Demo gratuita de ‘Tetris Effect’ já está disponível na PS Store do Brasil. Baixe aqui!

Foi disponibilizada hoje na PS Store do Brasil a demo gratuita do jogo ‘Tetris Effect’ (Enhance Games), que será lançado no próximo dia 9 de novembro. Se você quiser testar o jogo em primeira mão, corra: a demo tem prazo de validade, que expira no dia 5 deste mês!

Clique aqui para baixar a demo!

Exclusivo do Playstation 4, ‘Tetris Effect’ é uma releitura do puzzle mais famoso de todos os tempos. A demo e o game completo poderão ser jogados tanto no Playstation VR quanto no PS4, nas telas convencionais, com resolução de 4K e 60fps.

O jogo já está em pré-venda, com 10% de desconto (válido até o dia 8 de novembro). O valor na pré-venda é de R$ 129,15, e o valor cheio, R$ 143,50.

[review] Com uma trama interessante, ‘Torn’ se perde em um gameplay repetitivo

Fundado há mais de 20 anos, o estúdio Aspyr Media tem se notabilizado por fazer ports para os PCs de franquias famosas, como ‘Call of Duty’, ‘Borderlands’ e ‘Bioshock’. Com esse know-how, o estúdio desenvolveu seu primeiro grande projeto de realidade virtual, ‘Torn’, lançado para Playstation VR, HTC Vive e Oculus Rift. O título se inspira assumidamente em séries como ‘Além da Imaginação’ e ‘Black Mirror’ para contar uma história recheada de mistério, com porções generosas de ficção científica e fantasia. O review a seguir foi feito no PSVR, usando o PS4 Pro.

Assista ao vídeo-review de ‘Torn’:

HISTÓRIA

O jogador entra na pele da blogueira Katherine Patterson, que encontra uma mansão abandonada no meio de uma floresta. O casarão pertence ao Dr. Lawrence Talbot, um cientista desaparecido há mais de 60 anos. Ela entra na mansão e se depara com uma luzinha que afirma ser o Dr. Talbot, agora sem corpo físico. Ele diz que está preso em uma estranha dimensão e sem lembranças do que aconteceu com ele. Caberá a Katherine desvendar o mistério por trás disso e, quem sabe, sair de lá com uma história incrível para contar em seu blog.

VISUAL E IMERSÃO

O visual tem um papel fundamental na imersão que os jogos de realidade virtual podem proporcionar. E ‘Torn’ falha um pouco na questão técnica, exibindo gráficos com serrilhados acima do normal, mesmo dentro de um estilo visual mais realista. Apesar dos ambientes serem muito bem trabalhados, tanto no exterior quanto dentro da mansão, é difícil fechar os olhos para os “serrotes”. Ainda assim, é algo superável, a partir do momento que você se envolve com a história, seus personagens e tenta conectar os fios dessa trama. O visual ganha contornos mais interessantes nos momentos em que você é transportado para uma outra dimensão, cercada de água por todos os lados. O jogo utiliza controles de movimento, proporcionando uma interação mais natural com as centenas de objetos espalhados pela mansão. A trilha sonora impecável, as atuações e os efeitos sonoros também ajudam a imergir o jogador nesse mundo.

Assista ao vídeo de gameplay de ‘Torn’

CONTROLES

No PSVR, só é possível jogar usando um par de Moves. Não há suporte ao Duashock 4. São três sistemas de movimentação: locomoção livre, teleporte e algo que fica no meio do caminho entre os dois, chamado de “dash”. Nele, você acompanha o movimento do seu corpo enquanto se teleporta. No movimento livre, você aperta o botão Move e se locomove na direção para a qual está olhando. Segurando o gatilho ao mesmo tempo, anda mais rápido. Mas não há como andar para trás.

O teleporte e o dash funcionam de maneira quase idêntica, mas o teleporte tradicional é mais indicado para quem sente enjoo de movimento. No entanto, o alcance desses teleportes é curto, obrigando o jogador a se teleportar várias vezes para cobrir distâncias maiores. O giro do corpo é feito em graus, sem opção de giro suave. Usando o teleporte, a chance de sentir cinetose é praticamente zero.

GAMEPLAY

Em termos de gameplay, o jogo consiste em resolver uma série de puzzles, espalhados pelos vários cômodos da mansão. No início, você pode demorar um pouco para entender como eles funcionam, mas depois percebe que esses quebra-cabeças são bem parecidos entre si. Alguns objetos da mansão possuem desenhos em sua base e você precisa encaixá-los em pontos específicos de um circuito. Para isso, você usará a Ferramenta Gravitacional, para carregar os objetos e colocá-los em seus devidos lugares.

Mas o nível de desafio é baixo – seu maior trabalho será encontrar esses objetos, já que são muitos espalhados em cada cômodo. Durante a tarefa, você precisará revirar praticamente todo o ambiente, criando uma verdadeira bagunça. Várias vezes me senti em um episódio daquela série Acumuladores Compulsivos, da TV a cabo. O fato é que poucos puzzles fogem a esse esquema. E você ainda contará com a ajuda da “luzinha”, que às vezes te diz o que é fazer mesmo que você não peça.

VALOR DE REPLAY

A campanha de ‘Torn’ dura em torno de 7 a 8 horas, dependendo da velocidade que você consegue resolver os quebra-cabeças. É uma duração bem acima da média dos jogos de Playstation VR, o que por si só já é um ponto positivo. O jogo possui troféus, não há platina. O valor de replay, portanto, é baixo. ‘Torn’ está todo em inglês, sem legendas em qualquer outro idioma, e sem suporte ao português.


VALE A PENA?

‘Torn’ possui uma história cativante, muito bem contada, que se vale do mistério e de elementos de ficção científica para prender o jogador. Mas é preciso saber inglês para aproveitá-la. O visual serrilhado incomoda e os gráficos parecem ter sido mal otimizados no Playstation VR, especialmente para um jogo que utiliza a Unreal Engine. No entanto, o ponto mais crítico do game são os puzzles, muito repetitivos e pouco desafiadores. Chego até a me questionar se são realmente puzzles. Da forma como está, ‘Torn’ vale muito mais por sua trama do que pelo gameplay. E também pelo desfecho, que vai além de qualquer coisa que você poderia imaginar. Nota: 7,5/10 [Bom]


INFORMAÇÕES TÉCNICAS
Título: Torn
Estúdio: Aspyr Media (https://www.aspyr.com/games/torn)
Gênero: Puzzle
Lançamento: 28 de agosto de 2018
Plataformas: Playstation VR (usada neste review), HTC Vive e Oculus Rift
Preço: R$ 91,90 (PS Store BR) | R$ 57,99 (Steam)
Idioma: Inglês (dublagem e interface)
Controles: Dois Moves
Jogadores: 1 (sem modo online)

[Este review foi feito no Playstation VR + PS4 Pro, com mídia digital gentilmente cedida pela Aspyr Media]

Assista ao trailer de ‘Torn’ 

[review] ‘Track Lab’ mistura quebra-cabeças e criação musical em realidade virtual

Puzzles estão entre os gêneros mais desafiadores dos games. Não à toa, eles aparecem de forma “disfarçada” em grandes sucessos dos vídeo-games, como as franquias ‘God of War’, ‘Uncharted’ e ‘Tomb Raider’, geralmente para quebrar o ritmo de ação frenético desses títulos e apresentar um desafio mais elaborado para o cérebro dos jogadores. Não é raro acontecer de um jogador ficar preso por alguns minutos (ou mesmo horas) em um único puzzle, apenas para descobrir que estava vendo as coisas pela perspectiva errada e a resposta estava ali, na sua cara. É este tipo de desafio que ‘Track Lab’, com um total de 96 quebra-cabeças, vem proporcionar. Desenvolvido pelo estúdio holandês Little Chicken, o jogo foi lançado no último dia 21, com exclusividade para o Playstation VR.

‘Track Lab’ tem uma proposta bem diferente de ‘Electronauts’, lançado na semana anterior, e qualquer comparação entre os dois não faz muito sentido. ‘Track Lab’ é o primeiro puzzle musical do PSVR, que já possui uma boa quantidade de jogos do gênero, cada um com suas mecânicas únicas. No game, você usa alguns elementos, chamados de “unidades óticas”, para direcionar o fluxo sonoro até o seu destino final [assista ao vídeo-review abaixo para entender melhor]. Para jogar, você usa um par de PS Moves. Não há suporte ao Dualshock 4.

Assista ao vídeo-review de ‘Track Lab’

As músicas vêm divididas em quatro estilos: “relaxante”, “energética”, “exótica” e “épica”. Cada estilo tem três níveis de dificuldade (fácil, normal e difícil) e cada nível é uma música diferente. Cada música é dividida em oito desafios e, conforme você vai resolvendo, vai adicionando um instrumento à música (incluindo bateria, guitarras, teclados, vocais, entre outros). Fazendo as contas, chegamos a 96 desafios, que vão aumentando de dificuldade conforme novas “unidades óticas” são adicionadas.

Para deixar a brincadeira ainda mais divertida, você pode mixar os instrumentos usando ferramentas como os Volume Sliders, Crossfader e Effect Matrix. Os nomes podem ser complicados, mas a interface é bem interativa e fácil de aprender. Pra isso, o jogo oferece um tutorial básico muito bem explicado. Os textos, totalmente, em português, também facilitam o aprendizado.

tracklab2

CRIAÇÃO MUSICAL

Para os mais talentosos, ‘Track Lab’ também oferece um editor musical, na seção “Criação”. Nela, você pode remixar as músicas que já liberou no modo “Evolução” (dos puzzles) ou criar músicas do zero. Esse modo é mais difícil de dominar e será melhor aproveitado por quem já possui conhecimento musical, já que o jogo te dá total liberdade para criar com uma grande variedade de sons e instrumentos musicais. Creio que faz falta aí um tutorial mais aprofundado, específico para esta seção. No entanto, a qualquer momento, você pode apertar o botão Move para obter ajuda.

Visualmente, o jogo é muito bem apresentado, com um cenário virtual que cria uma imersão perfeita. O nível de nitidez do jogo também é digno de elogios, sem qualquer serrilhado ou borrão, problemas estes que costumam incomodar em jogos de RV. A trilha sonora é o prato principal do game e é bem variada, com estilos como hip-hop, rock, techno e mesmo canções que lembram jogos 8 bits.

O jogo é totalmente livre de enjoo de movimento (cinetose). Para os platinadores de plantão, ‘Track Lab’ tem troféu de platina. O valor de replay também fica por conta do modo criação e das interações que você pode fazer com as músicas, após desbloqueá-las.

tracklab1


VEREDITO

‘Track Lab’ atende dois públicos – os fãs de puzzle e os jogadores que buscam uma ferramenta de criação musical intuitiva, com várias opções à disposição. Os puzzles são divertidos e oferecem um bom nível de desafio. O editor musical precisa de um tutorial mais aprofundado para se tornar mais acessível a um público maior. No entanto, acredito que o grande problema de ‘Track Lab’ seja o preço. Acredito que ele ficaria mais atraente com uns 40% a 50% de desconto. Nota: 8/10 [Bom]


INFORMAÇÕES TÉCNICAS
Título: ‘Track Lab’
Estúdio: Little Chicken (http://www.littlechicken.nl/game/track-lab)
Gênero: Puzzle musical
Lançamento: 21 de agosto de 2018
Plataforma: Playstation VR (exclusivo)
Preço: R$ 79,90 (PS Store Brasil) | US$ 19,99 (PS Store EUA)
Idioma: Português (interface)
Controles: Dois PS Moves
Espaço em disco: 699 MB
Jogadores: 1 (sem modo online)

[Este review foi feito no PS4 Pro, com mídia digital cedida pela Sony do Brasil]

Leia também:
[review] ‘Electronauts’: nunca foi tão fácil se tornar um DJ de sucesso

Assista ao trailer de ‘Track Lab’

Inspirado em ‘Tetris’, ‘PieceFall VR’ será lançado neste mês para o Playstation VR

O estúdio Steel Minions divulgou em seu Twitter oficial que vai lançar no próximo dia 31 de julho o puzzle ‘PieceFall VR’ para Playstation VR. O jogo é inspirado no clássico ‘Tetris’, mas em uma jogabilidade em três dimensões.

O jogo já possui uma versão para Playstation 4 (em tela plana), lançada em março de 2016. De acordo com a sinopse, ‘PieceFall VR’ é um puzzle geométrico situado num mundo abstrato flutuante. Complete puzzles de forma a construir estruturas e melhorar o mundo à tua volta. Desbloqueia bônus, ganha estrelas e maximiza a tua pontuação!

O estúdio também divulgou um gameplay que mostra como o game funciona. Assista abaixo.

Assista ao vídeo de gameplay de ‘PieceFall VR’

Inspirado em ‘Black Mirror’ e ‘Além da Imaginação’, ‘Torn’ chega ao PSVR em 28 de agosto

Foi revelada hoje a data de lançamento de ‘Torn’, descrito pela desenvolvedora Aspyr Media como um jogo de mistério e ficção científica sombrio. Segundo o estúdio, o game é  inspirado em séries como ‘The Twilight Zone’ (‘Além da Imaginação’ no Brasil) e ‘Black Mirror’.

O game será lançado para Playstation VR (PSVR) no dia 28 de agosto e já entrou em pré-venda na PS Store, com desconto promocional de 15%, saindo de R$ 91,90 por R$ 78,11 na PS Store BR (ou US$ 25,49 na PS Store EUA). Assinantes PS Plus ganham mais 5% de desconto. Para jogar, são necessários dois PS Moves.

No título, o jogador entra na pele da blogueira Katherine Patterson, que descobre uma mansão abandonada no interior de uma floresta esquecida. A mansão, cheia de máquinas intrigantes e experimentos bizarros, era o lar do Dr. Lawrence Talbot, considerado desaparecido há mais de 64 anos. Patterson vê a oportunidade de ganhar milhões com a maior história da sua carreira. Mas, quando ela encontra o Dr. Talbot em pessoa, vivo, preso em uma estranha dimensão e sem corpo físico, Patterson percebe que estava enganada. Esta história iria mudar não só sua carreira, mas sua vida.

O jogador pode esperar vários puzzles para desvendar no game. ‘Torn’ começa como um jogo de raciocínio narrativo e se desenrola em uma trama sombria com foco em personagem na medida em que você descobre a verdade sobre Talbot e a nova dimensão, chamada “O Paralelo”. Lembre-se de tudo o que testemunhar, pois a verdade não passa de uma invenção da mente.

Assista ao trailer de ‘Torn’ 

Não compre o puzzle ’18 Floors’ sem antes ler este post

[Post atualizado em 12/07/2018]

O puzzle/terror ’18 Floors’, do estúdio chinês Winking Entertainment, está sendo alvo de uma polêmica no Reddit. Lançado na última terça-feira, 3, na PS Store das Américas e Europa, o título contém apenas dois dos seus 18 quebras-cabeças previstos, que funcionam em esquema de “escape room”. Isso até não seria problema se a descrição do jogo nas lojas online do Playstation deixasse essa informação clara para o jogador. Mas não deixa. E pior: para jogar os outros 16 puzzles você terá que pagar a mais por isso.

Na descrição do jogo na PS Store do Brasil, você lê o seguinte: “’18 Floors’ reúne 18 jornadas totalmente diferentes e fantásticas, todas interligadas”. E também: “O jogo é composto de inúmeras salas, com os cenários da Sala Fantasma e do Expresso Marinho”. Aparentemente, apenas estas duas salas estão disponíveis na atual versão do game, que no Brasil custa R$ 45,90.

O fato foi apontado pelo usuário do Reddit VRSinge, que possui um canal no YouTube. Em seu post, ele conta o seguinte: “Ontem, eu comprei ’18 Floors’ para fazer um vídeo para os meus espectadores. O jogo é ótimo. Mas na verdade descobri que há apenas dois níveis no jogo real. Então, cuidado!”.

VRSinge diz ainda que recebeu uma resposta do estúdio, que afirmou que houve uma falha na tradução da descrição do game, que a deixou “incompleta”: “Eu gostaria de me desculpar por este inconveniente, já que parece ter havido uma tradução incompleta do texto original da descrição do jogo que publicamos. Já contactamos a Sony para fazer as alterações necessárias. No que diz respeito aos novos níveis adicionais, eles sairão em breve este ano e haverá descontos quando forem lançados. Gostaríamos de expressar nossas maiores desculpas por este inconveniente causado a você e seus espectadores”, diz a nota.

Em meu primeiro post sobre o game aqui no blog, reproduzi um artigo, assinado pelo gerente sênior da Winking Entertainment, Henry Lee, em que ele afirma que ’18 Floors’ é “parte de uma série maior em planejamento” e “apresenta dois níveis e várias salas, cada uma com sua própria configuração única”. No entanto, essa informação ficou de fora da descrição final do jogo, causando confusão para os compradores. Por enquanto, também não sabemos quanto custarão os outros episódios do jogo.

Lançar jogos em episódios já se tornou uma tendência de mercado e grandes títulos já fizeram isso. No próprio PSVR, temos como exemplo o ‘The Exorcist: Legion VR’, que lançou recentemente seus três primeiros capítulos. Mas isso tem que ficar claro para o jogador no momento da compra. E, infelizmente, não foi o caso de ’18 Floors’.

[Quem deu o toque sobre o assunto foi o youtuber brasileiro Moso, do canal Moso PSVR. Valeu, Moso!]

ATUALIZAÇÃO DO POST:

A descrição do jogo foi devidamente corrigida na PS Store. Na loja online do Brasil, agora lê-se: “O primeiro episódio do jogo é composto por duas salas, as salas Phantom Room e Sea Express”. Na loja online dos Estados Unidos, temos: “The first episode of the game is comprised of two rooms, the Phantom Room and Sea Express stage”.

No entanto, acredito que ficaria mais claro  se alterassem também o próprio título do jogo, para algo como ’18 Floors – Episódio 1′.

Além de grande promoção, PS Store trouxe mais duas surpresas nesta semana

Além da promoção de Meio de Ano, que está fazendo a alegria de quem quer renovar seu estoque de jogos PSVR, a PS Store trouxe hoje mais duas surpresas para quem visitou a seção de Playstation VR da loja online. Dois novos online foram adicionados à biblioteca, que já se aproxima dos 300 títulos. São eles: ’18 Floors’ e ‘The Walker’.

’18 Floors’ e ‘The Walker’ foram desenvolvidos pelo estúdio Winking Entertainment, responsável pelo jogo de exploração especial ‘Unearthing Mars’. Os dois têm um pé no terror, mas de formas diferentes. Enquanto ’18 Floors’ é voltado para a resolução de quebra-cabeças para que você consiga escapar de locais fechados (os famosos “escape rooms”), ‘The Walker’ é um shooter, em que você usa tanto armas de fogo quanto uma espada.

’18 Floors’ custa R$ 45,90 (na PS Store do Brasil) ou US$ 14,99 (EUA), enquanto  ‘The Walker’ está sendo vendido a R$ 71,50 (Brasil) ou US$ 19,99 (EUA).

SAIBA MAIS SOBRE OS JOGOS

Henry Lee, gerente sênior da Winking Entertainment, publicou hoje um artigo na versão norte-americana do Playstation Blog em que dá detalhes sobre os dois títulos. Trago a seguir, logo após os trailers, uma versão traduzida deste artigo [ao final, tem o texto original, em inglês].

Assista ao trailer de ’18 Floors’

Assista ao trailer de ‘The Walker’

 

ARTIGO DO PLAYSTATION BLOG (TRADUZIDO POR MIM)

‘The Walker’ e 18 ‘Floors’: dois novos jogos para PSVR foram lançados hoje

Dois jogos PSVR muito diferentes estão sendo lançados hoje, ambos baseados em temas de terror do folclore chinês.

Por Henry Lee (Gerente sênior da Winking Entertainment)

Olá a todos! Como editor de títulos indie e VR, tenho o prazer de anunciar dois jogos com o melhor dos dois mundos, e estão disponíveis hoje como lançamentos da PlayStation Store.

‘The Walker’

‘The Walker’ é um jogo de tiro em primeira pessoa de “limpeza de zumbis”, ambientado na antiga Xangai. Você é o último herdeiro de uma longa linhagem de exorcistas. Você tem uma arma moderna à sua disposição, mas também pode optar pelo combate corpo a corpo, com uma espada em suas mãos.

Graças ao poder dos talismãs chineses mágicos, você pode ativar buffs elementais em armas de longo ou curto alcance. Você pode derrubar monstros portadores de escudo com um tiro na cabeça de precisão, ou bloquear seus ataques de espada e contra-atacar com sua própria espada. Os talismãs também podem disparar projéteis mágicos que congelam ou dão choque nos inimigos.

Para criar os monstros mortos-vivos, a equipe de design combinou a estética oriental com a tradição moderna dos zumbis, resultando em soldados caminhantes de terracota e outras terríveis abominações.

Além dos estágios da história, o jogo também terá outros modos, como o modo Challenge e o modo Rampage, para que você possa continuar lutando mesmo depois de completar a história.

’18 Floors’

O segundo título é um jogo de realidade virtual chamado ’18 Floors’, com alguns quebra-cabeças e mecânicas para você descobrir e desvendar. Os jogadores são transportados para um espaço místico e agourento, onde devem completar os puzzles interconectados para escapar de cada sala fechada.

Parte de uma série maior em planejamento, este jogo apresenta dois níveis e várias salas, cada uma com sua própria configuração única.

’18 Floors’ é um jogo sobre a noção popular de 18 níveis do Inferno do folclore chinês. A equipe de desenvolvedores também acrescentou várias referências culturais chinesas, aumentando a atmosfera do jogo, sem ser um conhecimento essencial para resolver os enigmas.

Cada design de sala tem seu próprio caráter e sabor, já que a equipe de desenvolvimento queria dar aos jogadores a sensação de percorrer o tempo e o espaço. De um quarto elegantemente decorado do período da Renascença, a um trem ferroviário do Velho Mundo em alta velocidade através do oceano, cada cenário é uma parte fundamental do mistério que você está tentando resolver.

Estes dois títulos VR muito diferentes estão disponíveis hoje na Playstation Store. Espero que todos tenham a chance de conferi-los!



ORIGINAL ARTICLE – PLAYSTATION BLOG US

The Walker and 18 Floors: Two New PSVR Games Out Today

Two very different PSVR games are launching today, both based on horror themes from Chinese folklore.

Henry Lee (Senior Manager, Winking Entertainment)

Hi everyone! As a publisher of both indie and VR titles, I’m excited to announce two games that have the best of both these worlds, and are available today as PlayStation Store releases.

‘The Walker’

‘The Walker’ is a zombie-cleansing first-person shooter set in old Shanghai. You are the last remaining heir of a long line of exorcists. While you have a modern firearm at your disposal, you can also opt to go close-range with a sword in your hands.

Thanks to the power of magical Chinese talismans, you can activate elemental buffs on both long-ranged and close-ranged weapons. You can take down shield-wielding monsters with a precision headshot, or block their sword attacks and retaliate with your own sword. The talismans can also shoot out magical projectiles that freeze or shock your enemies.

For the undead monsters, the design team combined Eastern aesthetics with modern zombie lore, resulting in walking terracotta soldiers and other terrifying abominations.

In addition to the story stages, the game will also have other modes such as a Challenge mode and a Rampage mode, so you can continue fighting even after completing the story.

’18 Floors’

The second title is an atmospheric room-escape VR game called ’18 Floors’, featuring some mind-blowing puzzles and mechanics for you to discover and unravel. Players are transported to a mystic and foreboding space where they must complete interconnected puzzles to escape each sealed room.

Part of a planned larger series, this game features two levels and numerous rooms, each with their own unique setting.

’18 Floors’ is a play on the popular notion of 18 levels of Hell in Chinese folklore. The dev team added a number of Chinese cultural references as well, adding to the atmosphere of the game while not being essential knowledge for solving the puzzles.

Each room design has its own character and flavor, as the dev team wanted to give players the feel of traversing time and space. From an elegantly decorated room from the Renaissance period, to an Old World railroad train speeding across the ocean, each setting is a key part of the mystery you are trying to solve.

These two very different VR titles are available today at Playstation Store. I hope you’ll all have the chance to check them out!