Sony anuncia ‘Iron Man VR’, data de ‘Blood and Truth’, update VR grátis de ‘No Man’s Sky’ e muito mais!

A Sony fez várias revelações interessantes para o público VR hoje, durante a transmissão State of Play, realizada em seus canais oficiais no YouTube. A live começou logo de cara com ‘Iron Man VR’, jogo que está sendo desenvolvido pela própria Sony, a Marvel e o estúdio Camouflaj. Devido à fama dos jogos baseados em quadrinhos, o anúncio do jogo do Homem de Ferro deixou alguns jogadores de pé atrás, mas vamos aguardar pra ver o que sai dessa cartola, não é mesmo?

Confira aqui, no vídeo do canal PSVR Brasil, tudo o que rolou de VR na live da Sony:

Também foi anunciada a data de lançamento do aguardadíssimo shooter ‘Blood and Truth’, do London Studio. O jogo, exclusivo do Playstation VR, chega no dia 28 de maio deste ano. A stream trouxe um novo trecho de gameplay e cutscenes do jogo.

A transmissão também trouxe o anúncio do suporte VR a ‘No Man’s Sky – Beyond’, que já vinha sendo esperado há tempos pelos jogadores. O suporte será gratuito e está previsto para o verão americano (junho a agosto).

Outra revelação foi o anúncio de ‘Five Nights at Freddy’s VR’, primeiro jogo de terror em realidade virtual desta assustadora franquia. O jogo está previsto para a primavera de 2019 (março a junho).

Também foi anunciado o movo VR de ‘Concrete Genie’. Este é um jogo que, desde que vi pela primeira vez, fiquei comentando que deveria ser em VR, já que ele usa ferramentas de desenho como a gente vê em aplicativos do PSVR. O jogo está previsto para o outono de 2019 (setembro a dezembro).

Fora isso, foram confirmadas as datas de lançamento de sete jogos. Confira o resumo logo abaixo.

Tudo o que foi revelado durante a State of Play:
Iron Man VR – Novo jogo, anunciado para 2019
No Man’s Sky Beyond – Anunciado update gratuito para o PSVR, previsto para o verão de 2019 (junho a agosto)
Blood and Truth – Lançamento em 28 de maio de 2019
Mini-Mech Mayhem – Lançamento em 18 de junho de 2019
Jupiter & Mars – Lançamento em 22 de de abril de 2019
Falcon Age – Lançamento em 9 de abril de 2019
Trover Saves The Universe – Lançamento em 31 de maio de 2019
Everybody’s Golf VR – Lançamento em 21 de maio de 2019
Table of Tales – Lançamento em 16 de abril de 2019
Vacation Simulator – Lançamento em 18 de junho de 2019
Five Nights at Freddy’s VR – Novo jogo anunciado para a primavera de 2019 (março a junho)
Concrete Genie – Anunciado modo VR para o jogo, previsto para outono de 2019 (setembro a dezembro)

Terceiro disco demo do Playstation VR já está disponível na PSN. Baixe aqui!

A PS Store disponibilizou hoje o terceiro disco de demo do Playstation VR. São nove jogos ao todo e a única demo nova é de ‘Superhot VR’. Apesar de poucas novidades, trata-se da melhor seleção de jogos já vista em um disco de demo. O download é de 13 GB.

A relação de demos é encabeçada por ‘Astro Bot Rescue Mission’, aclamado como melhor jogo VR de 2018 – e, na minha opinião, o melhor jogo do Playstation VR até agora.

Outros sucessos de crítica e de público são ‘Job Simulator’, ‘The Persistence’, ‘Moss’ e ‘Thumper’. O disco traz também a demo ‘Kitchen’, de ‘Resident Evil 7’. É uma das minhas experiências preferidas para mostrar o VR aos amigos e dar aquele susto maneiro.

Já joguei a versão completa de todos esses games e colocaria facilmente todos eles em uma lista dos 30 melhores já lançados para o PSVR. Baixe o demo disc 3 e tire suas próprias conclusões!

As demos disponíveis são:
• Astro Bot Rescue Mission (Japan Studio)
• Battlezone (Rebellion)
• Headmaster (Frame Interactive)
• Job Simulator (Owlchemy Labs) *
• Moss (Polyarc)
• Resident Evil 7 – Kitchen (Capcom)
• Superhot VR (Superhot Team) *
• The Persistence (Firesprite)
• Thumper (Drool)
* Estes games só podem ser jogados com um par de Playstation Moves.

Baixe aqui o Demo Disc 3 do Playstation VR na PS Store do Brasil

Cada disco de demos do Playstation VR traz uma seleção diferente de jogos – alguns repetidos, é verdade.

O disco número 1 não está disponível na loja online brasileira – mas quem quiser pode baixar na PS Store dos Estados Unidos ou da Europa, por exemplo. Os links estão abaixo.

Baixe aqui o Demo Disc 2 na PS Store do Brasil

Baixe aqui o Demo Disc 1 na PS Store dos EUA

Não espere até amanhã: demo de ‘Eden-Tomorrow’ já está disponível na PSN da Austrália!

A demo de ‘Eden-Tomorrow’ já está disponível para download na PS Store da Austrália. A demo deve chegar amanhã nas Américas e Europa, mas quem tem uma conta australiana já pode testar a demonstração em primeira mão. O jogo ainda não tem data de lançamento.

Baixe aqui a demo de ‘Eden-Tomorrow’

Desenvolvido exclusivamente para o Playstation VR pelo estúdio Soul Pix, ‘Eden-Tomorrow’ é uma aventura de ficção científica que se passa em um planeta desconhecido. Inicialmente, seu lançamento estava previsto para a “primvavera de 2018”, mas já sabemos que isso não aconteceu.

De acordo com a descrição do game na PS Store Austrália, o game traz um recurso interessante: terá suporte ao Navigation Controller. Ou seja, quando for lançado, será o segundo jogo com suporte ao Navigation, já que, até agora, apenas o ‘Dream Match Tennis VR’ permite o uso do periférico criado originalmente para o PS3.

Ainda segundo a descrição, você pode jogar usando o Dualshock 4; ou o Move + Navigation; ou ainda o Dualshock 4 + Move.

Vamos testar em breve no canal PSVR Brasil. Inscreva-se no canal e fique ligado!

Assista ao trailer de ‘Eden-Tomorrow’

Demo gratuita de ‘Tetris Effect’ já está disponível na PS Store do Brasil. Baixe aqui!

Foi disponibilizada hoje na PS Store do Brasil a demo gratuita do jogo ‘Tetris Effect’ (Enhance Games), que será lançado no próximo dia 9 de novembro. Se você quiser testar o jogo em primeira mão, corra: a demo tem prazo de validade, que expira no dia 5 deste mês!

Clique aqui para baixar a demo!

Exclusivo do Playstation 4, ‘Tetris Effect’ é uma releitura do puzzle mais famoso de todos os tempos. A demo e o game completo poderão ser jogados tanto no Playstation VR quanto no PS4, nas telas convencionais, com resolução de 4K e 60fps.

O jogo já está em pré-venda, com 10% de desconto (válido até o dia 8 de novembro). O valor na pré-venda é de R$ 129,15, e o valor cheio, R$ 143,50.

Thriller psicológico ‘Anamorphine’ chega ao Playstation 4 sem suporte ao PSVR

O thriller psicológico ‘Anamorphine’, do estúdio Artifact 5, estava programado para ser lançado no início deste ano, mas sofreu um adiamento e acabou sendo lançado nesta terça-feira, 31, para Playstation 4 e PCs, mas sem suporte VR no console da Sony. Ainda não há data para o modo VR do PS4, mas nos PCs o suporte à realidade virtual foi incluído desde o lançamento, para HTC Vive e Oculus Rift.

O estúdio divulgou que está preparando um patch para consertar alguns problemas relatados por jogadores no modo VR do jogo. O update deve chegar já nesta quarta-feira, 1º de agosto. Em comunicado à imprensa, o estúdio afirma que “a equipe está ciente dos problemas e planeja lançar uma atualização amanhã para resolvê-los. Em outras palavras, se você planeja jogar o jogo em RV, recomendamos que espere até a atualização de amanhã para fazer isso”.

Os desenvolvedores divulgaram o e-mail support@artifact5.com para quem quiser relatar bugs e problemas encontrados no jogo. De acordo com a página do game na Steam, ‘Anamorphine’ tem suporte a controles de movimento, áudio original em inglês e legendas em cinco idiomas: português (Brasil), inglês, francês, alemão e espanhol.

‘Anamorphine’ custa R$ 61,50 (PS Store do Brasil) ou US$ 19.99 (PS Store EUA). O suporte VR será um update gratuito na versão já à venda na PSN. Recebemos uma cópia digital do jogo, gentilmente cedida pelo estúdio Artifact 5, e em breve traremos nossas primeiras impressões no canal PSVR Brasil no YouTube.

Na história, Tyler é um jovem em negação pós-traumática e revisita uma sucessão de eventos que definem o relacionamento dele com a esposa, Elena. Ela sofre um acidente que rouba dela o meio de vida e sua válvula de escape emocional. A confusão mental de Tyler distorce o passado dele enquanto tenta lidar. Contada sem diálogos nem botões de ação, a narrativa de ‘Anamorphine’ se desenvolve nas memórias oníricas de Tyler.

Assista ao trailer de ‘Anamorphine’

 

Programa oficial da Sony mostra gameplay exclusivo de ‘Beat Saber’ no PSVR

O aguardadíssimo ‘Beat Saber’ ainda não tem data de lançamento oficial no Playstation VR. Mas um vídeo divulgado hoje pelo canal oficial da Sony/Playstation no YouTube mostra que isso pode estar mais próximo do que a gente imagina. O vídeo faz parte do programa “Playstation Underground”.

Ainda em “acesso antecipado” no PCVR, o jogo rítmico-musical terá um editor de músicas dentro do jogo e algumas canções exclusivas, que não estão presentes na versão para os PCs.

Leia mais:
Dez coisas que você precisa saber sobre o aguardadíssimo ‘Beat Saber’

Assista ao vídeo abaixo:

 

Estúdio lança novo trailer de ‘Titanic VR’, que chega em agosto para o PSVR

Responsável pelo elogiado ‘Apollo 11 VR’, o estúdio Immersive VR Education divulgou hoje em seu canal no YouTube um novo trailer do game ‘Titanic VR’, que será lançado em agosto deste ano para Playstation VR, Oculus Rift, HTC Vive e Microsoft Mixed Reality. Com mais de 6 horas de gameplay, o jogo vai se passar em dois períodos distintos: o ano de 1912, quando o transatlântico fez sua fatídica viagem inaugural, e os dias atuais, quando os jogadores poderão explorar o local onde o navio afundou.

“Usamos mapas abrangentes para criar um modelo 3D realista do local do naufrágio. Usamos captura de movimento, tecnologia de varredura de rosto e dubladores profissionais para imergir os jogadores nessa história. Queríamos criar um retrato preciso dos eventos para que não fosse apenas educacional, mas também emocionalmente envolvente”, afirma David Whelan, CEO da Immersive VR Education.

Assista ao trailer de ‘Titanic VR’

[resumão] ‘The Walking Dead VR’ anunciado, ‘Detached’ adiado, ‘Sea of Memories’ lançado…

As notícias sobre o universo do Playstation VR estão pipocando desde ontem e resolvi fazer um resumão para trazer as informações de forma mais rápida para vocês. A primeira é que o estúdio Skydance Interactive anunciou ontem o primeiro jogo oficial de ‘The Walking Dead’ em realidade virtual: ‘Saints & Sinners’. O estúdio, responsável também por ‘Archangel’, ainda não deu muitos detalhes sobre o game – nem mesmo informou em quais plataformas ele estará disponível. Só sabemos que será em 2019. Até agora, a única imagem divulgada sobre ele é este pôster, que você confere abaixo:

walking dead1

A segunda notícia é sobre o game de exploração espacial ‘Detached’, que seria lançado hoje mas foi adiado novamente. Mas são poucos dias a mais de espera: o game chega ao Playstation VR na próxima terça-feira, 24. [Saiba mais sobre o jogo aqui]

Outra notícia do dia é o lançamento do puzzle ‘Sea of Memories’, do estúdio espanhol Ivanovich Games. O game traz um total de 100 quebra-cabeças em que você precisa alterar a perspectiva de observação dos objetos para poder solucionar. O jogo ainda não chegou nas PS Stores das Américas, mas foi lançado nas lojas online da Europa, Reino Unido e Austrália. O preço é de 9,99 euros.

Fechando nosso resumão, temos uma boa notícia para os fãs de ‘Mario Kart’. O estúdio Ivanovich Games aproveitou o lançamento de ‘Sea of Memories’ para anunciar que está trabalhando em um jogo bem parecido ao game de corrida da franquia ‘Mario’ em realidade virtual. O game se chama ‘Touring Karts’ e estará disponível em todas as plataformas VR. Ainda não temos data de lançamento nem imagens do jogo, mas o estúdio afirmou que terá novas informações para dar em setembro.

Japan Studio fará live de ‘Firewall Zero Hour nesta sexta-feira

O Japan Studio (primeiro estúdio de games da Sony) fará uma live nesta sexta-feira, 20, que terá como destaque o FPS tático ‘Firewall Zero Hour’, jogo aguardadíssmo da First Contact Entertainment. No horário de Brasília, a live está programada para começar às 8h da manhã.

Este aqui é o link para você assistir no canal oficial do Japan Studio

‘Firewall Zero Hour’ tem lançamento confirmado para o dia 28 de agosto e já está em pré-venda na PS Store. O game tem suporte à Aim Controller mas também poderá ser jogado no Dualshock 4.

Na mesma live, os membros do Japan Studio também vão mostrar jogos já lançados há algum tempo: ‘Animal Force’ e ‘Stifled’.

Assista ao trailer do game

‘Ace Combat 7: Skies Unknown’ pode ser adiado para 2019

É isso mesmo. Um dos games mais aguardados pelos jogadores de Playstation 4 e Playstation VR pode ser adiado novamente. Hoje, foi relançado o site japonês de ‘Ace Combat 7: Skies Unknown’ e um detalhe chamou a atenção: a capa do jogo, que você confere abaixo, traz informações de Copyright que sugerem que o simulador de voo será lançado apenas em 2019. Veja:

capa_ace

Na parte debaixo, é possível ler “(c) 2019 Bandai Namco Entertainment Inc.”, o que é um indício que o jogo seja lançado apenas em 2019. É bom lembrar que ‘Skies Unknown’ estava previsto inicialmente para o ano passado, mas acabou sendo adiado para 2018.

No entanto, é preciso enfatizar que estes rumores sobre um novo adiamento se baseiam em um material não finalizado, que pode sofrer alterações em sua versão final. Questionada sobre o assunto, a assessoria de imprensa da empresa informou ao blog que “a Bandai Namco Entertainment America Inc. não comenta rumores”, o que significa que a desenvolvedora mantém seu posicionamento sobre o lançamento ainda em 2018, como informado no próprio site oficial do game [neste link, você também pode conferir as imagens das capas do jogo usadas neste post].

Novas informações sobre o game devem ser divulgadas durante a Gamescom desse ano, que acontecerá de 21 a 25 de agosto. Lá, haverá uma demo para os visitantes testarem.

‘Skies Unknown’ é o primeiro título da franquia ‘Ace Combat’ em mais de dez anos – ‘Ace Combat 6: Fires of Liberation’ foi lançado em 2007, para XBox 360. O sétimo episódio da saga será lançado para XBox One, Playstation 4 e PCs, com modo VR exclusivo no PSVR. De acordo com os desenvolvedores, a campanha não estará disponível em VR, mas o conteúdo para realidade virtual inclui entre 12 e 15 horas de gameplay, em missões extras.

Assista ao trailer de ‘Ace Combat 7: Skies Unknown’

Inspirado em ‘Black Mirror’ e ‘Além da Imaginação’, ‘Torn’ chega ao PSVR em 28 de agosto

Foi revelada hoje a data de lançamento de ‘Torn’, descrito pela desenvolvedora Aspyr Media como um jogo de mistério e ficção científica sombrio. Segundo o estúdio, o game é  inspirado em séries como ‘The Twilight Zone’ (‘Além da Imaginação’ no Brasil) e ‘Black Mirror’.

O game será lançado para Playstation VR (PSVR) no dia 28 de agosto e já entrou em pré-venda na PS Store, com desconto promocional de 15%, saindo de R$ 91,90 por R$ 78,11 na PS Store BR (ou US$ 25,49 na PS Store EUA). Assinantes PS Plus ganham mais 5% de desconto. Para jogar, são necessários dois PS Moves.

No título, o jogador entra na pele da blogueira Katherine Patterson, que descobre uma mansão abandonada no interior de uma floresta esquecida. A mansão, cheia de máquinas intrigantes e experimentos bizarros, era o lar do Dr. Lawrence Talbot, considerado desaparecido há mais de 64 anos. Patterson vê a oportunidade de ganhar milhões com a maior história da sua carreira. Mas, quando ela encontra o Dr. Talbot em pessoa, vivo, preso em uma estranha dimensão e sem corpo físico, Patterson percebe que estava enganada. Esta história iria mudar não só sua carreira, mas sua vida.

O jogador pode esperar vários puzzles para desvendar no game. ‘Torn’ começa como um jogo de raciocínio narrativo e se desenrola em uma trama sombria com foco em personagem na medida em que você descobre a verdade sobre Talbot e a nova dimensão, chamada “O Paralelo”. Lembre-se de tudo o que testemunhar, pois a verdade não passa de uma invenção da mente.

Assista ao trailer de ‘Torn’ 

Exclusivo do PSVR, ‘Track Lab’ promete transformar qualquer pessoa em um DJ virtual

O canal oficial do Playstation no YouTube postou hoje o trailer de ‘Track Lab’, game musical que promete transformar qualquer pessoa em um DJ virtual. Desenvolvido pela Little Chicken Game Company, o game teve data de lançamento confirmada para o dia 22 de agosto e já está em pré-venda nas lojas online do Brasil (R$ 79,90), Estados Unidos (US$ 19,99), Europa (€ 19,99) e Reino Unido (£15.99). Quem comprar na pré-venda receberá um tema dinâmico do jogo, além de três avatars.

‘Track Lab’ é um título exclusivo do Playstation VR e, até o momento, é o único do gênero no headset de realidade virtual da Sony. “‘Track Lab’ tem uma abordagem única para a criação musical, tornando essa atividade divertida e fácil para qualquer um criar faixas originais. O jogo leva a criação de música para além de simplesmente remixar ou apenas fingir ser um DJ, inspirando-se em ferramentas profissionais de ponta e tornando-as divertidas e acessíveis a todos”, afirma o diretor criativo Tomas Sala, em artigo no PS Blog da Europa.

Assista ao trailer de ‘Track Lab’

Tomas Sala explicou também como funcionam as mecânicas básicas do game. “No jogo, você começa pegando amostras musicais e colocando-as no caminho de um ‘pulso’ ritmicamente sincronizado. Quando as amostras (samples) são atingidas pelo pulso, elas soam a sua batida. Basta combinar as amostras na grade cronometrada para formar loops e sequências e, desse jeito, você construiu uma batida matadora!”.

Com um kit de ferramentas intuitivo e amplo na ponta de seus dedos, todos os gêneros, como techno, hip-hop e rock, podem ser mixados para fazer sua faixa perfeita, segundo a sinopse oficial do jogo. Não é necessário ter experiência com música. Mas, se você precisar de uma mão para iniciar, o modo Evolver ensina padrões e construções musicais por meio da resolução de quebra-cabeças em diferentes gêneros musicais.

[sorteio + review] Concorra a uma mídia digital do aplicativo ‘Homestar VR’

O canal PSVR Brasil vai sortear uma key (mídia digital) do aplicativo ‘Homestar VR’, para Playstation VR (PSVR). Para participar, basta cumprir um ou mais passos na página de sorteios Gleam. O link está logo abaixo. Quanto mais inscrições fizer, mais chances você tem de ganhar. O sorteio será realizado no dia 19 de julho de 2018. Atenção: para utilizar o prêmio, é necessário ter uma conta da Playstation Store da Europa.

[Inscreva-se no sorteio clicando aqui]

Assista ao nosso review de ‘Homestar VR’

[Confira aqui nosso review escrito do aplicativo]

Jogo mais zoeiro do Velho Oeste chega ao Playstation VR na próxima terça-feira

O Playstation VR vai receber na próxima terça-feira, 17, o shooter ‘Hopalong: The Badlands’ (From the Future) que tem tudo para se tornar um dos jogos mais divertidos e zoeiros do headset de realidade virtual do PS4. Com gráficos em estilo cartoon, o game zomba com toda a tradição dos filmes de faroeste, eternizada por astros como Clint Eastwood e John Wayne.

Particularmente, o jogo me lembra um pouco o desenho ‘Pica-Pau’, que marcou boa parte da minha infância – e praticamente de todo mundo no Brasil. Afinal, quem não se lembra da cena do bandido montando em um cavalo de pau? Pois é exatamente isso que você vai fazer no jogo, sendo que o “cavalo” será um dos PS Moves. Na outra mão, fica o seu revólver.

Assista ao trailer de ‘Hopalong: The Badlands’

DETACHED

Na semana que vem, também chega ao Playstation VR o survival espacial ‘Detached’, que promete ser a experiência mais extrema do Playstation VR [saiba mais aqui]. O lançamento do jogo, como já noticiamos aqui, foi remarcado para o dia 19 de julho.

‘Pixel Ripped’ aparece de surpresa na PS Store e chega ao PSVR ainda neste mês

 

O game ‘Pixel Ripped 1989’ apareceu hoje de surpresa na Playstation Store – e já com data de lançamento. O jogo chega ao Playstation VR no dia 31 deste mês e já entrou em pré-venda, ao preço promocional de R$ 61,52 (20% de desconto) na loja online do Brasil (ou US$ 19,99 na loja norte-americana).

O game é um projeto pessoal da designer de games brasileira Ana Ribeiro, que conta no jogo sua paixão pelos vídeo-games clássicos, em especial os portáteis. O jogo usa o Dualshock 4 e se passa em duas realidades diferentes: a da jogadora chamada Nicola, uma estudante que se divide entre as aulas e os vídeo-games portáteis, e da heroína Dot, inspirada em ícones dos games como Mega Man e Link. O jogo foi desenvolvido por Ana Ribeiro em parceria com o estúdio brasileiro Arvore.

Na PS Store, o ‘Pixel Ripped 1989’ é descrito como “uma homenagem multi-dimensional aos primeiros anos dos games. O jogador embarca em uma jornada para dentro da tela de um videogame clássico e além. Situado na era dos consoles 8 bits, esse jogo dentro de um jogo segue as aventuras de Dot, uma personagem de videogame que tem o seu mundo ameaçado pelo Cyblin Lord, um vilão capaz de atravessar a barreira entre o mundo dos games e a vida real. Em ‘Pixel Ripped’, o jogador vive Nicola, uma aluna de segunda série que precisa ajudar a Dot a salvar as duas realidades dessa ameaça encarando desafios no mundo 2D de jogos retrô, ao mesmo tempo distraindo uma professora irritada e fugindo do temido diretor do colégio no mundo 3D”.

Assista ao trailer de lançamento de ‘Pixel Ripped 1989’, divulgado hoje

Assista ao primeiro trailer de ‘Pixel Ripped 1989’

OUTROS LANÇAMENTOS

Outros dois jogos chegaram hoje às lojas online das Américas: ‘Dream Match Tennis VR’ (já falamos sobre ele ontem aqui no blog), ao preço de R$ 45,90 (US$14,99), e ‘Animal Force’, que já estava disponível nas PS Stores da Europa e agora chega às Américas. Este último está com 20% de desconto para assinantes da PS Plus, saindo por R$ 39,60 (ou US$ 12,79).  ‘Animal Force’ é um multiplayer local para até quatro jogadores, em que o jogador com o headset pode enfrentar até três amigos em vários mini-games.

Assista ao trailer de ‘Dream Match Tennis VR’

 

 

Promoção traz ‘Skyrim VR’ a R$ 114 e descontos de até 80% para outros 50 jogos

A PS Store do Brasil iniciou hoje uma grande promoção, chamada de Promoção de Meio do Ano, que traz mais de 800 títulos em oferta, sendo 51 para o Playstation VR. Entre os jogos, estão ‘The Elder Scrolls V: Skyrim VR’, por R$ 114,95, além de ‘WipEout Omega Collection’ (R$ 51,93), ‘Bravo Team’ (R$ 112,42), ‘Farpoint’ (R$ 59,92), e ‘Rick and Morty: Virtual Rick-ality’ (R$ 62,70).

[Confira aqui um top 30 com os melhores jogos PSVR em promoção]

A promoção traz descontos extras para membros PS Plus. Para eles, os abatimentos são de até 80%. A oferta vai até dia 17 deste mês. É hora de renovar o estoque!

Na loja online dos Estados Unidos, são 58 títulos VR em promoção, já que alguns games para Playstation VR não estão disponíveis no Brasil. Entre eles, estão três jogos que valem a pena dar uma conferida: ‘Cold Iron’, ‘End Space’ e ‘Voltron VR Chronicles’.

[Clique aqui para ir à página da promoção na PS Store do Brasil]

[Click here to go to the Mid-Year Sale on PS Store US]

Confira a seguir a lista completa de jogos para PSVR

(Já com descontos extras para membros PS Plus – preços em reais)

Jogo com desconto de 80%
Dirt Rally VR (VR bundle) – R$ 38,38

Jogos com desconto de 70%
Bound – R$ 18,45
Here They Lie – R$ 18,45
Driveclub VR – R$ 23,97
StarBlood Arena – R$ 23,97
Rigs – Mechanized Combat League – R$23,97
Honor and Duty (Honra e Dever: Edição Arcade) – R$6,45
Dying: Reborn PSVR – R$ 10,77
Dying: Reborn Ultimate Bundle – R$ 23,07
Space Rift – Episode 1 – R$18,45
Super Stardust Ultra VR – R$18,45
Pixel Gear – R$ 11,85
Tumble VR – R$ 9,27
Weeping Doll – R$ 9,27 [confira o review aqui]
CastleStorm VR Edition – R$ 13,77
VR Ping Pong – R$ 13,77
Hustle Kings VR – R$ 23,99
Ace Banana – R$ 13,77

Jogo com desconto de 66%
The Invisible Hours – R$36,54

Jogos com desconto de 65%
PlayStation VR Worlds – R$27,96
The Assembly – R$32,16

Jogos com desconto de 60%
Arizona Sunshine – R$49,16
Statik – R$ 24,60 [confira o review aqui]
Bloody Zombies – R$ 18,36
Archangel – R$36,76
Mervils: A VR Adventure – R$24,60
Sneaky Bears – R$18,36
The Solus Project – R$24,60
No Heroes Allowed! VR – R$ 36,76
Stifled – R$ 36,90
Perfect – R$ 12,36
CubeWorks – R$ 12,36

Jogos com descontos de 55%
EVE: Valkyrie – Warzone – R$48,37
Sparc – R$27,67
Gunjack – R$6,97

Jogos com descontos de 50%
The Elder Scrolls V: Skyrim VR – R$114,95 [confira o review aqui]
Doom VFR – R$53,75 [confira o review aqui]
Sprint Vector – R$45,95 [confira o review aqui]
Mortal Blitz – R$30,75
Keep Talking and Nobody Explodes – R$22,95
Light Tracer – R$22,95

Jogo com desconto de 45%
Apex Construct – R$50,54 [confira o review aqui]

Jogos com desconto de 40%
Rick and Morty: Virtual Rick-ality – R$62,70
Rez Infinite – R$55,14
Shooty Fruity – R$36,90 [confira o review aqui]
Time Carnage – R$42,90

Jogo com desconto de 35%
WipEout Omega Collection – R$51,93

Jogo com desconto de 30%
Until Dawn: Rush of Blood – R$55,92

Jogos com desconto de 25%
Farpoint – R$59,92
Bravo Team – R$112,42
The Inpatient – R$59,92 [confira o review aqui]

Jogos disponíveis na PS Store dos EUA (mas que não estão disponíveis na loja online do Brasil)
* Os percentuais e preços abaixo não incluem o desconto extra de 10% para membros PS Plus
Cold Iron (40% – US$ 8,39) [confira o review aqui]
End Space (50% – US$ 9,99)
Voltron VR Chronicles (30% – US$ 6,99)
Monkey King (30% – US$ 3,49)
Time Machine VR (40% – US$ 17,99)
Hatsune Miku: Project Diva X (34% – US$ 19,79)
Catlateral Damage [apenas modo VR] (60% – US$ 3,99)

[review] Simples e intuitivo, ‘SculptrVR’ permite você criar suas próprias esculturas

Com mais de 5 metros de altura e 500 anos de história, a escultura ‘Davi’, de Michelangelo, é uma das obras mais imponentes da humanidade. Esculpida em mármore maciço, levou dois anos e meio para ficar pronta e, junto com outros trabalhos primorosos, ajudou a eternizar o artista italiano como um dos maiores gênios de todos os tempos. Se você tem alguma pretensão de aprender a arte deste grande mestre e criar suas próprias obras, acaba de ser lançado um aplicativo que pode diminuir enormemente seu esforço: ‘SculptrVR’, criado pelo desenvolvedor independente Nathan Rowe e SculptrVR Inc.

‘SculptrVR’ permite que artistas amadores e profissionais liberem sua imaginação e criem obras em 3D de maneira rápida, simples e intuitiva. O aplicativo não possui um tutorial, mas em apenas dez minutos você estará familiarizado com as principais ferramentas básicas, que são nove. O aplicativo usa dois PS Moves. Na mão esquerda fica a paleta de cores, ferramentas e o menu (girando o pulso). Na direita, seu “cinzel” virtual, que você usa também para esculpir. Se for canhoto, basta trocar os Moves de mão ou usar o menu para inverter.

‘SculptrVR’ é o segundo aplicativo de criação artística no PSVR e a comparação com o ‘CoolpaintrVR’ é inevitável, mas as diferenças são grandes. Apesar de ‘CoolpaintrVR’ também permitir você criar obras em 3D, as técnicas utilizadas são mais focadas na pintura mesmo. Em ‘SculptrVR’, por outro lado, você pode modelar e remodelar tudo aquilo que você está criando, com ferramentas que te permitem não só entalhar e aparar as arestas do seu trabalho. Ou seja, utiliza o princípio básico da arte de esculpir: transformar matéria bruta em obras de arte únicas.

O seu cinzel virtual pode ter várias formas e tamanhos, para que você possa fazer todo tipo de intervenção. E, para isso, pode mover e girar a peça da maneira que quiser, além de usar um zoom que aumenta em até 10.000x (!) o tamanho dos objetos. Não tem ideia do que é isso? Imagine uma formiguinha de 1 mm de altura. Multiplique por 10.000. Você estará diante agora de uma formigona com 10 metros de altura. Dá uma boa diferença, não? Isso é importantíssimo para poder trabalhar nos mínimos detalhes das obras de maneira bastante precisa. Aliás, precisão é uma das qualidades do aplicativo. O tracking responde muito bem e há até uma opção de incluir diferentes níveis de vibração, para que você sinta melhor o que está esculpindo.

SculptrVR_20180620005216

CLONAGEM

Outra função bastante útil é a de “copiar e colar”. Você pode criar objetos dentro de um cubo, na mão esquerda, e replicá-los quantas vezes quiser no seu trabalho. Tudo o que você cria pode ser pintado usando a cor que você quiser. A paleta é totalmente customizável e inclui tons brilhosos, foscos e “normais”.

‘SculptrVR’ também tem uma função em que você pode estabelecer diferentes camadas a cada um dos “pedaços” da sua criação, permitindo que você escolha entre três texturas que vão deixar a obra mais arredondada ou mesmo com um aspecto pixelado. As camadas também servem para que você trabalhe com diferentes objetos separadamente, impedindo que um interfira no outro contra sua vontade.

Caso erre ou desista de algo, há um botão para voltar. Mas, se mudar de ideia novamente, há outro botão para retornar ao que foi feito. Imagina Michelangelo com essas facilidades? Se quiser destruir tudo, ainda pode fazer de forma divertida: uma das ferramentas é um míssil que pode ser usado de vários tamanhos. Esses mísseis também podem ser usados para esculpir, como se fossem dinamites em uma pedreira.

O seu trabalho pode ser salvo para continuar posteriormente, com save no próprio HD do PS4. Por enquanto, não há opção para exportar para o pen-drive, mas os desenvolvedores garantiram que esta função estará disponível no primeiro update do aplicativo, ainda sem data para sair. Isso permitirá, por exemplo, que as obras virem realidade com o uso de impressoras 3D. Também deve ser incluída uma função para importar objetos e desenhos para servir como referência.

SculptrVR_20180620010058

GALERIA VIRTUAL

Para aqueles com talento ou coragem suficiente, o aplicativo permite que você compartilhe suas criações com os demais usuários, online. Atualmente, a galeria virtual traz 60 obras e é muito interessante olhar cada uma delas de perto para ver toda a potencialidade do aplicativo, em obras que dificilmente você conseguirá reproduzir (pelo menos no meu caso). ‘SculptrVR’ também traz obras de “demonstração”, uma melhor que a outra. As obras mostradas neste review são todas da galeria online – e ficam muito mais bonitas e incríveis “ao vivo”, dentro do aplicativo.

‘SculptrVR’ está em inglês e não tem suporte à língua portuguesa, mas isso não deve ser problema, já que as ferramentas vêm com ícones que mostram claramente para que cada uma serve. Também não possui música, deixando você livre para ouvir suas playlists do Spotify, se quiser.

Ah, para quem gosta de uma platina fácil, lamento informar que o jogo não tem platina, apesar de possuir troféus de bronze, prata e ouro.

SculptrVR_20180620005813

 


VEREDITO

‘SculptrVR’ oferece um excelente rol de ferramentas simples e intuitivas para quem quer se aventurar na arte da escultura sem gastar muito. Imagina fazer uma estátua de bronze sem gastar com bronze? Mesmo para quem não tem dons artísticos, com um pouco de dedicação e planejamento você pode criar trabalhos interessantes. A galeria online é uma ideia fantástica e vamos ficar esperando pelo update (já prometido) que possibilitará exportar os trabalhos e imprimi-los em 3D. Nota: 9,5/10.


INFORMAÇÕES TÉCNICAS
Título: ‘SculptrVR’
Gênero: Aplicativo
Estúdio: SculptrVR Inc. (http://sculptrvr.com)
Plataformas: Playstation VR (usado neste review), HTC Vive, Oculus Rift, Windows Mixed Reality, Google Daydream, Oculus GO e GearVR
Data de lançamento: 19 de junho de 2018
Preço: R$ 61,50 * (PS Store Brasil) | US$ 19,99 * (PS Store EUA)
Espaço em disco: 454 MB
Idioma: Inglês (sem suporte ao português)
Controles: 2 PS Moves (sem suporte ao Dualshock 4)
Jogadores: 1 (offline) | Sem modo online
* O aplicativo foi lançado com desconto especial de 10% para membros da PS Plus, saindo por R$ 55,35 (PS Store Brasil) ou US$ 17,99 (PS Store EUA). A oferta é válida só até o dia 26 deste mês.

[Este review foi feito usando o PS4 Pro, com mídia digital cedida pelo estúdio SculptrVR Inc.]

Assista ao trailer de ‘SculptrVR’

[review] ‘The Exorcist: Legion VR’ te coloca frente a frente com o “coisa ruim”

Lançado há mais de quatro décadas, ‘O Exorcista’ é um dos filmes de terror mais icônicos de todos os tempos. A cena da menina Regan possuída pelo capeta girando a cabeça e vomitando gosma verde já foi vista e revista por milhões de espectadores do mundo todo. Tamanho sucesso resultou em várias sequências, adaptações, cópias e mesmo paródias dos rituais de exorcismo. Em 1990, foi lançado ‘O Exorcista III’, dirigido pelo próprio autor do livro, William Peter Blatty, ignorando completamente o desastre que foi o segundo filme da franquia. É neste terceiro longa-metragem que é baseado ‘The Exorcist: Legion VR’, desenvolvido pelo estúdio Wolf & Wood Interactive e publicado pela Fun Train.

‘Legion’ é uma referência direta à obra de mesmo nome de autoria de Blatty, que daria título ao terceiro filme da franquia, mas foi deixado de lado por questões comerciais, à época do lançamento. No entanto, vale reforçar que ‘The Exorcist: Legion VR’ não é uma adaptação direta do filme, mas traz alguns elementos que o conectam ao longa-metragem. No game, você é um cético detetive da polícia de Boston chamado para resolver uma série de crimes envoltos em rituais macabros.

O game está sendo lançado em cinco capítulos, sendo que os três primeiros chegam agora ao Playstation VR. Você pode adquiri-los individualmente ou em um conjunto, com um desconto especial. Neste review, analisaremos apenas os três primeiros capítulos, chamados de ‘First Rites’, ‘Idle Hands’ e ‘Skin Deep’.

Antes de mais nada, avisamos aos brasileiros que o jogo não tem localização para português. O game está todo em inglês, sem opções de legenda. Saber o idioma é importante para compreender a história, através de uma série de documentos escritos que você vai encontrar pelo caminho, além de gravações e falas. Mas não saber a língua estrangeira não vai te impedir de seguir em frente e se assustar.

E o jogo assusta bastante. Apesar de o filme no qual é baseado ser mais um suspense policial do que um terror propriamente dito, ‘Legion VR’ puxa mais para o gênero que consagrou o primeiro ‘O Exorcista’. Mas, inteligentemente, o game não apela para os jump scares (quer dizer, não muito). Os sustos estão lá, com certeza. Mas o que cria um clima de tensão (e mesmo de pânico) constante são os cenários escuros, os efeitos sonoros, os barulhos, a ambientação macabra dos locais por onde você passa…

Some-se a isso gráficos primorosos, que não são vistos com tanta frequência no PSVR e que contribuem para uma sensação de imersão fantástica. Tudo é muito real e as imagens são bem nítidas. Você consegue ler quase todos os textos com facilidade (a única exceção que faço é quanto a um livro de anotações, que contém várias informações importantes, mas você não consegue ler, de tão borradas que estão).

legion1

AJUSTES E TUTORIAL

É importante ficar bem atento ao iniciar o game. Certifique-se de estar com o headset bem ajustado na cabeça, com os PS Moves (ou o Dualshock 4) nas mãos ao inicializa-lo. Isso porque o jogo pode identificar erroneamente sua altura e deixá-lo menor do que um anão. Caso isso aconteça, sugiro reiniciá-lo ou apagar o save – não encontrei forma de resolver o problema, já que o botão para resetar a visão (segurando o Options) não surte efeito.

Após ajustar a altura, o jogo te ensina as mecânicas básicas de movimentação e como utilizar o inventário. O jogo vem configurado com o uso de teleporte e giro em graus, mecânicas usadas para eliminar o enjoo de movimento (a famosa cinetose). Caso se sinta à vontade, você pode usar o smartphone localizado em seu inventário para selecionar o movimento livre e o giro livre.

Apesar de ser a forma preferida de locomoção da maioria dos jogadores, a movimentação livre tem alguns problemas no jogo. Houve algumas vezes em que fiquei preso em determinado elemento do cenário (uma cadeira, por exemplo) e só consegui sair depois que troquei a movimentação para o teleporte. Além disso, ela é lenta, mesmo escolhendo a maior velocidade disponível, e sempre que você se mexe aparece um “blinder” (uma vinheta que escurece todos os cantos da tela). Não há opção de tirá-lo, infelizmente.

Seja qual forma de locomoção você escolher, é preciso um certo tempo para se acostumar com os controles básicos. O jogo permite que você interaja com vários objetos espalhados pelos cenários. Alguns serão importantes para resolver os crimes, outros estão lá só para te distrair mesmo. Por causa disso, os PS Moves são a melhor escolha para jogar o game.

Para quem não tem os Moves, há a opção de jogar com o Dualshock 4. Desta maneira, sua mão esquerda fica fixa na altura da cintura e você controla a mão direita com o tracking do controle (se for canhoto, pode alterar esta opção no menu do smartphone).  Jogar com o controle não dá a mesma imersão dos Moves e te deixa “maneta”, já que só pode usar uma mão para segurar objetos e abrir gavetas, por exemplo. A única vantagem é a locomoção usando os direcionais.

legion2

VAMOS POR PARTES

Cada um dos capítulos de ‘The Exorcist: Legion VR’ traz uma história única, que vai se entrelaçando uma às outras. Cada um dura em torno de 20 a 30 minutos, que pode parecer pouco, mas é o suficiente para te deixar com aquele “cagaço”. Você seleciona os capítulos a partir da sala de detetives da delegacia. E prepare-se para ficar frente a frente com o “coisa ruim”, o “capeta”, o “tinhoso”, o “sete-peles”, o “cramunhão”, o “capiroto”, o “mochila de criança” ou como você queira chamá-lo (você vai querer chamá-lo?).

No primeiro capítulo, ‘First Rites’, você vai investigar a invasão a uma igreja, que culmina com a morte do padre responsável pelo local. Seu trabalho é coletar pistas e objetos pessoais do religioso, que vão formando o seu “kit de exorcismo”. Entre os objetos, temos água benta, spray de sal, uma espécie de candeeiro para iluminar o caminho e, claro, uma cruz. Esses itens são as únicas armas que você terá no jogo.

No segundo capítulo, ‘Idle Hands’, você é chamado para investigar o que aconteceu com uma professora que foi parar em um manicômio depois de flertar com o oculto. Seu corpo é coberto por tatuagens e cabe a você descobrir o que fazer para ajudá-la.

O terceiro capítulo, ‘Skin Deep’, se passa em uma casa aparentemente normal. Um casal teve um bebê, que está sendo atormentado por uma entidade maligna. Você deve procurar itens pelo quarto para entender o que aconteceu ali.

Ficar preso sem saber o que fazer em um desses capítulos é normal. Comigo aconteceu algumas vezes. O jogo dá algumas pistas sonoras quando você pega objetos importantes, mas cabe a você procurar por eles. Além disso, uma ação sua pode servir de “gatilho” para que algo aconteça, como abrir uma porta, por exemplo.

No smartphone, há uma “dica” que diz que você pode usar o GPS para localizar seu próximo objetivo. Não encontrei esse GPS nem no smartphone, nem no relógio. A instrução diz pra você apertar “o botão”, sem dizer qual botão é. Se alguém descobrir, por favor, deixe nos comentários que atualizarei o review.

Em termos de fator replay, ‘The Exorcist’ não tem muito a oferecer. Há apenas um nível de dificuldade, mas você pode repetir os capítulos usando o menu (que fica na própria sala de detetives da delegacia). Um desafio extra é “completar o artefato” de cada capítulo. O jogo também tem troféus, mas não possui platina. Provavelmente, o melhor fator de replay do jogo seja chamar seus amigos para jogar e tomar uns bons sustos. =D

legion3


VEREDITO

Com gráficos muito bem feitos e realistas, ‘The Exorcist: Legion VR’ cria uma atmosfera de terror fantástica e cumpre bem com seu objetivo. Há alguns poucos problemas técnicos, que podem ser contornados com updates futuros. Apesar de curtos, os capítulos são intensos e assustam de verdade. Pelo preço que é cobrado, acaba sendo justo. Se você está procurando um “intensivão” de terror, acabou de encontrar. Nota: 9/10.


INFORMAÇÕES TÉCNICAS

Título: ‘The Exorcist: Legion VR’ (capítulos 1 a 3)
Gênero: Terror
Estúdio: Wolf & Wood Interactive/Fun Train (www.exorcistlegion.com)
Plataformas: Playstation VR (usada neste review), Oculus Rift e HTC Vive
Data de lançamento: 19 de junho de 2018 (PSVR)
Preço: R$ 21,50 (por capítulo) ou R$ 91,90 (Série Completa, incluindo os capítulos 4 e 5, ainda não lançados)
Espaço em disco: 2,68 GB (capítulo 1) | 1 GB (capítulos 2 e 3 – cada)
Idioma: Inglês (áudio e interface) | Sem suporte ao português
Controles suportados: 2 PS Moves (recomendado) e Dualshock 4
Jogadores: 1 (offline) | Sem modo online

[Este review foi feito no PS4 Pro, com mídia digital cedida pela Wolf & Wood Interactive e Fun Train]

Assista ao trailer de ‘The Exorcist: Legion VR’ (capítulos 1 a 3)

‘SculptrVR’ chega ao Playstation VR na próxima terça-feira

A Sony/Playstation divulgou hoje o trailer do aplicativo ‘SculptrVR’, que será lançado na PS Store na próxima terça-feira, dia 19 de junho. Aos moldes de ‘CoolpaintrVR’, o aplicativo permite você criar verdadeiras obras de arte em 3D, usando seu headset de realidade virtual.

Em um artigo publicado no Playstation Blog, o criador do aplicativo, Nathan Rowe, conta quais as funcionalidades que o ‘SculptrVR’ possui e o que os jogadores podem esperar. Para ler, clique aqui (em inglês).

Assista ao trailer de lançamento de ‘SculptrVR’

Projeto da Sony circulará por 13 cidades do Brasil levando o Playstation VR

Quase todo mundo que tem o Playstation VR concorda: não há melhor maneira de vender o produto do que fazer o próprio consumidor experimentá-lo. A primeira vez com o headset de realidade virtual do Playstation 4 é inesquecível. Você se impressiona até com os menus, todos com 360º e com uma imersão que você nunca tinha visto antes no mundo dos consoles.

Pois bem, não é que a Sony do Brasil comprou a ideia? A empresa anunciou hoje, na versão nacional do Playstation Blog, o projeto “Playstation na Estrada”, “uma iniciativa inédita no Brasil que traz até você a emoção dos seus games favoritos!”, resume o PS Blog.

A partir do dia 16 de junho (próximo sábado), um caminhão circulará por 13 cidades de quatro estados do Brasil, começando por São Paulo, levando seis estações de games nas quais os visitantes poderão jogar à vontade. Uma delas será dedicada exclusivamente ao Playstation VR.

O PS Blog não detalha nada sobre preços, mas dá a entender que será tudo gratuito. “E tem mais, teremos uma série de brindes para aqueles que comparecerem!”, diz o texto.

A primeira parada do “Playstation na Estrada” será em São Paulo (capital), seguindo por Campinas e Santos. Segundo o blog, “mais cidades a serem confirmadas em breve”.

estrada2

Confira o calendário divulgado até agora

São Paulo – 16/06, das 11h às 20h

Local: Shopping Center 3, Av. Paulista 2064

Campinas – 22/06 a 24/06, das 11h às 19h*

Local: Rua Castro Alves, 508 (em frente à Miami Store)

Santos – 28/06 a 30/06 (horário a definir)

Av. Pedro Lessa, 2098 (em frente à Moove Games)

* O horário na sexta-feira, dia 22, é das 12h30 às 20h30

 

Vídeo faz resumão dos jogos para Playstation VR mostrados na E3. Assista!

A Playstation Europe publicou hoje um vídeo que destaca os principais jogos para Playstation VR mostrados na E3 2018, que termina hoje, na cidade de Los Angeles (EUA). Em menos de dois minutos, o vídeo resume os jogos para PSVR que deverão chegar ainda este ano e no decorrer de 2019 e mostra jogadores nos estandes da Sony e das respectivas produtoras testando o game com o headset do Playstation 4.

Entre os jogos, estão títulos aguardadíssimos, como ‘Blood & Truth’, ‘Astro Bot – Rescue Mission’, ‘Beat Saber’, ‘The Persistence’, ‘Wolfenstein: Cyberpilot’ e muitos outros. Sem qualquer narração, o vídeo também mostra jogadores usando o periférico Aim Controller (ainda um artigo de luxo para muitos) em games como ‘Firewall: Zero Hour’ e ‘Evasion’.

Assista ao vídeo do Playstation VR na E3

Vídeos da Sony trazem mais detalhes sobre 17 novos jogos para PSVR. Veja!

Como a Sony já tinha avisado, sua conferência na E3 seria focada nos seus quatro grandes títulos que estão sendo produzidos para o final de 2018 e ao longo de 2019 (‘The Last of Us: Part II’, ‘Ghost of Tsushima’, ‘Spider-man’ e ‘Days Gone’). Durante a conferência, muito pouco foi mostrado e quase nada foi falado sobre os games para Playstation VR, o que decepcionou quem investiu pesado neste caro acessório.

No entanto, a Sony está mostrando que vai manter o suporte ao seu headset de realidade virtual: só na última semana, no período pré-E3 e durante o evento, postou nada menos do que 21 vídeos sobre novos jogos para PSVR em seu canal oficial no YouTube.

Entre os vídeos, temos entrevistas, gameplays e trailers de 17 jogos, sendo que a metade deles foi revelada na E3 2018 (ou no período pré-E3). São eles: ‘Trover Saves the Universe’, ‘Ghost Giant’, ‘Tetris Effect’, ‘Arca’s Path’, ‘Table of Tales: The Crooked Crown’, ‘Space Pirate Trainer’, ‘Déracine’ e ‘Beat Saber’.

Outros oito jogos já haviam sido anunciados antes, mas agora tivemos acesso a alguns detalhes sobre os títulos, além de demonstrações de gameplays. O jogo de plataforma ‘Astro Bot: Rescue Mission’, por exemplo, terá entre 8 e 10 horas de duração, como informam os produtores da Japan Studio. Em outra entrevista, o criador de ‘Rez: Infinite’, Tetsuya Mizuguchi, conta que já tinha planos de adaptar ‘Tetris’ há 15 anos, para o PSP. Como não conseguiu liberação dos direitos autorais, lançou ‘Lumines’. Perguntados sobre a data de lançamento de ‘Firewall: Zero Hour’, um dos desenvolvedores da First Contact Entertainment diz que não pode revelar agora, mas que será “muito, muito, muito, muito, muito em breve”.

Confira a seguir os vídeos (as entrevistas estão em inglês).

ENTREVISTAS E GAMEPLAYS

‘Vacation Simulator’ – Entrevista e demo gameplay

‘Firewall: Zero Hour’ – Entrevista

‘Creed’ – Entrevista

‘Evasion’ – Entrevista

‘Trover Saves the Universe’ – Entrevista

‘Dreams’ – Demo gameplay

‘Dreams’ – Preview


TRAILERS

‘Gungrave VR’

‘Transference’

‘Arca’s Path’

‘Table of Tales: The Crooked Crown’

‘Space Pirate Trainer’

‘Jupiter & Mars’

‘Trover Saves the Universe’

‘Déraciné’

‘Beat Saber’

‘Ghost Giant’

‘Tetris Effect’

Promoção Days of Play terá 44 títulos de PSVR em oferta. Veja a lista!

O Playstation Blog da Europa divulgou uma lista de jogos que estarão em promoção na PS Store durante a promoção Days of Play, que começa nesta sexta-feira, 8. Ao todo, a relação traz 44 títulos, incluindo games como ‘WipEout Omega Collection’, ‘Arizona Sunshine’, ‘The Inpatient’, ‘Raw Data’, ‘Doom VFR’, ‘Bravo Team’, ‘Farpoint’, ‘Resident Evil 7’ e muitos outros. O PS Blog não informou quanto será o desconto em cada jogo, mas o post diz que os descontos serão de até 60%.

É possível que haja diferenças com relação aos jogos que serão disponibilizados na PS Store do Brasil, mesmo porque há uma diferença de catálogos (alguns jogos não estão disponíveis na PS Store do Brasil). Mas a lista serve de referência também para nós, já que esta é uma ação mundial da Sony, marcando o período da E3 2018. A promoção vai até o dia 18 de junho e inclui ainda descontos nas lojas físicas para o Playstation VR, consoles, controles, bundles e jogos.

Confira aqui a relação de todos os jogos em promoção (VR e não-VR)

Confira a lista de jogos para Playstation VR que estarão em promoção:

Gran Turismo Sport [modo VR apenas]
Gran Turismo Sport Digital Deluxe Edition [modo VR apenas]
Tekken 7 [modo VR apenas]
Doom VFR
Batman: Arkham VR
Resident Evil: 7 Biohazard
Resident Evil: 7 Biohazard – Gold Edition
Resident Evil: 7 Biohazard – Season Pass
PlayStation VR Worlds
Ark Park
WipEout Omega Collection
Robinson: The Journey
Driveclub VR
Until Dawn: Rush of Blood
Surgeon Simulator: Experience Reality
Arizona Sunshine
Eagle Flight
Paranormal Activity: The Lost Soul
Farpoint
Sprint Vector
Star Trek: Bridge Crew
Thumper
I Expect You To Die
Here They Lie
Keep Talking and Nobody Explodes
RIGS Mechanized Combat League
The Inpatient
Carnival Games VR
Carnival Games VR: Alley Adventure
EVE: Valkyrie
Bravo Team
Tumble VR
Raw Data
Super Stardust Ultra VR
Apollo 11 VR
Megaton Rainfall
The Assembly
Sparc
Perfect
The Solus Project
Shooty Fruity
StarBlood Arena
Bloody Zombies
Time Carnage

Estúdio confirma data de lançamento de ‘Exorcista’ para o PSVR

A equipe responsável pelo game ‘The Exorcist: Legion VR’ confirmou hoje a data de lançamento do game para o Playstation VR (PSVR). O título, baseado na franquia de terror ‘O Exorcista’, será lançado no dia 19 de junho, nas PS Stores da América do Norte e Europa (Ásia virá um pouco depois). O jogo tem suporte para o Dualshock 4 e para os PS Moves.

Inicialmente, serão disponibilizados três dos cinco capítulos já existentes do game, ao preço de US$ 6,99 por capítulo (“quase o custo de um sanduíche”, diz o estúdio). O comunicado do The Exorcist: Legion VR Team avisa ainda que os capítulos 4 e 5 serão lançados neste verão (dos Estados Unidos). “Cada episódio vai oferecer uma locação completamente única, novos upgrades para o seu kit de exorcismo e uma série de terrores adicionais”.

Junto com o anúncio, o estúdio divulgou o trailer dos três capítulos iniciais.

Confira o trailer de ‘The Exorcist: Legion VR’ para PSVR

Qual “jogo muito aguardado” a Sony vai anunciar? Participe do bolão e concorra!

A Sony anunciou recentemente que vai divulgar a partir desta quarta-feira, 6, três novos jogos para o Playstation VR, com destaque para um “jogo muito aguardado”. Para movimentar os jogadores, ansiosos por este anúncio que pode ser algo do mesmo nível de ‘Resident Evil 7: Bio Hazard’, vamos fazer um “bolão” aqui no blog. O primeiro a acertar qual o “jogo muito aguardado” será anunciado neste domingo, 10 de junho, vai ganhar um cópia digital (key) da experiência VR ‘RollerCoaster Legends’, oferecida pelo estúdio WarDucks.

Para participar as regras são simples:

1. Inscreva-se aqui no blog PSVR Brasil.
2. Comente no post com o review do game ‘RollerCoaster Legends 2: Thor’s Hammer’ qual “jogo muito aguardado” você acha que a Sony anunciará neste domingo, dia 10 de junho, às 12h.
3. Será aceito apenas um palpite por inscrito. Ao comentar, deixe sua ID PSN para que possamos entrar em contato.
4. O primeiro a acertar o palpite será o vencedor.
5. Só serão aceitos os palpites dados até as 11h deste domingo, dia 10 de junho de 2018.
6. Para utilizar o prêmio, é necessário ter uma conta da PSN dos Estados Unidos.

Atenção: não será aceito mais de um palpite por inscrito, nem palpites feitos no Facebook, YouTube, Orkut ou em qualquer outro local que não seja a área de comentários do review do game ‘RollerCoaster Legends 2: Thor’s Hammer’. O prêmio é uma cópia digital do primeiro ‘RollerCoaster Legends’, lançado em dezembro de 2017.

Boa sorte a todos!

[review] Embarque na mitologia nórdica em ‘RollerCoaster Legends II’

Com o crescente interesse pela mitologia nórdica, embalado pelo estrondoso sucesso de ‘God of War’, é natural o surgimento de novos games focados nesse tema. O estúdio WarDucks não perdeu muito tempo e acaba de lançar ‘RollerCoaster Legends II: Thor’s Hammer’, sua segunda experiência de montanha-russa para o Playstation VR, trazendo algumas melhorias em relação ao primeiro título.

Confira aqui o review do primeiro ‘RollerCoaster Legends’

A bordo de um carrinho com jeitão de barco viking, você atravessará alguns dos reinos que compõem a mitologia nórdica e ficará bem perto de seres que a habitam, como trolls, gigantes, valquírias, deuses e dragões. Os cenários replicam paisagens dos reinos de Alfheim, Helheim e o gélido Niflheim. Durante o percurso, você é acompanhado por Loki, que roubou o martelo de Thor.

A imersão é fantástica, com gráficos bem feitos, sem serrilhados ou borrões (reforçando que testei o título em um Playstation 4). A sensação de velocidade é bem maior que a do primeiro título. As curvas estão mais acentuadas e as quedas, também. Pena que dure pouco: o jogo-experiência leva cerca de sete minutos.

Mas desta vez há um fator de replay, já que, após terminar a experiência pela primeira vez, você libera um modo “challenge”. Nele, o desafio é coletar 50 itens amarelos que vão aparecendo pelos cenários. Para isso, você usará um par de PS Moves ou o Dualshock 4. Com os moves, você terá uma arma em cada mão e pode atirar em alvos diferentes. Com o Dualshock, terá apenas uma arma, mas ela vem em forma de lâmina de machado (alguém sacou a referência?).

Além de atirar nos itens colecionáveis, você também pode disparar nos elfos que ficam te jogando flechas, bem ao longe. Aliás, eles ficam tão distantes que é difícil identificar o que eles são de verdade. Como é que eu sei que são elfos? Intuição, meu caro Legolas.

Matar os elfos não influencia em nada, mesmo porque as flechas que eles disparam passam bem longe de você. Portanto, se quiser pegar todos os colecionáveis é bom guardar a “energia” da sua arma, pois ela acaba após um certo tempo de uso e é preciso esperar até que ela recarregue.

No geral, o modo “challenge” é uma boa adição à experiência. Como o próprio nome diz, serve como desafio. Mas, para os platinadores, lamento informar que não há troféus para conquistar. O jogo também não tem suporte ao português, mas isso não faria qualquer diferença, já que não há diálogos ou qualquer coisa do tipo.

roller2

NO BALANÇO DO BARCO

‘RollerCoaster Legends’ é uma experiência que preza pelo bem-estar físico dos jogadores. Mesmo sendo veloz e intenso, o game usa algumas “artimanhas” para evitar o desconforto do jogador. Por exemplo: nas descidas, a sua visão parece se recentralizar para se adequar às mudanças nos trilhos, evitando um movimento mais brusco e nauseante.

Isso faz com que o título seja quase livre de enjoo de movimento. Na tela inicial, também é possível adicionar uma vinheta (em inglês, costumam chamar de “blinder”), que escurece as bordas da tela – eles vêm em duas opções. Por estas características, ‘RollerCoaster Legends 2’ (assim como o primeiro), é perfeito para você apresentar seu PSVR para amigos ou familiares.

No entanto, ainda sinto falta de opções mais “hardcore”, para quem não sofre de cinetose (o tal enjoo de movimento). Por isso, para quem está mais acostumado à realidade virtual, recomendo experimentar o título de pé. Dá uma emoção a mais.

Além disso, desta vez achei o encontro com seres mitológicos menos emocionante do que na versão grega do primeiro ‘RollerCoaster Legends’. Você vai passando enquanto os seres vão aparecendo ao lado. Acho que faltou ficar mais “frente a frente” com eles.

roller3

VEREDITO

‘RollerCoaster Legends II’ é uma ótima experiência de montanha-russa em realidade virtual, bem melhor do que as disponíveis no Youtube. A adição do modo “challenge” aumenta um pouco o tempo de gameplay, mas não há dúvida de que se trata de um título para jogar poucas vezes. A graça mesmo está em deixá-lo à disposição dos amigos e familiares, como uma porta de entrada ao fantástico mundo da realidade virtual. Nota: 9/10.

INFORMAÇÕES TÉCNICAS

Título: ‘RollerCoaster Legends II: Thor’s Hammer’
Estúdio: WarDucks (www.warducks.com)
Gênero: Jogo-experiência (montanha-russa)
Data de lançamento: 5 de junho de 2018
Plataformas: PSVR (utilizada neste review), Oculus Rift e HTC Vive
Preço: R$ 18,50 (PS Store BR) | US$ 5,99 (PS Store EUA)
Espaço em disco: 1,9 GB
Idioma: Inglês (interface – a experiência não tem diálogos)
Controles suportados: Dois PS Moves (recomendado) ou Dualshock 4
Jogadores: 1 (sem modo online)

[Este review foi feito no Playstation 4 Pro, com uma cópia digital cedida pela WarDucks]

Assista ao trailer de ‘RollerCoaster Legends II: Thor’s Hammer’

[review] Quem não tem ‘Beat Saber’ caça com ‘Happy Drummer’

O Playstation VR ainda não dispõe de um título à altura de um ‘Guitar Hero’ ou um ‘Rock Band’, o que é uma pena para quem gosta de games musicais deste tipo. Enquanto o aguardadíssimo ‘Beat Saber’ não chega, alguns títulos tentam cumprir essa lacuna. Com ‘Happy Drummer’, o estúdio chinês Lusionsoft oferece uma experiência que, apesar de não contar com músicas conhecidas, não deixa de ser divertido.

Para jogar os antigos games musicais da era Playstation 3, você precisava comprar instrumentos de plástico que imitavam guitarras, baixos e baterias. Um kit completo do icônico ‘Rock Band Beatles’ ultrapassava facilmente a casa dos R$ 1 mil. Para jogar ‘Happy Drummer’, você precisa apenas de um par de PS Moves e, claro, do seu PSVR, que suponho que você já tenha. Já começou a ver vantagem, né?

No game, seus instrumentos são virtuais. Os PS Moves transformam-se nas baquetas, bem primitivas por sinal, feitas de osso e madeira. Em termos de tracking, não há o que reclamar. Os controles funcionam bem e respondem perfeitamente ao movimento das suas mãos. Segundo a página do jogo na PS Store, também é possível jogar com o Dualshock 4, mas confesso para vocês que não testei, porque não vejo sentido em jogar este título com controle.

O game possui três tambores básicos, em dois cenários diferentes (dia e noite). Os tambores mudam de acordo com o cenário, assim como a seleção musical. São quatro músicas para o dia e outras quatro para a noite. E cada música tem três níveis de dificuldade (“normal”, “hard” e “lunatic”). O jogo não possui uma campanha propriamente dita, mas você só consegue liberar a próxima música se receber pelo menos a nota “Good” na anterior.

Os tambores mudam um pouco de acordo com o cenário. No cenário diurno, o tambor do meio é uma espécie de bumbo (instrumento de percussão grande), que permite uma nota diferenciada, em que você bate na lateral. Aliás, falando em notas percussivas, o jogo possui três tipos: a nota básica (em forma de seta), que você usa apenas uma baqueta; a nota dupla (em forma de estrela), que você usa as duas baquetas no mesmo tambor); e a nota em que você bate na lateral (esta vem em forma de círculo) e é exclusiva do bumbo.

O cenário noturno não possui o bumbo, o que o torna um pouco mais fácil para iniciantes. Durante as músicas, em alguns trechos, sua visão gira para alcançar outros quatro tambores que estavam nas suas costas. São quatro tambores ao todo, feitos de osso ou pedra.

É importante ressaltar que cada tambor do jogo soa de maneira diferente, de acordo com a posição dele. O mesmo vale para as notas duplas e as notas “na beirada” do bumbo. ‘Happy Drummer’ possui ainda um modo para você tocar livremente, sem ter que obedecer a notas em posições específicas. Estranhamente, este modo vem com 12 músicas, quatro a mais do que as oito do modo principal.

happy4

VISUAL

Os dois cenários de ‘Happy Drummer’ remetem a algum lugar perdido no tempo, com características marcadamente primitivas. Totens, estruturas de pedra e elementos naturais aparecem lado a lado de vários tipos de animais, pré-históricos ou não, e até um grego (!). No centro disso tudo, você e sua tribo de selvagens que gostam de curtir um som.

Nessa “balada”, quem comanda a festa é uma espécie de xamã (ou pajé, no bom português), que, lá do céu, atira as notas pra você. O seu “timing” de atingir as notas no tempo certo vai determinar sua nota final, mas o sistema de pontuação do jogo não é muito claro. No fim, você recebe sua nota e pode escrever seu nome ou desenhar o que quiser em uma tábua.

O jogo possui um estilo gráfico bem simples. Os modelos dos “tribalistas” são um pouco esquisitos – além de serem todos “gêmeos”, parece que lhes falta vida. Talvez eu tenha ficado com essa impressão porque eles são todos iguais mesmo, se movem de maneira estranha e estão sempre de óculos escuros. Seria uma homenagem a Carlinhos Brown? Ajayô!

Os cenários, em contrapartida, são bem desenhados, não possuem serrilhados visíveis e tudo é bem definido (destacando que testei o game no Playstation 4 Pro). Os animais também são bem desenhados e ajudam a dar mais vida ao game.

Faço uma ressalva quanto à disposição das notas. Elas são jogadas “no ar” e seguem apenas linhas imaginárias. Não há qualquer elemento gráfico que ajude você a identificar mais facilmente qual tambor você deve acionar. Fazendo uma comparação, no ‘Guitar Hero’, por exemplo, cada nota tem uma cor (verde, amarela, azul e assim por diante). Em ‘Happy Drummer’, a cor e a forma das notas mudam apenas de acordo com o seu tipo (a seta é branca ou rosa, a estrela é verde e o círculo, amarelo). Nas dificuldades mais altas, em que as notas vêm muito mais rápido, é muito comum se confundir.

Apesar de não ter canções conhecidas, o título possui músicas agradáveis de se tocar. Mas nada mais que isso. Cada música dura em torno de 2 minutos e usa elementos percussivos primitivos ao lado de instrumentos modernos, como o piano, por exemplo. Os efeitos sonoros replicam bem os sons da “vida real”, mas algumas coisas, estranhamente, não fazem barulho.

O jogo não tem suporte para o português, mas isso não vai atrapalhar quem não sabe inglês. A interface do game tenta evitar ao máximo o uso de palavras e as músicas, por exemplo, são identificadas por símbolos. As poucas palavras que você vai ler são expressões como “Good”, “Great”, “Try again”, assim como os três níveis de dificuldade. Isso, de certa forma, torna o jogo mais “universal”. Mas também gera um pouco de confusão na hora de entender os menus.

happy2

VEREDITO

Para quem gosta de jogos musicais, ‘Happy Drummer’ é uma boa opção à ausência de títulos rítmicos mais esperados/sonhados pelos jogadores, como ‘Guitar Hero’, ‘Rock Band’ e ‘Beat Saber’, este ainda exclusivo do PCVR. O game da Lusionsoft possui um bom nível de desafio e diverte com suas músicas alegres. Apesar da pouca quantidade de canções, ainda assim possui um bom valor de replay, com três diferentes níveis de dificuldade. O tracking responde bem, o que é fundamental em um jogo deste tipo, que exige precisão nos movimentos. Eu gostaria de ver um pouco mais de variedade, mas o preço cobrado na PS Store me parece justo ao que está sendo oferecido. Nota: 7/10.

INFORMAÇÕES TÉCNICAS

Título: ‘Happy Drummer’
Estúdio: Lusionsoft (www.lusionsoft.com)
Gênero: Musical
Plataformas: Playstation VR (usada neste review) e HTC Vive
Data de lançamento (no Ocidente): 6 de fevereiro de 2018
Preço: R$ 30,90 (PS Store Brasil) | US$ 9,99 (PS Store EUA)
Espaço em disco: 885 MB
Idiomas: Inglês (sem suporte ao português)
Controles suportados: Dois PS Moves (recomendado) ou Dualshock 4
Jogadores: 1 (offline) | Sem modo online

[Este review foi feito usando o Playstation 4 Pro, com mídia digital cedida pelo estúdio Lusionsoft]

Quer uma segunda opinião? Confira o review do canal Moso PSVR:

[review] Resolva puzzles e ajude a encontrar um cãozinho perdido em ‘Along Together’

Depois do curto mas inteligente ‘Floor Plan’, o estúdio Turbo Button está de volta ao Playstation VR com mais um puzzle: ‘Along Together’. Desta vez, seu objetivo é ajudar uma criança a encontrar seu cachorrinho perdido, o buldogue Rishu. As interações entre você, a criança e o “catioro” dão um charme especial ao jogo, disponível em todas as plataformas de realidade virtual.

Logo no menu principal, você pode escolher entre controlar uma menina ou um menino (opção que não fará diferença no gameplay). Além de movimentar a criança, você vai usar o Dualshock 4 para controlar o “amigo imaginário” dela, em uma visão em primeira pessoa. Mas a perspetiva do jogo é em terceira pessoa, na qual você pode observar sua personagem em uma espécie de mundo em miniatura.

Os quebra-cabeças consistem em usar a mão do “amigo imaginário” para mover estruturas específicas do cenário para permitir que a criança siga em frente na sua busca pelo danado do cachorro. É fácil de identificar o que pode ou o que não pode ser movido e algumas estruturas permitem mais de um tipo de interação, o que aumenta as possibilidades de resolução dos problemas.

O jogo é dividido em três áreas, com cinco fases cada uma. A primeira dessas áreas, a floresta, traz pouca dificuldade e é praticamente um “passeio no parque”. As coisas começam a complicar mesmo na segunda área, as cavernas. Existem vários bloqueios pelo caminho e você vai usar coisas como blocos, carrinhos de mina e muitos trilhos para resolver os puzzles. O terceiro cenário é o ferro-velho e os quebra-cabeças ficarão cada vez mais intrincados. Para resolvê-los, você usará guindastes, automóveis e ímãs gigantes, entre outras coisas.

along3

É PRA CRIANÇA?

Essa é uma pergunta que fica no ar ao jogar ‘Along Together’. A temática do game é infantil, assim como o visual, com traços que lembram um desenho animado para crianças. O gameplay também é bastante lúdico, lembrando brinquedos de montar/desmontar. No entanto, a partir da segunda área as coisas complicam em termos de desafio, o que me deixa em dúvida se os pequeninos conseguirão resolver problemas mais intrincados.

Na PS Store, a classificação é livre para todas as idades, mas todo jogador sabe que o Playstation VR vem com um aviso (repetido inúmeras vezes) de que não pode ser usado por crianças menores de 12 anos. Mas não é um impeditivo. Também não é um impeditivo que adultos de todas as idades joguem e curtam o game, revivendo coisas da sua infância. Afinal, quem nunca perdeu um cachorrinho ou ajudar a encontrar o cachorro de um amigo? O jogo tem também uma casa na árvore. Quem nunca quis ter uma?

As semelhanças com ‘Moss’, da Polyarc, são evidentes e a comparação, inevitável. No entanto, ‘Moss’ é bem mais movimentado e, graficamente, mais exuberante. O título da Polyarc tem a fofura da Quill como protagonista, enquanto ‘Along Together’ se vale do carisma do buldogue Rishu.

Em termos de gameplay, ‘Moss’ tem alguns elementos de jogo de plataforma e de “hack and slash”. Já o ‘Along Together’ é puzzle puro. A sua personagem não pula (a não ser para subir em beiradas) e não enfrenta nenhum inimigo no mano a mano. Mas usa um estilingue para acertar alguns bichinhos indesejados e resolver alguns puzzles.

along2

DURAÇÃO E OUTROS DETALHES

‘Along Together’ leva em torno de duas a três horas para finalizar. Durante as fases, você vai coletando uma série de brinquedos para guardar na sua casa na árvore. E pode brincar com eles depois de encontrá-los! Localizar todos esses brinquedos, resolvendo pequenos puzzles extras, pode aumentar a duração do jogo.

Em termos de enjoo de movimento, ‘Along Together’ não oferece muito perigo. No entanto, faço uma ressalva: a câmera se movimenta conforme a criança avança pelos cenários e esse movimento pode gerar um certo desconforto ou mesmo enjoo. É bom ficar atento. Creio que seria mais interessante dar ao jogador o controle da câmera, como em ‘Bound’.

Visualmente, o jogo tem gráficos bonitos, apesar de simples. Como eu disse, lembram um desenho animado. E são bem definidos, sem qualquer serrilhado, coisa um tanto quanto rara no PSVR. Percebi alguns problemas de “colisão”, quando você força a barra e tenta colocar o personagem em um lugar onde ele obviamente não deveria ficar. No entanto, não chega a atrapalhar o gameplay.

A trilha sonora é bem agradável e o áudio, bem trabalhado. Não há suporte à língua portuguesa, mas há a opção de colocar os textos em espanhol, o que já facilita um pouco pra quem não sabe nada de inglês. Além disso, como o jogo não possui diálogos (apesar de haver algumas interjeições aqui e ali), não há nada que impeça os brasileiros de curtir o título.

along1

VEREDITO

Se por um lado ‘Along Together’ tem atrativos de sobra para atrair o público infantil, por outro também chama a atenção dos adultos aficcionados por um desafio em forma de quebra-cabeça. Imerso em um mundinho que lembra um desenho animado, você passará algumas horas agradáveis, enquanto resolve uma série de puzzles. No entanto, há um certo desbalanceamento no nível de dificuldade dos quebra-cabeças, o que pode tornar a experiência um pouco frustrante para os mais novinhos. Seria um game para jogar reunindo pais e filhos? Talvez. Para quem se interessou, sugiro aproveitar o preço promocional de lançamento (mais detalhes abaixo). Nota: 9/10.

INFORMAÇÕES TÉCNICAS

Título: ‘Along Together’
Estúdio: Turbo Button (www.turbo-button.com/games/alongtogether)
Gênero: Puzzle
Plataformas: Playstation VR (usada neste review), Daydream, Oculus Go, Gear VR, Oculus Rift, HTC Vive, Windows Mixed Reality
Data de lançamento: 29 de maio de 2018
Preço: US$ 19,99 * (PS Store EUA) | Indisponível na PS Store BR
Espaço em disco: 429 MB
Idiomas: Inglês, espanhol, francês, entre outros (sem suporte ao português)
Controles suportados: apenas Dualshock 4
Jogadores: 1 (offline) | Sem modo online

* ‘Along Together’ foi lançado com desconto promocional de 25% para membros PS Plus, saindo por US$ 14,99. O desconto é válido até o dia 12 de junho de 2018. Ao comprar o jogo, você ganha o tema dinâmico “Pooch Scooch”, com a verdadeira estrela de ‘Along Together’, o cachorrinho Rishu.

[Este review foi feito com mídia digital cedida pela Turbo Button]

Assista ao trailer de ‘Along Together’

Confira um vídeo de gameplay, feito pelos próprios desenvolvedores

[review] ‘To the Top’ te leva para o topo da realidade virtual

Sabe aquele momento em que você diz: “Esse jogo foi feito para a realidade virtual”? Pois é. Não há expressão que defina melhor ‘To the Top’ do que esta. ‘To the Top’ foi feito para a realidade virtual. Seria possível jogá-lo em tela plana? Dificilmente. Teria alguma graça? Nenhuma. ‘To the Top’ se vale dos recursos da RV para proporcionar uma liberdade poucas vezes vista no Playstation VR e no mundo dos games em geral. Podemos tentar defini-lo como uma mistura de jogo de plataforma, corrida, parkour e escalada, mas o jogo vai além disso.

Em ‘To the Top’, você é uma espécie de super-robô que está passando por um treinamento com o objetivo de prepará-lo para salvar vidas. Esse treinamento é feito em um ambiente virtual e consiste em cumprir uma série de percursos, usando apenas suas habilidades com as mãos. Falando na real, você se sente como um macaco, capaz de se pendurar em vários tipos de estruturas, em alturas que parecem não ter fim.

O conceito de “liberdade de movimento” é central no game, desenvolvido pelo estúdio Electric Hat Games e publicado pela Panic Button. Você sempre tem um ponto de partida e um ponto de chegada pré-definidos, mas a maneira como você vai cumprir esse percurso é você que vai definir.

Para isso, usando o Dualshock 4 ou um par de PS Moves (opção que eu recomendo), você pode interagir com as várias estruturas azuis do cenário, agarrando ou usando-as para pular. Pular (usando as duas mãos) te dá mais velocidade e permite que você alcance locais mais distantes, enquanto agarrar só com uma das mãos dá mais segurança.

Usando esses dois movimentos básicos, você vai tentar cumprir o percurso no menor tempo possível. Existem três faixas de tempo, que concedem uma espécie de medalha de acordo com seu desempenho (ouro, prata ou bronze). São estas “medalhas” que vão liberar as fases seguintes. Ou seja, para zerar o game não basta terminar as fases: é preciso conseguir bons tempos.

Além disso, você terá que encontrar os vários geomas (globos grandões fáceis de identificar) que ficam espalhados pelas fases. Se pegar todos, também ganha uma medalha. Uma quinta medalha é recebida ao pegar o geoma escondido de cada fase. Geralmente, ele aparece fora do circuito “normal” da fase e envolve uma habilidade extra para coletá-lo.

Obter as medalhas também permite que você desbloqueie vários itens para customizar a aparência do seu personagem. Você pode destravar novas máscaras, luvas e tronco do personagem. São mais de 30 opções de customização, que não interfere do gameplay, mas vai te deixar mais “na pinta” quando for encarar o multiplayer.

TOTHETOP_Screenshot_1

NO TOPO DO MUNDO

Olhando de fora, os cenários de ‘To the Top’ parecem meio pobres e excessivamente coloridos. Mas, dentro do game, a sensação é outra. A escolha das cores facilita o entendimento por parte do jogador, que consegue identificar claramente por onde ir e com quais estruturas você pode interagir.

A imersão é fantástica e você se sente como se estivesse lá, a vários metros de altura, especialmente quando está pendurado em canos de um arranha-céu, por exemplo, ou escalando uma torre. Para os brasileiros, ‘To the Top’ traz uma vantagem extra, já que a interface e legendas estão todas em português do Brasil.

A trilha sonora é totalmente original e merece uma menção à parte. Bem animada, tem uma pegada que mistura música eletrônica e rock com levada oitentista. Recomendo aumentar o volume para curtir o percurso! Os efeitos sonoros também cumprem bem o seu papel – o som do pulo, por exemplo, me lembra o primeiro ‘Super Mario’, ainda na época do Nintendinho.

A duração do game depende bastante da performance do jogador. As primeiras fases podem ser completadas em menos de 10 ou 20 segundos, mas cumprir o menor tempo exige bastante treino. Ao todo, são 35 fases (levels), divididas em fácil, normal e difícil, além das fases bônus. A dificuldade vai aumentando a cada level e novos tipos de estruturas e elementos vão sendo adicionados, dando um ar de novidade a todo tempo. Para encarar tudo isso, você vai passar por um tutorial que explica bem as mecânicas básicas do jogo.

Completando o pacote, o título traz um multiplayer bem diversificado, em que você pode disputar com seus amigos quem consegue o menor tempo ou trabalhar juntos em um modo cooperativo, para cumprir o menor tempo possível. Para isso, pode posicionar algumas estruturas que não estavam no percurso original, dando uma vantagem extra ao corredor.

Em termos de enjoo de movimento, podemos dizer que ‘To the Top’ está quase que totalmente livre desse mal. Não digo “totalmente” porque sempre tem alguns jogadores que reagem negativamente a determinado tipo de mecânica. Mas o tipo de movimento usado pelo jogo contribui para que o enjoo seja quase zero.

TOTHETOP_Screenshot_8

VEREDITO

Não tem como contestar: ‘To the Top’ entra imediatamente para a seleta lista de experiências obrigatórias no Playstation VR. Liberdade de movimento fantástica, trilha sonora inspirada, mecânicas simples e divertidas, imersão perfeita, nível de desafio bem balanceado e conteúdo suficiente para garantir muitas horas de gameplay. Quer mais o quê? Nota: 10/10.

INFORMAÇÕES TÉCNICAS

Título: ‘To the Top’
Gênero: Esportes/plataforma/corrida
Estúdio: Electric Hat Games/Panic Button (www.tothetopvr.com)
Plataformas: Playstation VR (usada neste review), Oculus Rift, HTC Vive, Windows Mixed Reality
Data de lançamento: 29 de maio de 2018 (PSVR)
Preço: R$ 71,50 (PS Store Brasil) | US$ 19,99 (PS Store EUA)
Espaço em disco: 2,27 GB
Idioma: Inglês (áudio) / Português do Brasil (legenda e interface)
Controles suportados: 2 PS Moves (recomendado) ou Dualshock 4
Jogadores: 1 (offline) | 2-8 (online) | Para jogar online, é preciso ser membro da PS Plus

[Este review foi feito com mídia digital cedida pela Panic Button]

Assista ao trailer de ‘To the Top’

 

 

Promoção traz 16 jogos PSVR com descontos para membros PS Plus

A PS Store do Brasil começou hoje a promoção ‘PS Plus – Ofertas especiais’, exclusiva para membros da Playstation Plus. Ao todo, são 122 jogos com descontos, sendo 13 títulos para o Playstation VR. Os descontos são de até 70% e vão até o dia 5 de junho.

Entre os títulos em oferta, estão games que eu recomendo de olhos fechados, como ‘Arizona Sunshine’ (50% de desconto), ‘Eve Valkyrie: Warzone’ (50%), ‘Blasters of the Universe’ (50%) e ‘Apex Construct’ (25%). Destes dois últimos, temos reviews aqui no blog.

Além dos 13 jogos com descontos exclusivos para assinantes da Plus, estão em promoção outros três jogos, com descontos extras de 10% para quem tem a PS Plus. São eles: ‘Batman Arkham VR’ (30% + 10%), ‘Knockout League’ (33% + 10%) e ‘Pirate Flight’ (60% + 10%).

‘TO THE TOP’

Além da promoção, foi lançado hoje na PS Store o game ‘To the Top’, um jogo que mistura corrida, parkour e escalada em um gameplay que lembra ‘Sprint Vector’, ‘Windlands’ e ‘Crise no Planeta dos Macacos’. Já joguei um pouco e recomendo. Em breve trarei o review aqui no blog. O jogo está disponível na PS Store Brasil por R$ 71,50. E vale cada centavo!

Confira a seguir as listas dos 16 jogos em promoção.

JOGOS COM DESCONTOS EXCLUSIVOS PARA MEMBROS PS PLUS

Arizona Sunshine (50%) – R$ 61,45
Eve Valkyrie: Warzone (50%) – R$ 53,75 [jogo da foto em destaque]
Blasters of the Universe (50%) – R$ 22,95
Apex Construct (25%) – R$ 68,92
Sparc (50%) – R$ 45,95
Don’t Knock Twice (50%) – R$ 35,75
Out of Ammo (50%) – R$ 22,95
RollerCoaster Legends [experiência] (20%) – R$ 12,50
StarDrone (40%) – R$ 14,70
The Invisible Hours (50%) – R$ 53,75
Radial-G: Racing Revolved (50%) – R$ 22,95
Light Tracer (50%) – R$ 22,95
VRFC Virtual Reality Football Club (70%) – R$ 18,45

JOGOS COM DESCONTOS EXTRAS PARA MEMBROS PS PLUS

Batman Arkham VR (30% + 10%) – R$ 42,90
Knockout League (33% + 10%) – R$ 52,38
Pirate Flight (60% + 10%) – R$ 13,77