da tela quando você se movimenta. E o outro é o giro em graus, bastante recomendado, aliás. Pelos vídeos divulgados até agora, percebemos que a locomoção é lenta, mas há um botão que você pode usar para correr.

16. MICROTRANSAÇÕES
O estúdio First Contact já avisou que o jogo terá microtransações, mas não deixou claras quais serão. No entanto, garantiu que as compras dentro do jogo vão se limitar a itens cosméticos, incluindo uniformes, pinturas faciais, adornos, além de skins e camuflagens para as armas. Alguns desses itens serão dados para quem adquirir o jogo na pré-venda. Segundo o estúdio, nenhum item proveniente de microtransações dará vantagem a quem adquiri-lo.

17. PLAYSTATION PLUS
‘Firewall Zero Hour’ requer uma conexão constante com a internet. Para jogar os modos multiplayer, será necessário ter uma assinatura da Playstation Plus. Se não tiver a Plus, você terá acesso apenas ao modo para um jogador, o training.

18. PRÉ-VENDA
O jogo já está em pré-venda na Playstation Store, ao preço de R$ 149,90 no Brasil e US$ 39,99 nos Estados Unidos. No exterior, também está sendo vendido um conjunto com o jogo em mídia física junto com a Aim Controller. Esse bundle custa US$ 79,99 nos EUA e € 69,99 na Europa.
Os itens incluídos no pacote de pré-venda (‘Zero Hour pack’_ são:
Character Camo Exclusivo
Trinket Exclusivo
Weapon Camo Exclusivo
Face Paint Camo Exclusivo
Velcro Patch Exclusivo
Pacote Extra de Cryptos
Double XP por 24 Hours
‘Texas’ Contractor Destravado

Anúncios

2 comentários sobre “Confira tudo o que sabemos até agora sobre o aguardadíssimo ‘Firewall: Zero Hour’

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s