‘Firewall Zero Hour’ foi o jogo para PSVR mais baixado de agosto. Alguma dúvida?

Como já era esperado, o fantástico FPS ‘Firewall Zero Hour’ foi o jogo para Playstation VR mais baixado do último mês de agosto na Playstation Store. A relação dos “top downloads” foi divulgada hoje, no Playstation Blog EUA. O canal PSVR Brasil no YouTube está sorteando uma mídia digital do jogo. [Saiba mais no link abaixo]

Clique aqui e participe do sorteio de uma mídia digital de ‘Firewall Zero Hour’

A Sony não divulga o número total de downloads, mas dessa vez ‘Firewall’ aparece na frente do onipresente ‘Job Simulator’, um dos maiores sucessos de público do PSVR. Fecha o top 3 o sarcástico ‘Surgeon Simulator: Experience Reality’. [Confira as listas completas mais abaixo]

Para a semana que vem, o único lançamento para Playstation VR previsto é o puzzle ‘Neonwall’, que sairá no dia 14 de setembro. Entre os jogos de PS4, o mais esperado, sem dúvida, é ‘Shadow of the Tomb Raider’, o terceiro capítulo da nova saga de Lara Croft.

Confira os jogos mais baixados de agosto

Playstation VR
1 – Firewall Zero Hour
2 – Job Simulator
3 – Surgeon Simulator: Experience Reality
4 – SuperHot VR
5 – Killing Floor: Incursion
6 – Rick and Morty: Virtual Rick-ality
7 – Arizona Sunshine
8 – Electronauts
9 – Until Dawn: Rush of Blood
10 – Playstation VR Worlds

Playstation 4
1 – Madden NFL 19
2 – Horizon Zero Dawn: Complete Edition
3 – Grand Theft Auto V
4 – Tom Clancy’s Rainbow Six Siege
5 – God of War
6 – Battlefield 1
7 – Minecraft: PlayStation 4 Edition
8 – The Walking Dead: The Final Season
9 – Battlefield 4
10 – Rocket League

Inscreva-se no canal PSVR Brasil e concorra a uma mídia digital de ‘Firewall Zero Hour’

O canal PSVR Brasil no YouTube atingiu a marca de 300 inscritos e, para comemorar, estamos realizando o sorteio de uma mídia digital do FPS tático ‘Firewall Zero Hour’, do estúdio First Contact Entertainment (a chave foi gentilmente cedida pela Sony do Brasil). Para anunciar o sorteio, fiz hoje uma live no canal com os membros do grupo Firewall Brasil no Whatsapp [o vídeo está logo abaixo].

Para participar do sorteio, basta cumprir um ou mais passos descritos na página da promoção. Quanto mais inscrições fizer, mais chances você tem de ganhar. O sorteio será realizado na próxima terça-feira, 11 de setembro de 2018. Para utilizar o prêmio, basta ter uma conta na Playstation Store do Brasil.

Clique aqui e participe do sorteio!

Muito obrigado a todos que se inscreveram no canal até agora! O apoio de vocês é fundamental para mantermos esse trabalho. Agora que adquiri uma internet de boa qualidade, teremos streamings diários no canal!

Assista à live de ‘Firewall Zero Hour’ – Especial dos 300 inscritos

Depois de trapalhada na PS Store da Austrália, ‘Downward Spiral’ ganha data oficial de lançamento

O estúdio finlandês 3rd Eye Studios anunciou hoje a data de lançamento oficial do simulador espacial ‘Downward Spiral: Horus Station’, para Playstation 4 e Playstation VR. O jogo será lançado no dia 18 de setembro e promete uma experiência de “gravidade zero” (na verdade, a expressão correta é micro-gravidade) semelhante à de ‘Detached’.

‘Downward Spiral’ passou por alguns apuros durante esta semana. De acordo com o estúdio, um erro da Sony resultou na inclusão do jogo com data de lançamento para 28 de agosto. Isso inclusive foi incluído no “The Drop” do Playstation Blog, publicação que anuncia todos os jogos lançados na PS Store durante a semana.

Para piorar, o jogo acabou sendo disponibilizado por engano na PS Store da Austrália e alguns jogadores conseguiram comprar e até fazer gameplays dele. Um desses jogadores foi o youtuber Shugghead Gaming, que fez um gameplay de mais de uma hora (assista aqui, em inglês). Horas depois, o game foi retirado do ar. Mas quem comprou, comprou.

O JOGO

‘Downward Spiral: Horus Station’ é um jogo de ação e exploração espacial que pode ser jogado tanto em tela plana (na TV) quanto no Playstation VR. No PSVR, você poderá usar os PS Moves. A campanha poderá ser jogada no modo um jogador ou cooperativamente, por até dois jogadores. E também tem multiplayer online para até oito jogadores, com modos PVP (jogador vs jogador) ou PVE (jogador vs CPU), incluindo “Deathmatch” e “Horde”.

Na história, os jogadores estão presos em uma nave abandonada e terão que juntar as peças para descobrir o que aconteceu, enquanto navegam pela estação espacial. O jogo já foi lançado para os PCs, com suporte aos headsets HTC Vive, Oculus Rift e
Windows Mixed Reality.

Assista ao trailer de anúncio de ‘Downward Spiral: Horus Station’

Leia também:

[review] Já pensou em se tornar um astronauta? ‘Detached’ é o mais próximo que você pode chegar

 

 

No Dia Internacional do Gamer, Sony libera ‘Destiny 2’ e divulga os 7 games grátis de setembro

Pode ter sido só uma coincidência, mas hoje, no Dia Internacional do Gamer, a Sony Playstation divulgou a lista de jogos grátis da PS Plus para o mês de setembro e ainda antecipou a liberação de ‘Destiny 2’, um dos games gratuitos do mês que vem. O FPS futurista da Bungie já está disponível para baixar na PS Store do Brasil.

Outro jogo de peso virá grátis em setembro: ‘God of War III Remastered’ (Santa Monica), a versão remasterizada de ‘GOW3’, com compatibilidade de 1080p e 60fps. Outros seis jogos fazem parte da lista de jogos gratuitos de setembro, incluindo ‘Here They Lie’, para Playstation VR.

Ao todo, a lista de jogos traz sete títulos gratuitos para PS4, já que os jogos para PS3 e PS Vita virão em “cross buy” com o PS4. E ainda tem o party game ‘Knowledge is Power’, que continuará grátis até 6 de novembro. Os jogos poderão ser baixados pelos membros PS Plus a partir de 4 de setembro.

Confira a relação completa de jogos da PS Plus em setembro:

Destiny 2 (PS4)
God of War III Remastered (PS4)
Here They Lie (PS4 e PSVR)
Another World – 20th Anniversary Edition (PS3, cross buy com PS4 e PS Vita)
QUBE Director’s Cut (PS3, cross buy com PS4)
Sparkle 2 (PS Vita, cross buy com PS3 e PS4)
Foul Play (PS Vita, cross buy com PS4)

[Já viram o vídeo especial sobre a “versão VR” de ‘Destiny’? Confiram abaixo!]

 

TESTE GRATUITO DE ‘RENEGADOS’!

O multiplayer online ‘Destiny 2’ é, sem dúvidas, o principal título da relação da Plus em setembro. Na minha opinião, esta é uma maneira que a Sony e a Bungie encontraram de dar um novo gás à franquia, após duas expansões que tiveram uma recepção morna por parte da comunidade. Também vem preparando terreno para a mais nova expansão da franquia, ‘Renegados’ (‘Forsaken’), que será lançada na próxima terça-feira, 4 de setembro.

No Playstation Blog, a Sony confirma que ‘Destiny 2’ foi liberado antecipadamente para que os jogadores possam aproveitar uma prévia da DLC. No próximo sábado, 1º de setembro, o modo ‘Artimanha’ será liberado gratuitamente para todos os jogadores de ‘Destiny 2’ (não é necessário ter as Expansões I e II). O teste gratuito vai durar 24h, começando às 14h (horário de Brasília) do dia 1º até as 13h59 do dia seguinte.

‘Artimanha’ (‘Gambit’) é um modo que mistura o multiplayer cooperativo com o competitivo. Ele faz parte da DLC ‘Renegados’, que vai trazer várias novidades ao jogo, incluindo nove supers adicionais (três para cada guardião), novas armas, novas missões, dois novos destinos (A Orla Emaranhada e A Cidade Onírica) e uma nova incursão (“raid”), considerada o ápice da experiência de ‘Destiny’.

Marcando este novo capítulo na história da franquia, os jogadores testemunharão a morte do guardião Cayde-6, líder dos Caçadores e um dos principais personagens da franquia. Com suas tiradas, ele foi um dos principais destaques de ‘Destiny’, desde o primeiro título. No entanto, sua impetuosidade cobrará seu preço – e uma missão suicida acabará, de fato, selando o destino do líder dos Caçadores da Vanguarda.

‘Destiny 2: Renegados’ será lançado para Playstation 4, Xbox One e PCs em 4 de setembro. As armas e equipamentos de ‘Renegados’ não estarão inclusos no teste gratuito e não será possível levar qualquer progresso da “demo” para o jogo principal.

Assista ao trailer do teste gratuito de ‘Artimanha’ (em português)

 

 

 

Assista ao trailer de lançamento de ‘Renegados’ (em português)

 

 

[sorteio] Ganhador da mídia digital de ‘End Space’ é de Santa Catarina. Confira o resultado!

Conforme prometido, acabamos de realizar o sorteio da mídia digital do simulador de voo ‘End Space’, gentilmente cedida pelo estúdio Orange Bridge. Durante o período da promoção, recebemos um total de 172 inscrições, de 45 participantes, de várias partes do Brasil. E o sorteado foi Tito Souza, de Florianópolis (SC). Parabéns ao ganhador! O vencedor já foi devidamente contactado pelo e-mail fornecido no ato da inscrição.

Agradeço a todos os que participaram do sorteio, seja se inscrevendo no nosso canal no YouTube, comentando no post sobre o jogo, seguindo nosso Twitter e Twitch ou curtindo nossa página no Facebook.

Todas essas ações não são à toa. Elas ajudam a fortalecer nossos meios de comunicação com vocês, aumentam o alcance do nosso blog e do nosso canal e, ainda por cima, nos estimulam a continuar esse trabalho que iniciamos em novembro do ano passado. A participação de vocês é valiosíssima e garanto para vocês que, quanto mais inscrições tivermos, mais chances teremos de obter mais chaves e realizar novos sorteios.
Mais uma vez, muito obrigado!

Assista ao gamaplay de ‘End Space’

Estúdio divulga vídeo com 11 minutos de gameplay de ‘Ace Combat 7: Skies Unknown’. É de tirar o fôlego!

Se você ainda tem alguma dúvida de que ‘Ace Combat 7: Skies Unknown’ será um dos melhores simuladores de voo já lançados para os videogames, essa dúvida vai terminar agora. A Bandai Namco divulgou hoje um vídeo com 11 minutos de gameplay do jogo. As imagens mostram a sexta missão do jogo, “Long Day”, cujo objetivo é destruir as forças inimigas.

Assista ao gameplay abaixo:

O vídeo traz vários momentos de tirar o fôlego, incluindo rasantes, loopings e um passeio por dentro de um túnel estreito. O visual está simplesmente deslumbrante.  O vídeo está em inglês, com legendas no mesmo idioma.

‘Ace Combat 7: Skies Unknown’ será lançado no dia 19 de janeiro de 2019, para Playstation 4 e Xbox One. O lançamento para PCs será no dia 1º de fevereiro.

O game também terá um modo VR com missões exclusivas desenvolvidas especificamente para o Playstation VR. Não será possível jogar a campanha do game em VR.

Assista ao trailer de ‘Ace Combat 7: Skies Unknown’ 

[review] ‘Track Lab’ mistura quebra-cabeças e criação musical em realidade virtual

Puzzles estão entre os gêneros mais desafiadores dos games. Não à toa, eles aparecem de forma “disfarçada” em grandes sucessos dos vídeo-games, como as franquias ‘God of War’, ‘Uncharted’ e ‘Tomb Raider’, geralmente para quebrar o ritmo de ação frenético desses títulos e apresentar um desafio mais elaborado para o cérebro dos jogadores. Não é raro acontecer de um jogador ficar preso por alguns minutos (ou mesmo horas) em um único puzzle, apenas para descobrir que estava vendo as coisas pela perspectiva errada e a resposta estava ali, na sua cara. É este tipo de desafio que ‘Track Lab’, com um total de 96 quebra-cabeças, vem proporcionar. Desenvolvido pelo estúdio holandês Little Chicken, o jogo foi lançado no último dia 21, com exclusividade para o Playstation VR.

‘Track Lab’ tem uma proposta bem diferente de ‘Electronauts’, lançado na semana anterior, e qualquer comparação entre os dois não faz muito sentido. ‘Track Lab’ é o primeiro puzzle musical do PSVR, que já possui uma boa quantidade de jogos do gênero, cada um com suas mecânicas únicas. No game, você usa alguns elementos, chamados de “unidades óticas”, para direcionar o fluxo sonoro até o seu destino final [assista ao vídeo-review abaixo para entender melhor]. Para jogar, você usa um par de PS Moves. Não há suporte ao Dualshock 4.

Assista ao vídeo-review de ‘Track Lab’

As músicas vêm divididas em quatro estilos: “relaxante”, “energética”, “exótica” e “épica”. Cada estilo tem três níveis de dificuldade (fácil, normal e difícil) e cada nível é uma música diferente. Cada música é dividida em oito desafios e, conforme você vai resolvendo, vai adicionando um instrumento à música (incluindo bateria, guitarras, teclados, vocais, entre outros). Fazendo as contas, chegamos a 96 desafios, que vão aumentando de dificuldade conforme novas “unidades óticas” são adicionadas.

Para deixar a brincadeira ainda mais divertida, você pode mixar os instrumentos usando ferramentas como os Volume Sliders, Crossfader e Effect Matrix. Os nomes podem ser complicados, mas a interface é bem interativa e fácil de aprender. Pra isso, o jogo oferece um tutorial básico muito bem explicado. Os textos, totalmente, em português, também facilitam o aprendizado.

tracklab2

CRIAÇÃO MUSICAL

Para os mais talentosos, ‘Track Lab’ também oferece um editor musical, na seção “Criação”. Nela, você pode remixar as músicas que já liberou no modo “Evolução” (dos puzzles) ou criar músicas do zero. Esse modo é mais difícil de dominar e será melhor aproveitado por quem já possui conhecimento musical, já que o jogo te dá total liberdade para criar com uma grande variedade de sons e instrumentos musicais. Creio que faz falta aí um tutorial mais aprofundado, específico para esta seção. No entanto, a qualquer momento, você pode apertar o botão Move para obter ajuda.

Visualmente, o jogo é muito bem apresentado, com um cenário virtual que cria uma imersão perfeita. O nível de nitidez do jogo também é digno de elogios, sem qualquer serrilhado ou borrão, problemas estes que costumam incomodar em jogos de RV. A trilha sonora é o prato principal do game e é bem variada, com estilos como hip-hop, rock, techno e mesmo canções que lembram jogos 8 bits.

O jogo é totalmente livre de enjoo de movimento (cinetose). Para os platinadores de plantão, ‘Track Lab’ tem troféu de platina. O valor de replay também fica por conta do modo criação e das interações que você pode fazer com as músicas, após desbloqueá-las.

tracklab1


VEREDITO

‘Track Lab’ atende dois públicos – os fãs de puzzle e os jogadores que buscam uma ferramenta de criação musical intuitiva, com várias opções à disposição. Os puzzles são divertidos e oferecem um bom nível de desafio. O editor musical precisa de um tutorial mais aprofundado para se tornar mais acessível a um público maior. No entanto, acredito que o grande problema de ‘Track Lab’ seja o preço. Acredito que ele ficaria mais atraente com uns 40% a 50% de desconto. Nota: 8/10 [Bom]


INFORMAÇÕES TÉCNICAS
Título: ‘Track Lab’
Estúdio: Little Chicken (http://www.littlechicken.nl/game/track-lab)
Gênero: Puzzle musical
Lançamento: 21 de agosto de 2018
Plataforma: Playstation VR (exclusivo)
Preço: R$ 79,90 (PS Store Brasil) | US$ 19,99 (PS Store EUA)
Idioma: Português (interface)
Controles: Dois PS Moves
Espaço em disco: 699 MB
Jogadores: 1 (sem modo online)

[Este review foi feito no PS4 Pro, com mídia digital cedida pela Sony do Brasil]

Leia também:
[review] ‘Electronauts’: nunca foi tão fácil se tornar um DJ de sucesso

Assista ao trailer de ‘Track Lab’

Criado por Hideo Kojima, ‘Zone of the Enders 2’ tem nova demo grátis disponível na PS Store

[Post atualizado em 24/08/18]

Com lançamento previsto para o próximo dia 4 de setembro, o game ‘Zone of the Enders: The 2nd Runner – Mars’ (Konami) ganhou uma nova demo gratuita, que já está disponível em todas as Playstation Stores, inclusive do Brasil. A demo foi lançada oficialmente nesta sexta-feira, 24, mas primeiro chegou à PS Store da Austrália, já que lá o dia amanhece mais cedo.

Baixe aqui a nova demo de ‘Zone of the Enders: The 2nd Runner – Mars’ (Orange Case Demo)

A nova demo, batizada de ‘Orange Case Demo’, pode ser jogada tanto em realidade virtual, no Playstation VR, quanto em tela plana. Esta é a segunda demo lançada para o jogo e tem 4,54 GB. Está mais completa do que a primeira, disponibilizada alguns meses atrás.

Assista à gameplay completa que fiz para o nosso canal no YouTube:

‘Zone of the Enders’ foi criado por Hideo Kojima, a mente por trás da franquia ‘Metal Gear Solid’ e que está trabalhando no aguardadíssimo ‘Death Stranding’. Vários fãs, inclusive, apontam conexões entre ‘Zone’ (conhecido também como ‘ZOE’) e a série ‘MGS’, mas nunca houve uma confirmação oficial de que as histórias se passam no mesmo universo.

O jogo é uma mistura de shooter com hack’n’slash usando robozões super-avançados. Jogando na TV, a perspectiva é em terceira pessoa. Mas, ao usar o PSVR, ela muda para primeira pessoa – pela primeira vez na história da franquia.

Esta é a primeira vez também que ‘Zone of the Enders’ chega ao PS4. O primeiro jogo foi lançado originalmente, em 2001, seguido por ‘The 2nd Runner’, em 2003, ambos para o PS2. Os dois ganharam uma remasterização para o PS3 e, agora, 15 anos depois, o segundo capítulo chega ao PS4 totalmente remasterizado, com gráficos melhorados, resolução em 4K e em realidade virtual. O game também será lançado para os PCs e PCVRs.

No PS4, o jogo já está em pré-venda na PS Store, ao preço de R$149,90. Quem fizer a compra antecipada receberá vários atavars e um tema do game. ‘ZOE2’ também será lançado em mídia física.

Clique aqui para acessar a página do produto na PS Store do Brasil

SINOPSE

No ano 2174, a despótica organização militar Bahram utiliza a nova tecnología robótica Orbital Frame para assegurar o seu domínio em Marte e na Terra. Quando toma o controle do Orbital Frame Jehuty, o jogador é a última esperança para os planetas. Ataque o coração do exército de Bahram com um poder incomparável!

Assista ao trailer de ‘Zone of the Enders: The 2nd Runner – Mars’

Concorra a uma mídia digital do simulador de voo ‘End Space’

Mais um sorteio começou hoje no canal PSVR Brasil no YouTube! Desta vez, vamos sortear uma mídia digital (código de 12 dígitos) do jogo ‘End Space’, para Playstation VR (PS Store da Europa). A chave foi gentilmente cedida pelo estúdio Orange Bridge, desenvolvedor do game.

Para participar, basta cumprir um ou mais passos listados na página da promoção. Quanto mais inscrições fizer, mais chances você tem de ganhar. O sorteio será realizado no dia 27 de agosto de 2018, por meio do site Gleam.io. Para utilizar o prêmio, é necessário ter uma conta da Europa (EU) na Playstation Store.

Clique aqui para participar do sorteio

Assista ao vídeo do gameplay de ‘End Space’

Rocky Balboa aparece em trailer do simulador de boxe ‘Creed: Rise to Glory’

O lendário lutador Rocky Balboa, vivido por Sylvester Stallone, apareceu pela primeira vez no novo trailer do simulador de boxe ‘Creed: Rise to Glory’, que será lançado no dia 25 de setembro, primeiramente para o Playstation VR. O personagem é dublado pelo próprio Stallone, que até lê a classificação indicativa do game. ‘Creed’ é inspirado no filme de mesmo nome e conta a história do lutador Adonis “Hollywood” Creed, filho de Apollo Creed – um dos mais famosos adversários de Balboa.

No jogo (assim como no filme), Creed (agora, você), é treinado por Balboa para enfrentar uma série de lutadores em busca do título mundial de boxe. O jogo possui tanto uma campanha para um jogador como um modo online, com lutas 1 contra 1 (1×1). Você joga usando dois controles PS Moves.

O jogo já está em pré-venda na PS Store do Brasil, com 10% de desconto para assinantes da PS Plus (saindo de R$ 107,50 por R$ 96,75). Quem fizer a pré-venda também receberá vários bônus.

Assista ao trailer de ‘Creed: Rise to Glory’

JOGUE COMO ROCKY

Lauren Irvine, gerente de comunidade da Survios, avisa que os jogadores do Playstation VR, além de ter acesso primeiro ao jogo, também poderão jogar como Rocky Balboa, “no apogeu de sua juventude”. O personagem, segundo Irvine, será exclusivo do PSVR.

Lauren Irvine explica que a empresa criou um sistema especial para simular um combate de boxe. Depois do que vimos em ‘Raw Data’, ‘Electronauts’ e, especialmente, ‘Sprint Vector’, não duvidamos nada de que a Survios é capaz disso.

“Uma experiência de boxe em VR sem igual que coloca você nas luvas de Adonis Creed em sua jornada de amador a campeão, ‘Creed: Rise to Glory’ traz a revolucionária tecnologia Phantom Melee para criar um impactante combate corpo-a-corpo. Quer você escolha vivenciar a história de Creed ou criar batalhas contra uma variedade de oponentes habilidosos, você sentirá cada soco, gancho e cruzado através de dessincronização situacional que inclui fadiga, atordoamento e quedas”.

‘Ace Combat 7′ ganha data de lançamento e um novo trailer. Assista!

Como já havíamos postado aqui no blog, o simulador de voo ‘Ace Combat 7: Skies Unknown’ foi realmente adiado para 2019. Mas foi por pouco: o jogo será lançado para Playstation 4 e Xbox One no dia 18 de janeiro de 2019. O lançamento para PCs será no dia 1º de fevereiro. O anúncio foi feito hoje, na Gamescom, pela produtora Bandai Namco, que divulgou um novo trailer com mais de três minutos [assista mais abaixo].

O game também terá um modo VR com missões exclusivas desenvolvidas especificamente para o Playstation VR. Segundo o estúdio, essas missões em realidade virtual vão durar entre 12 e 15 horas. Não será possível jogar a campanha do game em VR.

Assista ao novo trailer de ‘Ace Combat 7: Skies Unknown’

AGORA VAI!

O sétimo episódio da franquia ‘Ace Combat 7’ estava inicialmente previsto para ser lançado em 2017, mas acabou sendo adiado para este ano – e, agora, acabou ficando para 2019. ‘Skies Unknown’ é o primeiro título da franquia em mais de dez anos. ‘Ace Combat 6: Fires of Liberation’ foi lançado em 2007, apenas para XBox 360.

Exclusivo do PS4, ‘Falcon Age’ poderá ser jogado tanto em RV quanto em tela plana

Revelado hoje pelo Playstation Blog, o game ‘Falcon Age’ será lançado em 2019 e poderá ser jogado tanto em realidade virtual (no Playstation VR) quanto em tela plana. O jogo é uma aventura em primeira pessoa, para um jogador. Você joga como Ara, que é detida em uma cela por um crime que não cometeu. Lá, ela vai conhecer um jovem falcão e acompanhar o crescimento da ave. O game já ganhou um trailer, que você confere abaixo.

Assista ao trailer de ‘Falcon Age’

O trailer está bem bonito, com um belo visual. Ainda não vimos nada de gameplay, nem temos informações sobre como você irá controlar o falcão. Mas a comparação com ‘Assassin’s Creed: Origins’ é inevitável.

No PSVR, você poderá jogar usando os PS Moves. No PS4 “normal”, o game terá suporte ao Dualshock 4, com controles padrão para um FPS. “Queremos oferecer aos jogadores opções de como experimentar o mundo único de ‘Falcon Age’ com suporte customizado para diferentes estilos de jogo e dispositivos”, afirma o estúdio.

babybird_lands.gif

A HISTÓRIA

O jogo começa em um planeta que está morrendo, com sua cultura destruída, recursos esgotados, e que se transformou em um deserto por máquinas invasoras. Ara foi presa por engano, por uma pequena infração. Enquanto ela aguarda seu destino em uma cela solitária, ela passa o tempo fazendo amizade com um jovem falcão. Juntos, eles escapam e partem em uma aventura para ajudar a resistência a recuperar sua liberdade e expulsar os invasores.

falcon_pet.gif

Promoções reúnem 36 títulos para Playstation VR com descontos de até 80%

Estão rolando na PS Store do Brasil três promoções que reúnem ao todo 36 títulos para Playstation VR. Os descontos chegam a até 80% para quem tem a PS Plus – mas quem não tem também pode aproveitar.

Alguns jogos são velhos conhecidos das ofertas da PSN, já outros merecem atenção especial, como ‘Arizona Sunshine’ (saindo por R$ 49,16), ‘Theseus’ (R$ 28,60), ‘Killing Floor: Incursion’ (R$ 59,99) e ‘Crise no Planeta dos Macacos’ (R$ 27,53). O ‘Arizona Sunshine’, inclusive, acaba de lançar uma DLC, chamada de ‘Dead Man’. Fiz uma gameplay dela no canal PSVR Brasil no Youtube, que você confere abaixo. A DLC não é gratuita, mas está saindo por apenas R$ 7,90.

Assista ao gameplay de ‘Arizona Sunshine: Dead Man DLC’

ATÉ QUANDO?

Os jogos de corrida em oferta fazem parte da promoção Alta Velocidade, que vai até esta terça-feira, 21. Já os outros jogos fazem parte das promoções Totally Digital e Ataque dos Blockbusters, que termina no dia 28 de agosto.

Confira mais abaixo a relação completa de jogos em oferta, com os preços e os percentuais de desconto pros membros da PS Plus.

Assista aqui a um gameplay de ‘Theseus’

Confira a lista completa de 36 títulos em promoção (já com os descontos extras da PS Plus)

80%
Dirt Rall VR Bundle – R$ 38,38
Moto Racer 4 [apenas modo VR] – R$28,70
Race the Sun – R$4,19

75%
Driveclub – R$ 19,97
Rise of the Tomb Raider [modo VR] – R$62,47
VR Ping Pong – R$ 11,47

70%
Surgeon Simulator: Experience Reality – R$18,45
Dying: Reborn – R$ 10,77
Pixel Gear – R$ 11,85
Ace Banana – R$ 13,77
Smashbox Arena – R$ 18,45
Weeping Doll – R$ 9,27
Trackmania Turbo [apenas modo VR] – R$47,99

67%
Werewolves Within – R$ 23,59

66%
The Invisible Hours – R$ 36,55

65%
Thumper – R$ 21,52
The Solus Project – R$ 21,52

60%
Arizona Sunshine – R$ 49,16
Theseus – R$ 28,60

50%
Eagle Flight – R$ 35,75
Mortal Blitz – R$ 30,75
Gran Turismo Sport – R$ 74,95
Stunt Kite Masters VR – R$ 15,45
Waddle Home – R$ 15,45
Darknet – R$ 22,95
Star Trek: Bridge Crew – R$ 71,75

40%
Killing Floor: Incursion – R$ 59,99
Crise no Planeta dos Macacos – R$ 27,53
Animal Force – R$ 29,70
Salary Man Escape VR – R$ 29,70

35%
Resident Evil 7: Biohazard – R$ 97,49

30%
Star Trek – Bridge Crew (com The Next Generation) – R$ 139,99
RollerCoaster Legends – R$ 10,85
Until Dawn: Rush of Blood – R$ 55,92

20%
Electronauts – R$ 49,20

PS Stores da Austrália e Europa disponibilizam demo gratuita de ‘Transference’ em primeira mão

Foi disponibilizada neste domingo, 19, nas PS Stores da Austrália e Europa uma demo gratuita do game ‘Transference’, que será lançado no próximo dia 19 de setembro pela Ubisoft. O jogo é uma parceria da Ubi com o estúdio SpectreVision, do ator Elijah Wood, o eterno Frodo de ‘O Senhor dos Anéis’. A demo já está disponível na PS Store do Brasil.

Clique aqui para baixar a demo na PS Store do Brasil

A demo, chamada de ‘Transference: The Walter Test Case’, tem 1,39 GB e pode ser jogada tanto em realidade virtual, com o Playstation VR, quanto em tela plana. A demonstração tem áudio em inglês. Não encontrei opções em outros idiomas.

Confira aqui o gameplay que fiz no Playstation VR (PS4 Pro):

 

De acordo com a descrição, trata-se de uma “prequel” que se passa antes dos eventos do jogo principal. Você irá participar de um experimento explorando a mente de uma pessoa que sofre de PTSD (transtorno de estresse pós-traumático, na tradução em português). Você joga usando o Dualshock 4.

Você irá resolver quebra-cabeças mentais enquanto conserta memórias corrompidas. No gameplay, você também irá trocar entre múltiplas perspectivas enquanto tenta unir as peças da história.

O jogo será lançado no dia 18 de setembro de 2018, tanto para tela plana (Playstation 4, Xbox One e PCs) quanto para realidade virtual (PSVR, HTC Vive e Oculus Rift). No Playstation, o jogo já está em pré-venda e custa R$ 76,90 (ou US$ 24.99).

Clique aqui para baixar a demo na PS Store da Austrália

Clique aqui para baixar a demo na PS Store do Reino Unido

Clique aqui para baixar a demo na PS Store de Portugal

Assista ao trailer de ‘Transference’

Saiba mais sobre o game ‘Transference’

‘Track Lab’ é o único lançamento da semana que vem no Playstation VR

O aplicativo/experiência musical ‘Track Lab’ foi confirmado hoje como único lançamento previsto para a próxima semana, no Playstation VR. O game, que promete transformar qualquer pessoa em um DJ virtual, chega na terça-feira, 21, com exclusividade para o PSVR. Entre os lançamentos de games em tela plana (não-VR), destaque para ‘Guacamelee! 2’, ‘Brawlout’ e ‘F1 2018’, que chega no dia 24 de agosto.

Confira aqui a lista de todos os jogos previstos para a semana que vem

Desenvolvido pela Little Chicken Game Company, ‘Track Lab’ já está em pré-venda nas lojas online do Brasil (R$ 79,90), Estados Unidos (US$ 19,99), Europa (€ 19,99) e Reino Unido (£15.99). Quem comprar na pré-venda receberá um tema dinâmico do jogo, além de três avatars.

“‘Track Lab’ tem uma abordagem única para a criação musical, tornando essa atividade divertida e fácil para qualquer um criar faixas originais. O jogo leva a criação de música para além de simplesmente remixar ou apenas fingir ser um DJ, inspirando-se em ferramentas profissionais de ponta e tornando-as divertidas e acessíveis a todos”, afirma o diretor criativo do jogo, Tomas Sala, em artigo no PS Blog da Europa.

Tomas Sala explica também como funcionam as mecânicas básicas do game. “No jogo, você começa pegando amostras musicais e colocando-as no caminho de um ‘pulso’ ritmicamente sincronizado. Quando as amostras (samples) são atingidas pelo pulso, elas soam a sua batida. Basta combinar as amostras na grade cronometrada para formar loops e sequências e, desse jeito, você construiu uma batida matadora!”.

Com um kit de ferramentas intuitivo e amplo na ponta de seus dedos, todos os gêneros, como techno, hip-hop e rock, podem ser mixados para fazer sua faixa perfeita, segundo a sinopse oficial do jogo. Não é necessário ter experiência com música. Mas, se você precisar de uma mão para iniciar, o modo Evolver ensina padrões e construções musicais por meio da resolução de quebra-cabeças em diferentes gêneros musicais.

Assista ao trailer de ‘Track Lab’

Confira tudo o que sabemos até agora sobre o aguardadíssimo ‘Firewall: Zero Hour’

O FPS tático ‘Firewall: Zero Hour’ será lançado no próximo dia 28 de agosto, com exclusividade para o Playstation VR. E está difícil segurar a ansiedade! O jogo promete ser o melhor multiplayer do PSVR e um dos melhores jogos já lançados até agora para o headset de realidade virtual do Playstation 4.

No canal PSVR Brasil no YouTube, reuni em um só vídeo tudo o que sabemos até agora sobre o FPS tático desenvolvido pela First Contact Entertainment em parceria com a Sony. O link está abaixo. Deixo também a versão em texto do vídeo.

Este vídeo especial também comemora a marca de 200 inscritos no canal. Agradeço a todos os que já se inscreveram, curtiram e assistiram aos nossos vídeos. Muito obrigado! Fiquem ligados no canal (e no blog) que continuaremos trazendo muitas informações sobre o ‘Firewall’ e todos os grandes lançamentos do Playstation VR. Grande abraço!

Assista ao vídeo do canal PSVR Brasil

 


Tudo o que sabemos até agora sobre o aguardadíssimo ‘Firewall: Zero Hour’

1. O JOGO
‘Counter-Strike’ foi o precursor do gênero FPS multiplayer, há quase 20 anos, e praticamente definiu este estilo de jogo e o esporte eletrônico como conhecemos hoje. ‘Tom Clancy’s Rainbow Six Siege’ é a moda do momento e já ultrapassou a marca de 30 milhões de jogadores ao redor do mundo. ‘Firewall: Zero Hour’ chega para competir nessa seara como o primeiro FPS tático do Playstation VR e promete proporcionar uma imersão e jogabilidade jamais vista no gênero. Exclusivo do headset de realidade virtual do Playstation 4, o jogo será lançado no próximo dia 28 de agosto.

2. EXPECTATIVA
‘Firewall’ foi anunciado na PSX do ano passado, pelo próprio presidente da Sony, Shawn Layden, e recebeu atenção especial da gigante japonesa. Isso se traduziu em investimento massivo em qualidade de produção e marketing, além da localização do game para vários idiomas. O estúdio responsável pelo desenvolvimento é a First Contact Entertainment, até agora conhecido apenas pelo shooter futurista ‘Rom: Extraction’, que recebeu críticas mornas quando foi lançado, no final de 2016, só para os PCVRs.

3. COMO JOGAR
‘Firewall: Zero Hour’ é um jogo exclusivo do Playstation VR. Então, você vai precisar de um PSVR para poder jogar e, claro, de um PS4. ‘Firewall’ é a maior aposta da Sony para vender mais Aim Controllers, um controle em forma de arma que tem recebido poucos jogos desde o seu lançamento, em maio de 2017. A Aim Controller proporciona uma imersão incrível em jogos de tiro e, sem dúvida, é a melhor opção para jogar ‘Firewall’. Você realmente se sente segurando uma arma. Mas, caso não queira investir em uma Aim, você também pode jogar usando o Dualshock 4. Um dos desenvolvedores, inclusive, já disse que prefere jogar no Dualshock. Não há suporte aos Moves.

4. MODOS DE JOGO
O foco de ‘Firewall: Zero Hour’ é o multiplayer online. Todas as partidas são no formato 4 contra 4, seja no PVP (player versus player), seja no PVE (player versus enemy). O principal modo de jogo se chama Contracts Mode, o PVP competitivo. Nele, os jogadores vão se enfrentar para receber XP e Crypto, a moeda do jogo. O outro modo multiplayer é chamado de Training Mode, em que quatro jogadores enfrentam a máquina, recebendo apenas XP. Se não houver jogadores suficientes no lobby, os espaços vazios poderão ser preenchidos por bots.

5. PARTIDAS PRIVADAS
Será possível criar partidas privadas no jogo, juntando até oito jogadores no mesmo lobby. No entanto, estas partidas não vão dar XP nem Crypto. Mas permitirão que os jogadores organizem até campeonatos e coisas do gênero.

6. SEM CAMPANHA
O game não tem campanha para um jogador. O único conteúdo single player consiste em um modo treino, onde os jogadores poderão aprender as mecânicas básicas do jogo. No training mode, você vai testar e aprimorar suas habilidades contra a máquina em todos os nove mapas do jogo, recebendo XP para ajudar no seu progresso multiplayer.

7. OBJETIVOS
Em cada partida, os jogadores são divididos em duas equipes, uma ofensiva (attackers) e outra defensiva (defenders). O objetivo da equipe ofensiva é desativar o firewall e hackear um laptop com informações importantes, enquanto os defensores terão que impedir que isso aconteça. O contrato é cumprido e a partida acaba quando a equipe ofensiva consegue hackear o notebook ou quando a equipe defensiva evita o hackeamento até o final da partida. O jogo também acaba quando todos os membros de um time são eliminados. Não há “respawn” no jogo – uma vez morto, você ficará de fora até a próxima partida. No entanto, é possível reanimar um companheiro ferido. Os mercenários são contratados por contatos anônimos identificados apenas como “Father” e “Mother”. O contato anônimo de cada equipe guia os jogadores com objetivos e informações durante cada partida.

8. PROGRESSÃO
O game tem um sistema de progressão que dará XP e uma moeda chamada de Crypto (C) a cada partida que você jogar. XP destrava novas armas, acessórios e equipamento. Com a Crypto, será possível comprar esses itens. Ao ganhar XP, você aumenta seu rank para desbloquear habilidades e armas. Não sabemos, até o momento, quantos ranks são.

9. ARMAS
O arsenal de ‘Firewall: Zero Hour’ inclui uma boa variedade de armas, entre rifles de assalto, submetralhadoras, escopetas e pistolas. Você poderá modificar estas armas com equipamentos e itens próprios para cada uma, como miras, silenciadores e itens cosméticos. Estes itens são desbloqueados de acordo com a sua progressão. Cada personagem pode equipar duas armas (sendo uma primária e uma secundária). Os rifles de assalto e as submetralhadoras estão entre as armas primárias, que podem receber um número maior de modificações (cinco). As pistolas funcionam como armas secundárias e possuem quatro espaços para modificadores.

10. EQUIPAMENTOS
Cada jogador pode utilizar também dois equipamentos, entre granadas explosivas, granadas de fumaça, C4, minas e uma arma usada para reviver companheiros de time feridos. Alguns desses equipamentos são mais indicados para a equipe ofensiva, enquanto outros são mais recomendados em um cenário em que você precisa defender seu território. Ao todo, são mais de 30 armas e equipamentos somados.

11. PERSONAGENS
Você terá 12 diferentes personagens para escolher, oriundos de várias partes do mundo. São mercenários (chamados de “contractors”) que trabalham para quem pagar mais. Cada um vem com uma vantagem (ou “perk”) única, que o diferencia dos demais. Eles podem ainda ser customizados com habilidades adicionais e upgrades cosméticos. O estúdio ainda não divulgou detalhes sobre todos eles, mas sabemos que a mercenária “Texas” tem a vantagem de tomar menos dano de balas. Seu nome verdadeiro é Sarah Wells e quem fizer a pré-venda terá acesso antecipado a ela. Essa informação nos leva a acreditar que alguns personagens estarão bloqueados no início do jogo e você irá desbloqueá-los usando XP ou Crypto. Outro mercenário possui a vantagem “Loaded”, que dá mais munição para as armas primárias e secundárias. Uma personagem japonesa possui a vantagem “Ninja”, que reduz o barulho ao se movimentar.

12. MAPAS
São nove mapas, divididos em três regiões do mundo: Reino Unido, Oriente Médio e Rússia. Conhecer os mapas é importante para definir o tipo de armamento que você vai utilizar, já que alguns são mais abertos, enquanto outros privilegiam o combate à curta distância e o uso de escopetas, por exemplo. Identificar a localização do notebook em cada mapa é crucial para o time ofensivo. No entanto, essa localização pode variar a cada partida. Os defensores, por sua vez, iniciam o jogo ao lado do laptop. Para eles, o importante é saber de onde os ofensores vêm para colocar armadilhas, explosivos, minas ou mesmo bloquear portas usando perna-mancas. Você pode identificar facilmente a localização de seus companheiros de time através das paredes, mas onde estão os inimigos… Aí é outra história. Os mapas do Reino Unido são: Docks, Office e Shoot House. No Oriente Médio, os mapas são: Hotel, District e Compound. Os mapas russos são: Bunker, Warehouse e Embassy.

13. IMERSÃO
‘Firewall’ foi totalmente pensado para fazer o jogador sentir que não está dentro de um jogo. Não há um “hud” tradicional – o mapa e o tempo de jogo, por exemplo, aparecem em um dispositivo no seu pulso. A contagem de balas fica visível na própria arma. O jogo permite uma abordagem toda especial ao gênero FPS tático. Você pode se esgueirar nas esquinas para observar se um inimigo está próximo e assim não ser pego de surpresa. O áudio 3D também traz pistas sobre a localização dos inimigos ou onde estão acontecendo tiroteios, por exemplo. Você pode fazer gestos para os seus companheiros de time usando a própria arma. Outra coisa que contribui para o fator imersão é que a movimentação dos personagens é bastante fluída e realista, algo por enquanto raro quando se trata de jogos de realidade virtual, especialmente os multiplayers. Jogadores canhotos podem optar por inverter a posição das mãos de acordo com sua preferência.

14. COMUNICAÇÃO
Estratégia, trabalho em equipe e comunicação são cruciais nesse estilo de jogo. Agir como Rambo só vai atrapalhar o seu time. Por isso, é extremamente recomendável que você jogue com amigos ou pelo menos com jogadores que falem o mesmo idioma que você. Como é não é muito fácil encontrar jogadores de Playstation VR no Brasil, estou deixando abaixo o link para um grupo de Whatsapp formado especificamente para reunir jogadores do país. Já temos mais de 40 membros lá e quem quiser entrar, está convidado.
Link do grupo: https://chat.whatsapp.com/9OS4mIvgGEzHCpj0KraiS1

15. CINETOSE
O jogo tem locomoção livre, o que pode dar enjoo de movimento em alguns jogadores. Não há opção de teleporte, mas o estúdio adicionou alguns recursos para diminuir a sensação de tontura que algumas pessoas podem sentir. Um deles é o famoso “blinder”, também conhecido como vinheta – que escurece as bordas da tela quando você se movimenta. E o outro é o giro em graus, bastante recomendado, aliás. Pelos vídeos divulgados até agora, percebemos que a locomoção é lenta, mas há um botão que você pode usar para correr.

16. MICROTRANSAÇÕES
O estúdio First Contact já avisou que o jogo terá microtransações, mas não deixou claras quais serão. No entanto, garantiu que as compras dentro do jogo vão se limitar a itens cosméticos, incluindo uniformes, pinturas faciais, adornos, além de skins e camuflagens para as armas. Alguns desses itens serão dados para quem adquirir o jogo na pré-venda. Segundo o estúdio, nenhum item proveniente de microtransações dará vantagem a quem adquiri-lo.

17. PLAYSTATION PLUS
‘Firewall Zero Hour’ requer uma conexão constante com a internet. Para jogar os modos multiplayer, será necessário ter uma assinatura da Playstation Plus. Se não tiver a Plus, você terá acesso apenas ao modo para um jogador, o training.

18. PRÉ-VENDA
O jogo já está em pré-venda na Playstation Store, ao preço de R$ 149,90 no Brasil e US$ 39,99 nos Estados Unidos. No exterior, também está sendo vendido um conjunto com o jogo em mídia física junto com a Aim Controller. Esse bundle custa US$ 79,99 nos EUA e € 69,99 na Europa.
Os itens incluídos no pacote de pré-venda (‘Zero Hour pack’_ são:
Character Camo Exclusivo
Trinket Exclusivo
Weapon Camo Exclusivo
Face Paint Camo Exclusivo
Velcro Patch Exclusivo
Pacote Extra de Cryptos
Double XP por 24 Hours
‘Texas’ Contractor Destravado

Com suporte à Aim Controller, ‘Unearthing Mars 2’ chega ao PSVR no dia 18 de setembro

Você já viu uma continuação ser melhor que o jogo original? Isso não costuma acontecer com frequência no mundo dos games, vamos admitir. Mas exemplos existem e é esse o caminho que a Winking Entertainment quer trilhar com ‘Unearthing Mars 2: The Ancient War’, jogo para Playstation VR que teve seu trailer oficial divulgado hoje, no canal do Playstation no YouTube. O game já ganhou até data de lançamento – e está bem próximo: 18 de setembro.

O vídeo mostra um jogo totalmente diferente do primeiro, cujo gameplay trazia trechos de exploração especial confusos, misturados com puzzles, controle de um veículo estilo rover e culminando com um shooter que, de longe, era a melhor parte do jogo. Pois, desta vez, os desenvolvedores da Winking Entertainment deixaram de lado todo o resto e focaram apenas no shooter. Uma ótima notícia, especialmente para os proprietários de uma Aim Controller.

“Nosso primeiro título PSVR, ‘Unearthing Mars’, foi lançado em 2017. Ele destacou o potencial dos games VR apresentando uma nova mecânica de jogo em cada capítulo. Nesta continuação, a aventura será um título FPS do começo ao fim, com a jogabilidade do último capítulo do primeiro jogo, que os fãs tanto amaram. Você usa a Aim Controller para abater inimigos enquanto viaja pelo tempo para uma antiga civilização marciana. A nova jogabilidade permite atirar em inimigos enquanto manobra confortavelmente pelo combate, cheio de ação”, explica Eleanor Liu, gerente de marketing e relações públicas da Winking Entertainment.

Unearthing Mars2

A HISTÓRIA

Em ‘Unearthing Mars 2’, fragmentos Phobos extraídos de Marte são analisados pelo Ark Device, o que leva os jogadores a embarcarem numa jornada para descobrir os segredos de uma antiga civilização marciana destruída pela guerra.

Cada uma das fases contém seis ou mais armas para o jogador escolher. As armas primárias são rifles de assalto ou espingardas. Conforme avança para fases mais difíceis, você poderá destravar armas especiais como lança-foguetes, canhões de plasma e metralhadoras. Armas raras adicionais podem ser encontradas durante lutas contra chefes.

O personagem também tem uma habilidade especial, chamada de “sharp focus”. É o famoso “bullet-time”. “Em qualquer encontro com o inimigo, o jogador pode acionar o sharp focus, onde dentro de um segundo de câmera lenta, poderá mirar e acertar os pontos fracos dos inimigos. Já que o tempo de recarga do sharp focus é bem baixo, os jogadores podem ser praticamente invencíveis durante momentos críticos do combate”.

O trailer, de fato, está bem bonito e mostra bastante ação. Parece uma tremenda evolução para o título lançado em março de 2017. Agora é aguardar pelo dia 18 de setembro e esperar que o jogo esteja à altura do trailer!

Assista ao trailer de ‘Unearthing Mars 2: The Ancient War’

[sorteio] Ganhador da mídia digital de ‘Detached’ é de Curitiba. Confira o resultado!

Acabamos de realizar o sorteio da mídia digital de ‘Detached’, gentilmente cedida pelo estúdio Anshar. Ao longo da última semana, recebemos um total de 222 inscrições, de 54 participantes de várias partes do Brasil. E o sorteado foi Eduardo Thomazoni Silva, de Curitiba (PR). Parabéns ao ganhador!

Agradeço de coração a todos os que participaram, seja se inscrevendo no nosso canal no YouTube, comentando no post sobre o jogo, seguindo nosso Twitter e Twitch ou curtindo nossa página no Facebook.

Todas essas ações não são à toa. Elas ajudam a fortalecer nossos meios de comunicação com vocês, aumentam o alcance do nosso blog e do nosso canal e, ainda por cima, nos estimulam a continuar esse trabalho que iniciamos em novembro do ano passado. A participação de vocês é valiosíssima e garanto para vocês que, quanto mais inscrições tivermos, mais chances teremos de obter mais chaves e realizar novos sorteios.

Aliás, o próximo sorteio será de duas mídias digitais do puzzle ’18 Floors’, oferecidas pela Winking Entertainment. Divulgarei os detalhes muito em breve!

Mais uma vez, muito obrigado!

Confira aqui o review de ‘Detached’

Suspense espacial ‘The Station’ é confirmado para Playstation VR

Lançado em fevereiro deste ano para Playstation 4, Xbox One e PCs, o suspense espacial ‘The Station’ vai ganhar uma versão para realidade virtual. E o suporte para Playstation VR foi confirmado pelo próprio diretor criativo do game, Kevin Harwood, em contato com o blog PSVR Brasil. Ele não soube informar ainda a data de lançamento, mas já avisou que será ainda este ano. \o/

O diretor criativo explicou que a versão VR será separada da atual versão disponível para as plataformas em tela plana. O jogo também será lançado em mídia física, unindo no mesmo disco as duas versões do game.

“O jogo está confirmado para o PSVR, mas não temos uma data de lançamento programada. A versão física que venderemos nas lojas terá a versão simples do PS4 e a versão do PSVR, que são produtos separados. Na loja online, eles serão vendidos separadamente”, explicou Harwood.

O GAME

‘The Station’ é um jogo de mistério e ficção científica em primeira pessoa sobre uma estação espacial que foi enviada para estudar uma civilização alienígena senciente. Assumindo o papel de um especialista em missões de reconhecimento, os jogadores devem desvendar um mistério que vai determinar o destino de duas civilizações.

Na PS Store do Brasil, a versão “flat” do jogo está disponível por R$ 45,90.

Assista ao trailer de ‘The Station’ para Playstation 4

[review] ‘Electronauts’: nunca foi tão fácil se tornar um DJ de sucesso

Loops, samples, pickups, BPM, EDM… Você pode não saber o significado de nenhuma dessas palavras e ainda assim se tornar um DJ dos bons com ‘Electronauts’, nova experiência/aplicativo de realidade virtual do estúdio Survios, desenvolvedor por trás dos excelentes ‘Raw Data’ e ‘Sprint Vector’. Trata-se de um aplicativo bastante intuitivo e que oferece uma vasta gama de ferramentas pra você se sentir o próprio David Ghetta.

‘Electronauts’ traz um total de 54 faixas – e por um precinho bem camarada, devo dizer. A lista de músicas (ou line-up, como os DJs preferem dizer) inclui nomes como The Chainsmokers, Tiesto, Steve Aoki, DJ Shadow, Zhu e muitos e muitos outros. Alguns compuseram músicas especialmente para o ‘Electronauts’, como é o caso de Coral Fusion, Goodhenry e Starbuck.

Se você não conhece música eletrônica, talvez nunca tenha ouvido falar deles. Mas são grandes expoentes da EDM (a “electronic dance music”) e atraem multidões a festivais e raves espalhadas pelo mundo. O bom é que são músicas boas de se ouvir e, principalmente, um material excelente para você interferir e criar suas próprias versões.

Para isso, você vai contar com uma “ajudinha”. Quer dizer, “ajudinha” não: é uma baita ajuda. ‘Electronauts’ foi construído com uma espécie de “autotunes” e por causa disso é bem difícil você fazer algo fora do ritmo ou que soe desagradável. O estúdio chama essa interface de Music Reality Engine.

electronauts1

MAS É FÁCIL MESMO?

Quem já tem conhecimento prévio de música ou mesmo de remixagem vai tirar melhor proveito do aplicativo, mas a interface dele é tão intuitiva que o torna acessível a qualquer pessoa. O aplicativo oferece um breve tutorial e depois te deixa livre para criar. Devo ressaltar, porém, que este tutorial é breve demais, deixando de fora, por exemplo, explicações sobre como funciona o recurso de montar arranjos (“arrangement”). Percebendo isso, a Survios tem postado em seu canal no YouTube alguns vídeos com explicações adicionais, que incluirei no decorrer deste review.

Tutorial: como usar a ferramenta “arrange”

Cada música tem diferentes trechos (“tracks”), que iniciam sempre pela intro e incluem outras batidas, como break, groove, build, drop, trap, entre outras. Cada batida tem seus próprios acompanhamentos (“stems”), incluindo guitarras, baixo, bateria, palmas, teclados e por aí vai. Você pode alternar entre as tracks a hora que quiser, quantas vezes quiser.

Os instrumentos básicos do aplicativo são as orbs. A maioria das músicas têm dois conjuntos de orbs, que vêm agrupadas em 7. Usando os bastões que emulam os PS Moves, você pode tocar essas orbs como se fossem uma bateria. Também pode deixar uma sequência gravada e repeti-la quantas vezes quiser. O mesmo vale para uma espécie de harpa eletrônica.

Você também pode adicionar efeitos usando um conjunto de 5 granadas – cada uma soando diferente. Elas explodem no cenário e criam um efeito especial todo particular. Outra ferramenta em divertida é o cubo FX (ou “FX Cube”). Ele pode alterar a música de várias maneiras, como você pode conferir no vídeo abaixo:

Tutorial: como usar o FX Cube

FAZ UMA SELFIE AÍ!

‘Electronauts’ também é um aplicativo social e os desenvolvedores deram uma atenção especial ao aspecto visual. São diferentes cenários, onde sua pick-up virtual se transforma em uma nave sob seu comando numa verdadeira viagem musical pelo espaço. Você estará usando um traje de astronauta, com corpo completo – algo raro entre os games para realidade virtual.

Você pode utilizar uma câmera com pau de selfie para mudar a perspectiva pela qual seus espectadores vão te assistir. Inclusive, é esta a imagem que aparece na tela social da TV ou quando você faz uma transmissão pelo YouTube ou Facebook. Você também pode alterar as cores do ambiente, mudando também as cores do DJ.

Graficamente, é um aplicativo bonito, com visual nítido e interface clean. O jogo está todo em inglês (áudio e interface), sem opções de outros idiomas. Sobre o aspecto sonoro, não preciso falar mais nada, já que este é o prato principal do aplicativo.

Tutorial: usando as ferramentas básicas

E O QUE ‘ELECTRONAUTS’ NÃO TEM?

O aplicativo tem algumas lacunas, mais por questões técnicas, direitos autorais e limitações financeiras do que pela vontade de seus desenvolvedores, como eles deixaram claro em um bate-papo com usuários do Reddit, alguns dias atrás.

A versão para Playstation VR, por exemplo, ficou sem multiplayer online pela dificuldade do estúdio de encontrar um designer que trabalhe com a engine Unity no PSVR nesse ponto específico.

Outra coisa que o aplicativo não permite é importar suas próprias canções para remixá-las ou exportar aquilo que você criou. Mas, como os criadores disseram no bate-papo citado acima, isso está em discussão interna – e o aplicativo ainda deve receber muitas atualizações.

Aliás, o app está recebendo atualizações constantes, então certifique-se de fazer os updates antes de começar a jogar. No dia do lançamento, por exemplo, foram adicionadas oito músicas. Novas faixas e estilos musicais devem ser adicionadas em atualizações gratuitas.

Uma coisa que eu gostaria de ver é a possibilidade de alterar o BPM (batidas por minuto) das músicas, para deixa-las mais rápidas ou mais lentas. Também seria interessante se você pudesse misturar duas faixas, criando mash-ups. Mas, como os desenvolvedores deixaram claro, ‘Electronauts’ não é um aplicativo fechado – e podemos esperar muitas novidades nos próximos meses.

Confira um profissional em ação em ‘Electronauts’


VEREDITO

‘Electronauts’ é a melhor experiência musical disponível no Playstation VR. Não conheço muito o mercado de PCVR, mas creio que o mesmo se possa dizer do HTC Vive, Oculus Rift e Windows Mixed Reality. Não é um jogo – e talvez careça do aspecto competitivo presente em games musicais tradicionais, como ‘Guitar Hero’, ‘Rock Band’ e ‘Beat Saber’. Sua essência, de fato, se afasta da experiência de apertar botões ou executar ações no momento certo. Nele, você é livre para fazer o que quiser, na hora que quiser. Isso pode afastar um pouco quem espera algo mais “pré-definido”. No entanto, para todo mundo que gosta de música, é uma experiência imperdível. Nota: 10/10 [Imperdível].


INFORMAÇÕES TÉCNICAS
Título: ‘Electronauts’
Gênero: Aplicativo/experiência musical
Estúdio: Survios (https://survios.com/electronauts)
Data de lançamento: 7 de agosto de 2018
Plataformas: Playstation VR (usada neste review), HTC Vive, Oculus Rift e Windows Mixed Reality
Preço: R$ 61,50 *(PS Store Brasil) | US$ 19,99 * (PS Store EUA)
Controles suportados: Dois PS Moves
Idioma: inglês (áudio e interface – sem suporte a outros idiomas)
Jogadores: 1 (sem modo online)
Espaço em disco: 1,54 GB
* Membros PS Plus têm desconto de 20% até o dia 21 de agosto de 2018

[Este review foi feito no PS4 Pro, usando uma cópia digital gentilmente cedida pela Survios]

‘The Persistence’ é escolhido pelos próprios jogadores o melhor game de julho no PS4

O first-person survival ‘The Persistence’, exclusivo do Playstation VR, foi escolhido pelos próprios jogadores o melhor game do mês de julho, entre todos os títulos lançados no mês passado no PS4. A votação foi realizada pelo Playstation Blog, publicação oficial da Sony.

Particularmente, como já disse em meu review, para mim ‘The Persistence’ é até agora o jogo do ano no PSVR. Outros concorrentes ao posto estão por vir, como é o caso de ‘Firewall Zero Hour’ (28 de agosto), ‘Astro Bot Rescue Mission’ (2 de outubro), ‘Blood & Truth’ (ainda sem data) e o aguardadíssimo ‘Beat Saber’ (sim, também sem data), entre outros.

Será que algum deles vai bater ‘The Persistence’? É esperar e torcer, porque queremos sempre jogos melhores!

Confira aqui nosso review de ‘The Persistence’

Assista ao vídeo-review de ‘The Persistence’ 

Playstation VR receberá dois novos jogos na próxima terça-feira

O Playstation Blog Brasil divulgou ainda há pouco os jogos que serão lançados na próxima semana. A lista traz dois lançamentos para o Playstation VR: o multiplayer gratuito ‘Vroom Kaboom’ (que também pode ser jogado no PS4 sem-VR) e o puzzle ‘Domino Craft VR’.

Confira aqui todos os lançamentos para Playstation 4 da próxima semana

Confira as descrições dos jogos fornecidas pelo PS Blog e os trailers.

Vroom Kaboom

Um ‘Tower Rush com Veículos’, Vroom Kaboom combina elementos de jogos de cartas, tower defense e MOBAs. Participe de batalhas 1×1, 2×2 ou 3×3 e até viaje com nosso modo completo VR!

Domino Craft VR

‘Domino Craft’ é um jogo VR casual com conteúdo gerado pelos usuários. Crie formações de dominós como na vida real, mas sem os limites de espaço e materiais. Você pode dividir suas criações com amigos e se divertirem juntos.

Morador de São Paulo foi o ganhador da mídia digital de ‘Pixel Ripped 1989’

Acabamos de realizar o sorteio da mídia digital do game ‘Pixel Ripped 1989’ (da Oculus Store), criado pela brasileira Ana Ribeiro. O ganhador foi Ricardo Ruy, de Mauá (SP). O código para resgatar o prêmio já foi devidamente enviado ao vencedor, ao e-mail informado no ato da inscrição. O código foi gentilmente cedido pelo estúdio Arvore.

[Confira o review de ‘Pixel Ripped 1989’]

Durante o período do sorteio, recebemos um total de 44 inscrições, de 10 participantes diferentes. Agradeço de coração a todos os que participaram, seja se inscrevendo no nosso canal no YouTube, comentando no post sobre o jogo, seguindo nosso Twitter e Twitch ou curtindo nossa página no Facebook.

Todas essas ações não são à toa. Elas ajudam a fortalecer nossos meios de comunicação com vocês, aumentam o alcance do nosso blog e do nosso canal e, ainda por cima, nos estimulam a continuar esse trabalho que iniciamos em novembro do ano passado. A participação de vocês é valiosíssima e garanto para vocês que, quanto mais inscrições tivermos, mais chances teremos de obter mais chaves e realizar novos sorteios. Sim, novos sorteios já estão programados!

Mais uma vez, muito obrigado!

Assista ao nosso vídeo-review de ‘Pixel Ripped 1989’

DLC de ‘Arizona Sunshine’ chega ao Playstation VR no dia 14 deste mês

Um dos melhores shooters do Playstation VR finalmente vai receber sua aguardada expansão. A Vertigo Games anunciou hoje que a expansão ‘Dead Man DLC’, do shooter ‘Arizona Sunshine’, será lançada para Playstation VR no dia 14 deste mês. Não foi divulgado o preço dela, mas na Steam ela custa R$ 6,49 (ou US$ 2,49). Para jogar, é necessário ter o jogo base e você pode optar entre a Aim Controller, dois PS Moves ou o Dualshock 4.

‘Arizona Sunshine – Dead Man DLC’ se passa nos últimos dias antes do apocalipse zumbi. A DLC coloca você em uma base de misseis dos Estados Unidos, em uma tentativa de conter a proliferação dos mortos-vivos. Você joga como Dockson, um cabo das Forças Especiais do Exército dos EUA. A expansão, que está disponível desde maio para HTC Vive e Oculus Rift, traz vários níveis de dificuldade, incluindo o Apocalyptic Mode, onde os seus recursos são extremamente parcos.

O Playstation Blog dos Estados Unidos publicou hoje um artigo assinado pelo designer Nick Witsel, da Vertigo Games, que traz mais alguns detalhes sobre a expansão. “Passei muito do meu tempo projetando esta missão prequel para o nosso shooter de zumbis da RV durante o último semestre. Estou muito animado em finalmente dar as boas-vindas à nossa comunidade de jogadores de PSVR nos últimos dias antes do apocalipse zumbi”, escreveu.

“Com a ‘Dead Man DLC’, os jogadores têm uma nova perspectiva militar sobre o apocalipse zumbi de ‘Arizona Sunshine’. Nós pegamos as partes mais atraentes e desafiadoras de ‘Arizona Sunshine’ para criar uma prequel cheio de suspense e ação. Jogando sozinho ou com um amigo, você se encontra em uma missão militar frenética, no último esforço para conter o surto. Enquanto você batalha através do silo para disparar o míssil e salvar a humanidade, seu entorno será escuro e estreito, sua munição em breve será mais esparsa do que nunca, e zumbis rápidos e lentos virão até você de todas as sombras. Expandindo o mundo e a tradição do ‘Arizona Sunshine’, colocamos uma interessante reviravolta na história – que vamos deixar você descobrir por si mesmo!”, disse o designer.

A DLC traz três novas armas: uma submetralhadora totalmente automática, uma escopeta para duas mãos e uma pistola tática. A expansão também traz novas opções de customização de personagem, que poderão ser usadas no jogo-base.

Assim como o jogo-base, a expansão pode ser jogada solo ou em modo cooperativo para dois jogadores. A duração da DLC é de cerca de 1h30 a 2 horas e se passa antes da campanha original do jogo.

Assista ao trailer de ‘Arizona Sunshine – Dead Man DLC’

Participe do sorteio e concorra a uma mídia digital de ‘Detached’ para PSVR

Estão prontos para mais um sorteio? O canal PSVR Brasil no YouTube vai sortear uma mídia digital (código de 12 dígitos) do jogo ‘Detached’, para Playstation VR (PS Store da Europa). A chave foi gentilmente cedida pela Anshar Studios, desenvolvedora do game. O sorteio será realizado no site Gleam.

Clique aqui e participe!

Para participar, basta cumprir um ou mais passos descritos na página do sorteio. Quanto mais inscrições fizer, mais chances você tem de ganhar. O sorteio será realizado no dia 14 de agosto de 2018 (próxima terça-feira. Atenção: para utilizar o prêmio, é necessário ter uma conta da Europa (EU) na Playstation Store.

Boa sorte a todos!

‘We Happy Few’ traz experiência gratuita ao Playstation VR

Foi disponibilizada hoje na Playstation Store a experiência gratuita ‘We Happy Few: Uncle Jack Live VR’, desenvolvida pelo estúdio Compulsion Games e publicada pela Gearbox. A experiência é uma espécie de jogo promocional para divulgar o game ‘We Happy Few’, que será lançado nesta sexta-feira, 10, para Playstation 4, Xbox One e PCs.

Apesar de ser uma experiência relativamente curta, a ‘Uncle Jack Live VR’ tem mais de 5 GB e a parte boa é que não é necessário ter o game completo para jogar. É totalmente de graça. Você pode jogar usando o Dualshock 4 ou um par de PS Moves, que aprimoram a experiência no quesito imersão.

Clique aqui para baixar a experiência gratuita na PS Store do Brasil

Clique aqui para baixar a experiência gratuita na PS Store dos EUA

A HISTÓRIA

A sinopse do jogo, retirada da própria PS Store com algumas correções, diz o seguinte: ‘We Happy Few: Uncle Jack Live VR’ é a sua chance de conhecer e trabalhar com a mais proeminente celebridade de Wellington Wells. Ajude o Tio Jack a produzir um programa excepcional apresentando apenas as melhores atrações, assegurando que todos os Wellies se irão divertir.

Você não vai só lidar com um muito opinativo Tio Jack, como também com um surto de Downer que conseguiu infiltrar-se no estúdio de transmissão. Usando as ferramentas ao seu dispor, você pode tentar sobreviver ao surto como também acabar com o próprio conflito.

Quando acabar de jogar como produtor, passe algum tempo nos arquivos de mídia, onde você pode explorar mais de 40 episódios do Tio Jack, ouvir trilhas sonoras oficiais de ‘We Happy Few’ (“Os pouco felizes”), e assistir a materiais de bônus, como trailers e bobinas de animação.

Assista aqui ao trailer de ‘We Happy Few’ (jogo completo)

[review] Já pensou em se tornar um astronauta? ‘Detached’ é o mais próximo que você pode chegar

Uma das barreiras para a popularização massiva dos headsets de realidade virtual é um troço chamado “cinetose” (também conhecida como “enjoo de movimento” ou “motion sickness”). Diante disso, vários títulos têm usado recursos para tentar diminuir ao máximo esse problema, com a inclusão de “blinders” (vinheta que reduz seu campo de visão), o abominado teleporte e o giro em graus. ‘Detached’, do estúdio polonês Anshar Studios, vem na direção oposta e traz uma experiência extrema ao Playstation VR e PCVRs (HTC Vive, Oculus Rift e Windows Mixed Reality), desafiando o estômago dos mais experientes jogadores de realidade virtual. É, simplesmente, o mais próximo que pessoas comuns, como eu e você, podem chegar de se tornar um astronauta.

O enjoo de movimento é um assunto sério quando se trata de ‘Detached’. Antes mesmo de comprá-lo, você se depara com o seguinte aviso na página do jogo na Playstation Store: “Atenção! Esteja preparado para uma experiência em realidade virtual que simula variações de velocidade repentinas, queda livre e giros no espaço. Não indicada para jogadores que sofram de enjoo de movimento”. Portanto, ninguém pode dizer que não foi avisado.

Mas quão extremo é ‘Detached’? Vamos colocar em termos comparativos. E os melhores jogos para fazer isso são ‘StarBlood Arena’ (que esteve grátis um tempo na Plus, então muitos jogadores já tiveram acesso a ele) e o multiplayer ‘Eve Valkyrie: Warzone’. Se você já jogou um desses dois e não sentiu enjoo, está pronto para ‘Detached’. Se não, talvez seja o caso de experimentar outros jogos antes – com o tempo e um pouco de dedicação, praticamente todos os jogadores podem se livrar da maldita cinetose.

Os controles de ‘Detached’ se assemelham aos de uma nave, com o diferencial que você está usando um traje de astronauta em um ambiente de microgravidade (erroneamente conhecido como “gravidade zero”, ou “zero-G”). O analógico esquerdo serve para você se mover para os lados, para frente e para trás. No analógico direito você determina a direção – e é aí que mora um dos maiores desafios em termos de cinetose. Você pode girar o corpo para olhar para qualquer direção – e isso, por si só, já vai deixar a cabeça de alguns jogadores girando, literalmente. Outro movimento extremo é a rotação, que serve para você corrigir o seu eixo, usando os botões L1 (para a esquerda) e R1 (para a direita). Esta rotação é imbatível no quesito “cinetose”.

DIFICULDADE E JOGABILIDADE

O fator “movimentação” é tão importante no jogo que ele determina até o nível de dificuldade de ‘Detached’. Assim, temos, do mais fácil para o mais difícil, os modos “Arcade”, “Astronaut” e “Simulation”. O Arcade é, de longe, o mais indicado para os iniciantes. Os outros dois modos simulam a microgravidade de tal maneira que fica extremamente difícil ir do ponto A ao ponto B.

Nos modos mais difíceis, os movimentos exigem uma sutileza e até mesmo conhecimentos de física, para trabalhar com a inércia e o princípio de ação e reação. Qualquer movimento que você faz precisa ser corrigido (compensado) para o lado oposto, devido à aceleração típica da microgravidade. Em alguns momentos, jogando no “Astronaut” ou no “Simulation”, me vi girando interminavelmente, feito a personagem de Sandra Bullock em ‘Gravidade’. Interminavelmente…

De certa forma, esta é a melhor e mais realista experiência que ‘Detached’ pode proporcionar, mas, definitivamente, não é para qualquer um. Mas nada impede que você passe alguns minutos (horas, talvez?) apenas treinando. Por si só, é um desafio que vale a pena e que só a realidade virtual pode proporcionar.

A boa notícia é que você pode alterar o nível de dificuldade do jogo a qualquer momento, sem precisar repetir trechos ou algo do tipo. Voltemos, portanto, ao modo “Arcade”. Nele, os controles são bastante responsivos, mas os efeitos da microgravidade são infinitamente menores. Temos inclusive um botão de freio, que faz com que você pare quase que instantaneamente, tornando-se extremamente útil para evitar colisões. Aliás, você deve se preocupar em não bater o tempo todo: seu capacete é frágil – e após sofrer alguns golpes, é “game over”.

Além de simulador espacial, ‘Detached’ também é um jogo de sobrevivência. Você precisa ficar bastante atento aos seus níveis de oxigênio e combustível (“fuel”). Há alguns itens espalhados pelo caminho que você usa para renová-los. Se chegar a zero, a morte é certa. E apavorante!

‘Detached’ também é um jogo de exploração espacial. Isso significa que, exceto em ocasiões muito específicas, o jogo não vai te mostrar para onde ir ou qual caminho seguir. Você estará exatamente como o personagem do jogo: sozinho e por sua própria conta. As pistas serão dadas apenas em telas de computadores que mostram os sistemas que estão offline e que você precisa religar. Isso resulta em alguns momentos de confusão, nos quais você estará, literalmente, “perdido no espaço”.

LARGADO NO ESPAÇO

‘Detached’ possui apenas um fio de história, contada através de uma animação em 2D que lembra uma história em quadrinhos. Algo dá errado em uma missão considerada “simples” e você é deixado à deriva (“detached”) por seus companheiros. Seu trabalho será reativar os sistemas de uma estação abandonada para tentar se reencontrar com os demais integrantes da equipe. Sobre a animação que conta a história do jogo, aliás, preciso fazer uma observação: a arte conceitual é totalmente diferente da que aparece no material promocional do jogo, incluindo a tela que surge a cada carregamento, com trajes futuristas que lembram ‘Mass Effect’.

As missões do jogo consistem basicamente em se locomover de um ponto a outro, enquanto reativa os sistemas. No decorrer da campanha, você vai recebendo alguns “upgrades”/habilidades em seu traje, que permitirão você usar um propulsor, escudo contra colisões e até mísseis. Eles vão servir para você entrar em tubos de propulsão que te jogam para trás, evitar a morte certa em colisões e mesmo disparar contra drones.

Em determinado trecho (um dos mais difíceis do jogo – e onde, com certeza, é o que mais morri), você é atirado de dentro de uma cápsula e precisa ejetar em seguida para não morrer [confira o gif animado abaixo]. Depois, terá que se esquivar, em alta velocidade, de vários obstáculos pelo caminho, até atingir o outro lado. Outros trechos exigem que você procure “nódulos de energia” (baterias, no bom português) para ativar sistemas específicos. E, em alguns casos, eles podem estar beeeem escondidos.

A campanha dura em torno de 4 a 6 horas, mas a duração dependerá muito de quanto tempo você ficará perdido tentando encontrar respostas. Esse tempo pode ser estendido se você quiser platiná-lo ou mesmo jogar o multiplayer. São dois modos PVP (jogador contra jogador), com disputas 1 contra 1, bem explicados por um vídeo-tutorial. Um deles consiste em uma espécie de corrida e no outro você tem que recuperar recursos antes que o seu adversário. Mas, nas poucas vezes em que tentei jogá-los, não encontrei nenhum oponente. Reforço, contudo, que minha banda larga é péssima e talvez nem merecesse esse nome.

QUESTÕES TÉCNICAS

‘Detached’ possui um visual de encher os olhos. Os gráficos são bastante realistas, mas sofrem com alguns serrilhados típicos do Playstation VR, mesmo jogando em um PS4 Pro. Os problemas incluem ainda texturas brotando quando você se aproxima delas, algo que também devemos colocar na conta da capacidade inferior de processamento do Playstation 4.

Apesar disso, a sensação de estar no espaço é incomparável. Os efeitos de iluminação – especialmente quando você olha em direção ao Sol – e as sombras são incríveis. Aliados a um design de som competente e uma trilha bem pontuada, estes quesitos contribuem para criar uma imersão fantástica.

Apenas um fator de jogabilidade quebra um pouco a imersão e merece ser anotado. No jogo, você não tem braços nem interage ativamente com objetos dos cenários. O jogo te dá apenas um ícone em forma de “mãozinha” para interagir com os painéis/monitores do jogo. Não há alavancas para puxar ou escotilhas para abrir, por exemplo. No entanto, é preciso levar em conta que, tecnicamente, introduzir mãos virtuais em um jogo como esse seria de fato bem complicado – mesmo porque o game só tem suporte ao Dualshock 4, dadas as visíveis limitações de movimentação dos PS Moves, desprovidos de direcionais.

Não há opções de idioma em português. Mas o menu oferece uma opção para quem sente enjoo de movimento mas quer enfrentar o game mesmo assim. É a “eagle eye view”, um “brinder” que reduz seu campo de visão e que pode ser nivelado de 0 a 100. Você também pode desativar a música do jogo e curtir sua trilha sonora preferida usando um pen-drive ou o Spotify.

Senti falta no jogo de um tutorial mais aprofundado. As instruções que ele oferece são bem básicas. Poderia ter um modo de treinamento, inspirado nos testes pelos quais os astronautas reais passam, onde os jogadores pudessem se acostumar à microgravidade e desafiar a cinetose. Fica como sugestão.

VEREDITO

Definitivamente, ‘Detached’ não é para todos no quesito “cinetose”. Mas, fora alguns trechos mais movimentados, a velocidade dele é inferior a games como ‘Eve Valkyrie’ e ‘Starblood Arena’, o que, de certa maneira, pode fazer com que o jogo sirva como uma introdução a quem quer enfrentar experiências mais extremas de realidade virtual. Até o momento, é uma experiência única nessa seara (pelo menos no Playstation VR) e vale cada centavo cobrado por ela. Nota: 9/10 [Excelente]


INFORMAÇÕES TÉCNICAS
Título: ‘Detached’
Gênero: Simulador de exploração espacial e sobrevivência
Estúdio: Anshar Studios (http://ansharstudios.com)
Data de lançamento: 24 de julho de 2018 (PSVR)
Plataformas: Playstation VR (usada neste review), HTC Vive, Oculus Rift e Windows Mixed Reality
Preço: R$ 76,90 (PS Store Brasil) | US$ 24,99 (PS Store EUA) | R$ 47,49 (Steam)
Controles suportados: apenas Dualshock 4
Jogadores: 1 (offline) | 2 (multiplayer online – para jogar online é necessária a PS Plus)
Espaço em disco: 4,48 GB

[Este review foi feito no PS4 Pro, com mídia digital gentilmente cedida pelo Anshar Studios]

Assista ao trailer de ‘Detached’

‘Contagion VR: Outbreak’ chega em novembro para rivalizar com ‘Arizona Sunshine’

Fãs de ‘The Walking Dead’ têm um novo motivo para comemorar. O Playstation VR vai ganhar em novembro um novo jogo que promete rivalizar com ‘Arizona Sunshine’ dentro da temática “apocalipse zumbi”. Trata-se do first-person survival ‘Contagion VR: Outbreak’, do estúdio Monochrome, que já está disponível em acesso antecipado na Steam, para HTC Vive, Oculus Rift e Windows Mixed Reality.

Dois dias atrás, o desenvolvedor Victor Burgos compartilhou algumas informações do jogo com os usuários do Reddit e perguntou quais as expectativas dos jogadores quanto à versão para PSVR do game.

No tópico, Burgos falou sobre um assunto que é sempre questionado pelos jogadores: a duração do game. Ele disse que a campanha para um jogador terá pelo menos 5 horas de duração, “com outras 5 horas sendo adicionadas em atualizações gratuitas”. O jogo também terá um modo para você se locomover livremente pelos cenários (“free roam”) em busca de itens e recursos valiosos.

O desenvolvedor destacou ainda que o jogo usa os controles de movimento (PS Moves, no PSVR) para que o jogador possa interagir de forma imersiva com vários objetos do cenário – e que seria difícil adaptar isso ao Dualshock 4 ou à Aim Controller. O jogo também usa armas brancas.

“Suporte ao controle seria estranho. Como você poderia usar uma arma em cada mão? Como você iria recarregar? O mesmo vale para os golpes corpo-a-corpo. Parece que comprometeria muito o jogo, para nenhum ganho. Mas não sou 100% contra isso. Parece que estragaria basicamente todas as mecânicas do jogo atualmente”, disse o desenvolvedor. “A menos que os jogadores do PSVR joguem com dois Dualshocks ao mesmo tempo. Aí sim”, brincou.

Assista ao trailer de gameplay de ‘Contagion VR: Outbreak’

DIFERENTES REGIÕES

O desenvolvedor disse que o estúdio está tendo problemas para lançar o game ao mesmo tempo nas Américas (NA) e Europa (EU), devido a questões burocráticas de classificação etária. De acordo com ele, o estúdio precisou de menos de uma hora para conseguir a classificação ESRB (usada nas Américas), mas a PEGI (utilizada na Europa) pode levar pelo menos um mês, por exigir um número “VAT”. Mas o desenvolvedor garantiu que, apesar de não ter ainda uma data de lançamento, o jogo dificilmente será adiado para além de novembro deste ano.

No tópico, Burgos perguntou aos jogadores se eles achariam ruim se o jogo fosse lançado apenas com a campanha single player e o modo “free roam”, sem os modos multiplayer competitivos e cooperativos. Estes modos extras, que já existem na versão para PC, seriam lançados posteriormente, em atualizações gratuitas.

O desenvolvedor recebeu várias opiniões sobre isso e disse que levaria todos os comentários em consideração. “Gostaria de ouvir seus comentários, preocupações, reclamações! Obviamente, não podemos deixar todo mundo feliz, mas gostaríamos de lançar o jogo para o PSVR o mais rápido possível, com o maior impacto possível. Então, nos ajude a ajudar todos vocês”, escreveu.

O GAME

‘Contagion VR: Outbreak’ é um first-person survival que se passa em um futuro pós-apocalíptico dominado por zumbis. As criaturas são bem assustadoras e se valem de ambientes bastantes escuros para criar um clima constante de medo, enquanto você vasculha vários tipos de ambientes em busca de armas e itens valiosos.

De acordo com o estúdio, você terá à disposição uma grande variedade de armas, granadas e armas brancas para se defender dos zumbis. Serão vários personagens, cada um com sua própria história para você descobrir.

Concorra a uma mídia digital de ‘Pixel Ripped 1989’ para Oculus Rift

O canal PSVR Brasil no YouTube vai sortear uma mídia digital (código de 25 dígitos) da Oculus Store para o jogo ‘Pixel Ripped 1989’, criado pela brasileira Ana Ribeiro e desenvolvido pelo estúdio Arvore Immersive Experiences. O sorteio será realizado nesta quinta-feira, 9 de agosto de 2018.

Clique no link abaixo e participe!

Sorteio de uma mídia digital do jogo PIXEL RIPPED 1989 (Oculus Store)

São seis maneiras de participar do sorteio. Quanto mais inscrições fizer, mais chances você tem de ganhar. Atenção: para utilizar o prêmio, é necessário ter uma conta na Oculus Store.

‘Pixel Ripped 1989’ é resultado de quatro anos de trabalho de Ana Ribeiro e o primeiro game da designer de jogos brasileira. Ele faz uma grande homenagem a games que marcaram as décadas de 1980 e 1990, como ‘Mega Man’, ‘Super Mario’, ‘Sonic’ e muitos outros.

Assista aqui ao nosso vídeo-review de ‘Pixel Ripped 1989’

Shooter ‘Kill X’ terá legendas em português e suporte à Aim Controller

O estúdio Viva Games divulgou recentemente novas informações sobre o shooter ‘Kill X’, incluindo o período previsto de lançamento, um novo trailer e alguns detalhes adicionais. O game será lançado no próximo inverno (período entre 21 de dezembro a 20 de março), terá suporte à Aim Controller e aos PS Moves, além de legendas em português.

Exclusivo do Playstation VR, o jogo foi incluído no ‘China Hero Project’, do qual também fazem parte ‘The Walker’ e ‘Animal Forces’. Esse projeto, realizado pela Sony, busca localizar para idiomas do Ocidente títulos desenvolvidos na China – um dos principais polos de conteúdo VR na atualidade. Assim, o game terá suporte ao português, inglês, francês, espanhol e russo, além de japonês e chinês tradicional e simplificado.

Uma demo do game foi disponibilizada na PS Store da China em outubro de 2016, mas nunca chegou às lojas do Ocidente. Lá, podemos experimentar um pouco da jogabilidade do game, que lembra bastante ‘Resident Evil’, com monstros assustadores em um ambiente escuro. A parte ruim é que as instruções estão todas em chinês e a jogabilidade está um tanto truncada – os monstros parecem não sentir os tiros.

[Se você ainda não jogou, confira aqui o link da demo. É preciso ter uma conta da China]

Para a versão do game, o estúdio promete liberdade total de movimento e você poderá escolher entre ataques silenciosos (no estilo “stealth”) ou sair por aí atirando, com armas como pistolas, submetralhadoras, escopetas, entre outras. Segundo o Viva Games, haverá ainda “intrincados” quebras-cabeças para você resolver.

A história gira em torno de uma “organização maligna” que realiza experimentos bizarros, resultando em criaturas que habitam cavernas na mais completa escuridão. Seu trabalho será enfrentá-las e descobrir a verdade por trás disso tudo.

Confira aqui o vídeo de apresentação do jogo (legendado em inglês)

Assista ao novo trailer de ‘Kill X’