[review] ‘Creed: Rise to Glory’ acerta em cheio e traz experiência de boxe imperdível

O simulador de boxe ‘Creed: Rise to Glory’ é o quarto jogo de realidade virtual da Survios. Os games anteriores, ‘Raw Data’, ‘Sprint Vector’ e ‘Electronauts’, já puseram a Survios em um patamar de excelência no mundo da realidade virtual. Desta vez, os desenvolvedores colocaram seu talento a serviço de uma franquia de sucesso nos cinemas, que tem o boxe como prato principal. O review a seguir foi feito no Playstation VR, usando o PS4 Pro. O jogo também está disponível para HTC Vive e Oculus Rift.

Assista ao vídeo-review do canal PSVR Brasil:

HISTÓRIA

‘Creed: Rise to Glory’ é baseado no filme ‘Creed: Nascido para Lutar’, de 2015. O longa-metragem é o sétimo da franquia ‘Rocky’ e representa um recomeço para ela. No filme, o jovem boxeador Adonis Creed descobre ser filho de Apollo Creed, ex-adversário de Rocky Balboa e que se tornou um grande amigo do personagem de Sylvester Stallone.
O jogo segue os mesmos passos do filme, mas sem a parte do drama. ‘Creed’ é focado apenas na ação, sem qualquer cutscene ou algo do tipo. No jogo, você vai calçar as luvas de Adonis Creed, enquanto se prepara para seu maior desafio na carreira: enfrentar o campeão mundial Ricky “Pretty” Conlan. No caminho até lá, vai encarar desde um adversário amador que não venceu uma luta sequer, um segurança de boate e um campeão com 38 vitórias no cartel, sendo 36 por nocaute. E vai ter como treinador o próprio Rocky Balboa, dublado por Stallone. O jogo está todo em inglês, sem suporte a outros idiomas ou legendas. Mas isso não será um problema para quem não souber o idioma.

VISUAL E IMERSÃO

‘Creed’ tem ótimos gráficos, mesmo que não seja possível compará-los aos triplo A da atual geração. Mas é um visual agradável, puxando mais para o realismo do que para o cartoon. As animações são bem feitas, assim como os efeitos sonoros e a trilha, encabeçada pelo clássico tema de ‘Rocky’. Tudo isso contribui para fazer o jogador se sentir na pele de Creed. E não é só isso: você controla um avatar de corpo inteiro. Ou seja, não é só um par de luvas flutuando no ar. Isso faz uma tremenda diferença, já que no jogo você É Adonis Creed. Além disso, o jogo reproduz de maneira fiel as mecânicas de uma luta de boxe real – até onde isso é possível.

CONTROLES

O jogo utiliza um par de Moves (não há suporte ao Dualshock 4). Os controles funcionam como as suas luvas, que você utilizará para dar jabs, diretos, cruzados e ganchos. Também é possível bloquear os ataques adversários ou esquivar deles, usando o tracking do headset. Os Moves também tem botões para girar para os lados, usando apenas o giro em graus. O jogo tem ainda uma mecânica para caminhar parecida com a de ‘Sprint Vector’: segure o botão Move e balance os braços para a frente. Para andar pra trás, coloque os braços atrás, segure os botões Moves e faça o movimento inverso. Bem intuitivo. Tem ainda um terceiro movimento para os lados, girando os Moves como se estivesse suingando. Tudo isso é bem explicado dentro do jogo, com vídeos que mostram um modelo executando os movimentos.

GAMEPLAY

É no gameplay que ‘Creed’ se sobressai. No Career Mode, você vai enfrentar sete adversários, em lutas que duram em torno de cinco minutos. Fazendo as contas friamente, pode parecer pouco, mas isso é um engano. Cada combate consome bastante energia e vai colocar você pra suar. Fazer uma pausa para descansar entre elas é altamente recomendado. Fora que o jogo tem três níveis de dificuldade e os adversários ficam mais duros e dão mais dano nas dificuldades mais altas.

Antes de cada luta, você passa por um treino que vai determinar seu nível de “stamina” para o combate. Níveis mais altos de stamina permitem que você dê mais socos antes de cansar. E é preciso ficar bem atento a isso: se você cansar, seus socos ficam mais fracos e mais lentos. O jogo tem outras mecânicas interessantes, como a esquiva: ao desviar de um golpe no momento certo, seu adversário fica em câmera lenta e você ganha um tempinho extra para contra-atacar. Ao ser golpeado em cheio, você fica tonto, e precisa ajustar os Moves para a posição do seu avatar. Por fim, ao ser derrubado, você literalmente sai do corpo e precisa correr em direção a ele antes que a contagem chegue a 10.

MULTIPLAYER

Completando o pacote, ‘Creed’ tem um modo multiplayer online. No PVP, você pode convidar os amigos para o combate ou entrar na sala pública para enfrentar jogadores do mundo todo. Nesse modo, são nove lutadores para escolher: os sete da campanha principal, além de Adonis Creed e Rocky Balboa, no auge da sua juventude. Os lutadores não são diferentes apenas no visual. Cada um tem algumas características ligeiramente distintas dos demais. Alguns têm mais força, enquanto outros têm melhor resistência. Outros têm todas as habilidades equilibradas.

Assista ao vídeo do modo PVP de ‘Creed’ que fizemos junto com o canal Moso PSVR:

VALOR DE REPLAY

Além do PVP e do Career Mode, ‘Creed’ também tem um Free Mode, em que você pode enfrentar qualquer adversário, na dificuldade que quiser e escolhendo o lutador que preferir. Também pode usar a academia para treinar livremente em um dos aparelhos, e comparar seus resultados com os amigos e o placar mundial. Importante destacar também que o jogo tem troféu de platina. E, em termos de enjoo de movimento, não vi nada no game que pudesse causar cinetose.


VALE A PENA?

Jogos baseados em filmes tendem a se tornar caça-níqueis, mas não é o caso de ‘Creed’. Lançado quase três anos depois do primeiro filme e a cerca de dois meses do lançamento do segundo, ‘Creed’ se vale apenas do nome da franquia para oferecer um gameplay consistente, que cumpre bem a tarefa de simular uma luta de boxe em realidade virtual. Suas mecânicas são inteligentes e transmitem, a sensação de estar num ringue real, até onde é possível. O Playstation VR ainda possui poucos jogos de luta no estilo “mano a mano”, mas será muito difícil um oponente superar ‘Creed’. Nota: 10/10 [Excelente].


INFORMAÇÕES TÉCNICAS
Título: Creed: Rise to Glory
Gênero: Simulador de boxe
Estúdio: Survios
Preço: R$ 107,50 (PS Store BR) | R$ 57,99 (Steam)
Plataformas: Playstation VR (usada neste review), HTC Vive e Oculus Rift
Data de lançamento: 25 de setembro de 2018
Controles suportados: Dois Moves
Idioma: inglês (áudio e interface)
Jogadores: 1 (off-line) | 2 (online)

[Este review foi feito no Playstation VR + PS4 Pro, com mídia digital gentilmente cedida pela Survios]

Rocky Balboa aparece em trailer do simulador de boxe ‘Creed: Rise to Glory’

O lendário lutador Rocky Balboa, vivido por Sylvester Stallone, apareceu pela primeira vez no novo trailer do simulador de boxe ‘Creed: Rise to Glory’, que será lançado no dia 25 de setembro, primeiramente para o Playstation VR. O personagem é dublado pelo próprio Stallone, que até lê a classificação indicativa do game. ‘Creed’ é inspirado no filme de mesmo nome e conta a história do lutador Adonis “Hollywood” Creed, filho de Apollo Creed – um dos mais famosos adversários de Balboa.

No jogo (assim como no filme), Creed (agora, você), é treinado por Balboa para enfrentar uma série de lutadores em busca do título mundial de boxe. O jogo possui tanto uma campanha para um jogador como um modo online, com lutas 1 contra 1 (1×1). Você joga usando dois controles PS Moves.

O jogo já está em pré-venda na PS Store do Brasil, com 10% de desconto para assinantes da PS Plus (saindo de R$ 107,50 por R$ 96,75). Quem fizer a pré-venda também receberá vários bônus.

Assista ao trailer de ‘Creed: Rise to Glory’

JOGUE COMO ROCKY

Lauren Irvine, gerente de comunidade da Survios, avisa que os jogadores do Playstation VR, além de ter acesso primeiro ao jogo, também poderão jogar como Rocky Balboa, “no apogeu de sua juventude”. O personagem, segundo Irvine, será exclusivo do PSVR.

Lauren Irvine explica que a empresa criou um sistema especial para simular um combate de boxe. Depois do que vimos em ‘Raw Data’, ‘Electronauts’ e, especialmente, ‘Sprint Vector’, não duvidamos nada de que a Survios é capaz disso.

“Uma experiência de boxe em VR sem igual que coloca você nas luvas de Adonis Creed em sua jornada de amador a campeão, ‘Creed: Rise to Glory’ traz a revolucionária tecnologia Phantom Melee para criar um impactante combate corpo-a-corpo. Quer você escolha vivenciar a história de Creed ou criar batalhas contra uma variedade de oponentes habilidosos, você sentirá cada soco, gancho e cruzado através de dessincronização situacional que inclui fadiga, atordoamento e quedas”.

[review] ‘Electronauts’: nunca foi tão fácil se tornar um DJ de sucesso

Loops, samples, pickups, BPM, EDM… Você pode não saber o significado de nenhuma dessas palavras e ainda assim se tornar um DJ dos bons com ‘Electronauts’, nova experiência/aplicativo de realidade virtual do estúdio Survios, desenvolvedor por trás dos excelentes ‘Raw Data’ e ‘Sprint Vector’. Trata-se de um aplicativo bastante intuitivo e que oferece uma vasta gama de ferramentas pra você se sentir o próprio David Ghetta.

‘Electronauts’ traz um total de 54 faixas – e por um precinho bem camarada, devo dizer. A lista de músicas (ou line-up, como os DJs preferem dizer) inclui nomes como The Chainsmokers, Tiesto, Steve Aoki, DJ Shadow, Zhu e muitos e muitos outros. Alguns compuseram músicas especialmente para o ‘Electronauts’, como é o caso de Coral Fusion, Goodhenry e Starbuck.

Se você não conhece música eletrônica, talvez nunca tenha ouvido falar deles. Mas são grandes expoentes da EDM (a “electronic dance music”) e atraem multidões a festivais e raves espalhadas pelo mundo. O bom é que são músicas boas de se ouvir e, principalmente, um material excelente para você interferir e criar suas próprias versões.

Para isso, você vai contar com uma “ajudinha”. Quer dizer, “ajudinha” não: é uma baita ajuda. ‘Electronauts’ foi construído com uma espécie de “autotunes” e por causa disso é bem difícil você fazer algo fora do ritmo ou que soe desagradável. O estúdio chama essa interface de Music Reality Engine.

electronauts1

MAS É FÁCIL MESMO?

Quem já tem conhecimento prévio de música ou mesmo de remixagem vai tirar melhor proveito do aplicativo, mas a interface dele é tão intuitiva que o torna acessível a qualquer pessoa. O aplicativo oferece um breve tutorial e depois te deixa livre para criar. Devo ressaltar, porém, que este tutorial é breve demais, deixando de fora, por exemplo, explicações sobre como funciona o recurso de montar arranjos (“arrangement”). Percebendo isso, a Survios tem postado em seu canal no YouTube alguns vídeos com explicações adicionais, que incluirei no decorrer deste review.

Tutorial: como usar a ferramenta “arrange”

Cada música tem diferentes trechos (“tracks”), que iniciam sempre pela intro e incluem outras batidas, como break, groove, build, drop, trap, entre outras. Cada batida tem seus próprios acompanhamentos (“stems”), incluindo guitarras, baixo, bateria, palmas, teclados e por aí vai. Você pode alternar entre as tracks a hora que quiser, quantas vezes quiser.

Os instrumentos básicos do aplicativo são as orbs. A maioria das músicas têm dois conjuntos de orbs, que vêm agrupadas em 7. Usando os bastões que emulam os PS Moves, você pode tocar essas orbs como se fossem uma bateria. Também pode deixar uma sequência gravada e repeti-la quantas vezes quiser. O mesmo vale para uma espécie de harpa eletrônica.

Você também pode adicionar efeitos usando um conjunto de 5 granadas – cada uma soando diferente. Elas explodem no cenário e criam um efeito especial todo particular. Outra ferramenta em divertida é o cubo FX (ou “FX Cube”). Ele pode alterar a música de várias maneiras, como você pode conferir no vídeo abaixo:

Tutorial: como usar o FX Cube

FAZ UMA SELFIE AÍ!

‘Electronauts’ também é um aplicativo social e os desenvolvedores deram uma atenção especial ao aspecto visual. São diferentes cenários, onde sua pick-up virtual se transforma em uma nave sob seu comando numa verdadeira viagem musical pelo espaço. Você estará usando um traje de astronauta, com corpo completo – algo raro entre os games para realidade virtual.

Você pode utilizar uma câmera com pau de selfie para mudar a perspectiva pela qual seus espectadores vão te assistir. Inclusive, é esta a imagem que aparece na tela social da TV ou quando você faz uma transmissão pelo YouTube ou Facebook. Você também pode alterar as cores do ambiente, mudando também as cores do DJ.

Graficamente, é um aplicativo bonito, com visual nítido e interface clean. O jogo está todo em inglês (áudio e interface), sem opções de outros idiomas. Sobre o aspecto sonoro, não preciso falar mais nada, já que este é o prato principal do aplicativo.

Tutorial: usando as ferramentas básicas

E O QUE ‘ELECTRONAUTS’ NÃO TEM?

O aplicativo tem algumas lacunas, mais por questões técnicas, direitos autorais e limitações financeiras do que pela vontade de seus desenvolvedores, como eles deixaram claro em um bate-papo com usuários do Reddit, alguns dias atrás.

A versão para Playstation VR, por exemplo, ficou sem multiplayer online pela dificuldade do estúdio de encontrar um designer que trabalhe com a engine Unity no PSVR nesse ponto específico.

Outra coisa que o aplicativo não permite é importar suas próprias canções para remixá-las ou exportar aquilo que você criou. Mas, como os criadores disseram no bate-papo citado acima, isso está em discussão interna – e o aplicativo ainda deve receber muitas atualizações.

Aliás, o app está recebendo atualizações constantes, então certifique-se de fazer os updates antes de começar a jogar. No dia do lançamento, por exemplo, foram adicionadas oito músicas. Novas faixas e estilos musicais devem ser adicionadas em atualizações gratuitas.

Uma coisa que eu gostaria de ver é a possibilidade de alterar o BPM (batidas por minuto) das músicas, para deixa-las mais rápidas ou mais lentas. Também seria interessante se você pudesse misturar duas faixas, criando mash-ups. Mas, como os desenvolvedores deixaram claro, ‘Electronauts’ não é um aplicativo fechado – e podemos esperar muitas novidades nos próximos meses.

Confira um profissional em ação em ‘Electronauts’


VEREDITO

‘Electronauts’ é a melhor experiência musical disponível no Playstation VR. Não conheço muito o mercado de PCVR, mas creio que o mesmo se possa dizer do HTC Vive, Oculus Rift e Windows Mixed Reality. Não é um jogo – e talvez careça do aspecto competitivo presente em games musicais tradicionais, como ‘Guitar Hero’, ‘Rock Band’ e ‘Beat Saber’. Sua essência, de fato, se afasta da experiência de apertar botões ou executar ações no momento certo. Nele, você é livre para fazer o que quiser, na hora que quiser. Isso pode afastar um pouco quem espera algo mais “pré-definido”. No entanto, para todo mundo que gosta de música, é uma experiência imperdível. Nota: 10/10 [Imperdível].


INFORMAÇÕES TÉCNICAS
Título: ‘Electronauts’
Gênero: Aplicativo/experiência musical
Estúdio: Survios (https://survios.com/electronauts)
Data de lançamento: 7 de agosto de 2018
Plataformas: Playstation VR (usada neste review), HTC Vive, Oculus Rift e Windows Mixed Reality
Preço: R$ 61,50 *(PS Store Brasil) | US$ 19,99 * (PS Store EUA)
Controles suportados: Dois PS Moves
Idioma: inglês (áudio e interface – sem suporte a outros idiomas)
Jogadores: 1 (sem modo online)
Espaço em disco: 1,54 GB
* Membros PS Plus têm desconto de 20% até o dia 21 de agosto de 2018

[Este review foi feito no PS4 Pro, usando uma cópia digital gentilmente cedida pela Survios]

Com mais de 40 músicas, ‘Electronauts’ chega ao PSVR na próxima terça-feira

Esqueça ‘Beat Saber’, pelo menos por enquanto. O melhor e mais completo jogo musical para realidade virtual chega ao Playstation VR na próxima terça-feira, dia 7 de agosto. Estamos falando de ‘Electronauts’, do estúdio Survios, desenvolvedor por trás de ‘Raw Data’, ‘Sprint Vector’ e ‘Creed: Rise to Glory’ (este, ainda a ser lançado). Com mais de 40 canções, o game estará disponível para PSVR e PCVR (Oculus Rift e HTC Vive).

Hoje, a Survios divulgou o “line-up” (a relação de músicas e artistas, em bom português) do jogo e o conteúdo é impressionante. São mais de 40 músicas, de artistas renomados no mundo inteiro, como The Chainsmokers, Tiesto, Odezsa, Tokimonsta, Zhu e muitos outros.

A assessoria de imprensa da Survios nos enviou toneladas de informações sobre o jogo, além de uma press key – em breve, trarei o review aqui no blog, além de gameplays no nosso canal no YouTube. O estúdio também divulgou um vídeo com gameplay e tutorial do jogo [assista abaixo].

A seguir, trago a lista completa das músicas e as informações divulgadas hoje, em versão traduzida para o português (mais abaixo, reproduzirei o texto original, em inglês).

Line-up (relação de artistas e músicas)
The Chainsmokers – Roses (ft. ROZES)
Odesza – Say My Name (ft. Zyra)
Steve Aoki & Boehm – Back 2 You (ft. WALK THE MOON)
Tiesto & John Christian – I Like It Loud (ft. Marshall Masters & The Ultimate MC)
Zhu & Tame Impala – My Life
Zhu & Nero – Dreams
Zhu – Intoxicate
12th Planet – Let Me Help You (ft. Taylr Renee)
Netsky – Nobody
Dada Life – B Side Boogie, Higher Than The Sun, We Want Your Soul
Keys N Krates – Dum Dee Dum [Dim Mak Records]
Krewella & Yellow Claw – New World (ft. Vava)
Krewella – Alibi
Amp Live & Del The Funky Homosapien – Get Some of Dis
DJ Shadow – Bergshrund (ft. Nils Frahm)
3LAU – Touch (ft. Carly Paige)
Machinedrum – Angel Speak (ft. Melo-X), Do It 4 U (ft. Dawn Richard)
People Under The Stairs – Feels Good
Tipper – Lattice
TOKiMONSTA – Don’t Call Me (ft. Yuna), I Wish I Could (ft. Selah Sue)
Reid Speed & Frank Royal – Get Wet
Ahee – Liftoff
Bijou – Gotta Shine (ft. Germ) [Dim Mak Records]
Anevo – Can’t Stop (ft. Heather Sommer) [Dim Mak Records]
Krane & Quix – Next World [Dim Mak Records]
B-Sides & Swage – On The Floor [Dim Mak Records]
Gerald Le Funk vs. Subshock & Evangelos – 2BAE [Dim Mak Records]
Max Styler – Heartache (Taiki Nulight Remix), All Your Love [Dim Mak Records]
Riot Ten & Sirenz – Scream! [Dim Mak Records]
Fawks – Say You Like It (ft. Medicienne) [Dim Mak Records]
Taiki Nulight – Savvy [Dim Mak Records]
Jovian – Errbody
Madnap – Heat
Miknna – Trinity Ave, Us
5AM – Peel Back (ft. Wax Future)
Jamie Prado & Gregory Doveman – Young (Club Mix)
Coral Fusion – Klip [Survios original]
Goodhenry – Wonder Wobble [Survios original]
Starbuck – Mist [Survios original]

O QUE: Em breve será lançado no PS4 e nos PCs ‘Electronauts’, uma experiência imersiva de criação musical que possibilita que todos os amantes da música remixem, componham e executem músicas de qualidade. ‘Electronauts’ representa a próxima evolução em direção à música interativa e é impulsionado pelo Music Reality Engine, uma ferramente apenas possível em realidade virtual, que sem qualquer treinamento faz você se sentir como um músico de nível mundial instantaneamente. A Survios colaborou com os melhores artistas da música para experimentar a sensação de remixar suas músicas favoritas.

POR QUE: Depois de desenvolver o premiado jogo de ficção científica ‘Raw Data’ e o frenético jogo de corrida ‘Sprint Vector’, a Survios está inovando ainda mais com uma experiência de criação musical verdadeiramente inovadora. ‘Electronauts’ muda a forma como as pessoas interagem com a música, transformando os passivos amantes de música em criadores de música ativos. Esta nova tecnologia de núcleo, o Music Reality Engine, permite que qualquer pessoa realize e produza uma boa música que esteja sempre no tom e nunca saia o ritmo (devido à quantização).

QUANDO: terça-feira, 7 de agosto de 2018 às 16h (horário de Brasília)

ONDE: ‘Electronauts’ estará disponível no Steam e Oculus Home para HTC Vive e Oculus Rift custando US$ 19,99, e na Playstation Store para PSVR por US$ 17,99. Também está sendo lançado em arcades de realidade virtual em 38 países do mundo.

QUEM: Fundada em 2013, a Survios é um estúdio de realidade virtual (VR) líder de mercado dedicado a incentivar o desenvolvimento de software premium, publicação de jogos e entretenimento baseado em localização (LBE). Na Survios, construímos experiências de RV imersivas e conectadas com interatividade emergente e jogo visceral projetado para expandir a experiência humana e liberar nosso potencial criativo. A Survios alcança um público global por meio de seus jogos aclamados pela crítica, a maior rede de parceiros de arcade de realidade virtual do mundo, seu carro-chefe Survios Virtual Reality Arcade e atrações e diversões em RV com pilha completa. Para mais informações, visite http://www.survios.com.


Original text by Survios Press Relations
WHAT: Soon to be released on console and PC is Electronauts, an immersive music creation experience that empowers all music lovers to remix, compose, and perform great music. Electronauts represents the next evolution toward interactive music and is powered by the Music Reality Engine, a design only possible in VR, that without any training makes you feel like a world-class musician instantly. Survios has collaborated with top music artists to experience the sensation of remixing favorite songs:

WHY: After developing award-winning sci-fi VR game Raw Data and chart-topping adrenaline platformer Sprint Vector, Survios is innovating VR gaming further with a truly innovative music creation experience. Electronauts changes the way people interact with music, turning passive music lovers into active music creators. This new core technology, the Music Reality Engine, allows anyone to perform and produce great music that’s always on key and never skips a beat (due to quantization).

WHEN: Tuesday, August 7, 2018 at 12:00pm PST

WHERE: Electronauts will be available on Steam and Oculus Home for HTC Vive and Oculus Rift at $19.99, and Playstation Store for PS VR at $17.99. It’s also launching in VR arcades across 38 countries worldwide.

WHO: Founded in 2013, Survios is an industry-leading virtual reality (VR) studio dedicated to premium software development, game publishing, and location-based entertainment (LBE) initiatives. At Survios, we build connected, immersive VR experiences with emergent interactivity and visceral play designed to expand the human experience and unlock our creative potential. Survios reaches a global audience through its critically-acclaimed games, the world’s largest VR arcade partner network, its flagship Survios Virtual Reality Arcade, and full-stack VR attractions and amusements. For more information, visit http://www.survios.com.

[escolha do editor] ‘Sprint Vector’, uma obra prima em realidade virtual

O que dizer de ‘Sprint Vector’? O segundo game do estúdio Survios (desenvolvedor de ‘Raw Data’) é simplesmente uma obra prima em realidade virtual. Não existem palavras suficientes para descrever o que estes caras fizeram. Eles criaram uma experiência única para a atual geração de headsets de realidade virtual, cuidando de cada detalhe, cientes de que estavam fazendo algo único no mundo dos games. E é um dos melhores games já lançados até hoje para a plataforma.

‘Sprint Vector’ é um jogo de corrida de patins. E aí poderia surgir a primeira limitação do jogo, já que não existem controles de movimento para os pés. No entanto, os desenvolvedores superaram esta barreira e improvisaram usando os controles de movimento para as mãos (no Playstation VR, são os Move Controllers). E criaram movimentos que reproduzem fielmente a movimentação dos braços dos patinadores de velocidade. É incrível como tudo é fluido, tudo funciona perfeitamente bem, todos os movimentos que você faz são extremamente intuitivos, incluindo aí patinar, pular, abaixar, escalar e até voar (sim, voar!).

Todos esses movimentos são apresentados em um tutorial completo, que exibe imagens em um telão com um modelo real mostrando cada movimento que você precisa fazer com os Move Controllers. E são vários níveis de tutorias, que você pode repetir quantas vezes quiser, até se sentir confortável. Essa é mais uma demonstração do cuidado que os desenvolvedores tiveram com o game e com os jogadores.

Nos tutoriais, você aprende também a usar os power-ups que vai encontrar no decorrer das provas. São nove ao todo, que podem te dar vantagens em momentos cruciais das corridas – ou te atrapalhar, caso você seja o afetado por ataques dos adversários (lembram de ‘Mario Kart’? É por aí mesmo). Isso só aumenta a dinâmica das partidas, que já não é pouca.

Falando sobre as corridas, são 12 ao todo. Você pode jogá-las tanto off-line (em dois modos de dificuldade) ou contra competidores humanos (com um total de oito participantes). Aliás, oito também são os personagens patinadores do jogo. Não há diferenças nas habilidades entre eles – em termos de jogabilidade, são todos iguais. Mas em termos estéticos, são completamente diferentes, já que o jogo é um campeonato intergalático de patinação e inclui alienígenas dos mais diversos. Cada personagem tem ainda diferentes skins, que você destrava usando as estrelas que ganha ao vencer as provas.

As 12 provas do modo história trazem diferentes desafios – e, logicamente, quanto mais você joga, mais irá conhecer o percurso e poderá ir diminuindo seu tempo. Você vai percebendo também que em vários trechos existem atalhos, que podem te dar vantagem com relação aos outros competidores. Mas geralmente pegar um atalho envolve riscos e você pode se “embananar” todo e colocar tudo a perder. É aí que mora a graça do jogo.

Além dos 12 percursos do modo história, o jogo traz ainda nove provas extras, que você disputa contra o tempo, e que vão testar ainda mais cada uma das suas habilidades. A variedade de desafios torna este modo bastante divertido, mesmo sendo jogado solo.

Mas acredito que é no multiplayer que ‘Sprint Vector’ se sobressai. É possível passar horas se divertindo no modo offline do jogo? Sem dúvida. Mas disputar as provas contra amigos (ou amigos de circunstância que você encontra no lobby do game) é ainda melhor. Falando nisso, o título permite você criar seções privadas para juntar sua turma.

Para os brasileiros, fica uma observação sobre o idioma do jogo: ele é todo falado em inglês, sem opções de legendas ou textos em português. Mas isso não será um empecilho para qualquer pessoa aproveitar o jogo, já que os tutoriais são muito bem explicados – e como eu disse, tem um ator real que mostra os movimentos que você precisa fazer com os Moves.

VEREDITO

‘Sprint Vector’ tem tudo para se tornar efetivamente um e-sport em realidade virtual. Não só porque ele de fato tem um componente esportivo que vai fazer você suar ao final de cada prova, mas também porque possui todos os elementos, balanceamentos e polimento necessário para se tornar uma disputa justa e divertida. Diante de tantos pontos positivos, não tenho mais nada a fazer senão dar a nota máxima para o jogo. Nota: 10,0.

INFORMAÇÕES TÉCNICAS

Jogo: Sprint Vector
Estúdio: Survios (https://survios.com/sprintvector)
Gênero: Simulador de corrida
Data de lançamento: 13 de fevereiro de 2018
Plataformas: Playstation VR (usada neste review), HTC Vive e Oculus Rift
Preço: R$ 91,90 (PS Store Brasi)
Tamanho do download: 3,46 GB
Idioma: Inglês (áudio e textos – sem legendas)
Controles suportados: Um par de Playstation Move Controllers (sem suporte ao Dualshock 4)
Jogadores: 1 (offline) / 2-8 (online)

[Este review foi feito com jogo digital cedido pela Survios]

Assista ao trailer de lançamento de ‘Sprint Vector’

 

 

Beta fechada de ‘Sprint Vector’ começa nesta sexta-feira, 19

O estúdio Survios divulgou hoje que a beta fechada do game de corrida/parkour ‘Sprint Vector’ começa nesta sexta-feira, 19. No entanto, será voltada apenas para o PC (HTC Vive e Oculus Rift). Em texto divulgado em seu site oficial, o estúdio não dá informação alguma sobre a beta no Playstation VR (PSVR).

[Can’t you understand? Use the Google Translate button, on the right side (on PCs) or below the text (on smartphones and tablets)]

Entrei em contato com a empresa para obter detalhes sobre a beta no PSVR e me informaram que a beta será apenas para os headsets de realidade virtual dos PCs: “Infelizmente, a beta é apenas para PC (Vive e Oculus). Desculpe-nos pela confusão!” [Original text: “Unfortunately, the beta is only for PC (Vive and Oculus). Apologies for the confusion!”]

De antemão, já sabíamos que a realização de betas no PS4 é sempre mais complicada do que nos PCs (apenas grandes empresas conseguem fazer isso).

A beta fechada será realizada nos PCs de 19 a 28 de janeiro. Se você tem um Vive ou um Rift, ainda há tempo de se inscrever. Clique aqui para saber mais.

O game ainda não tem data exata de lançamento, mas está programado para o primeiro trimestre deste ano (Q1 2018). A realização da beta é um indício de que o lançamento está bem próximo.

[Post atualizado em 16/1/2017, às 19h37]

Survios seleciona músicos para fazer parte de game em realidade virtual

O estúdio Survios, criador dos games ‘Raw Data’ e ‘Sprint Vector’ (em desenvolvimento), revelou recentemente seu novo projeto: o jogo ‘Electronauts’, que será uma ferramenta de criação musical em realidade virtual. O estúdio está selecionando músicos, artistas, criadores de conteúdo, streamers, enfim, “todas as mentes criativas apaixonadas por música”, para fazer parte do projeto.

Siga o blog PSVR Brasil e receba nossas atualizações diárias

[Can not you understand? Use the Google Translate button, on the right side (on PCs) or below the text (on smartphones and tablets)]

De acordo com Nathan Burba, cofundador da Survios, ‘Electronauts’ “mergulha os usuários em uma experiência sonora surreal, onde eles podem remixar, compor, brincar e se unir a outros músicos usando instrumentos eletrônicos feitos especialmente para o jogo”.

O jogo será lançado em 2018 (ainda sem data definida), para Playstation VR (PSVR), Oculus Rift e HTC Vive. “‘Electronauts’ aproveita o poder da RV para colocar o usuário dentro da música e se sentir completamente no controle da música”, diz Burba. “Estamos incrivelmente entusiasmados por anunciar ‘Electronauts’ junto com uma colaboração muito legal com o duo Stargate ,que compartilha nossa visão de forçar os limites criativos da música usando a RV”.

Segundo informações disponíveis na página do jogo na Steam, ‘Electronauts’ poderá ser jogado em single player ou multiplayer online. “Nunca antes você pôde criar música e interagir com o som de uma maneira verdadeiramente imersiva. Isso abre um nível totalmente novo de liberdade criativa e irá inspirar artistas e músicos experientes, assim como pessoas sem treinamento musical. Qualquer um pode criar magia instantaneamente”, afirma Mikkel Eriksen, do duo Stargate. “O fato de você pode brincar com material dos artistas mais talentosos de hoje torna o projeto ainda mais atraente. Realmente acredito que ‘Electronauts’ é inovador”, completa.

Clique aqui para se inscrever na Creator Beta de ‘Electronauts’

Saiba mais sobre o projeto na página da Survios (texto em inglês)

[EXCLUSIVO] Survios não tem planos de trazer multiplayer do Raw Data para o PSVR

Hoje o blog traz uma notícia um tanto desanimadora para os fãs de Raw Data, o excelente shooter da Survios. Entramos em contato com a empresa para saber a respeito do suporte ao multiplayer do jogo no Playstation VR (PSVR) e a assessoria de imprensa do estúdio informou que, no momento, não há planos de trazer esta funcionalidade ao headset de realidade virtual da Sony.

[Can’t you understand? Use the Google Translate button, on the right side (on PCs) or below the text (on smartphones and tablets)]

Confira aqui o nosso review de Raw Data para o PSVR

Raw Data foi lançado para o PSVR em outubro deste ano e também há versões para Oculus Rift e HTC Vive. Nestas plataformas para PC, o jogo tem modos multiplayer online, tanto cooperativos quanto PVP (player vs player). E ambos são incríveis e conferem sobrevida ao jogo, que tem modo single player com 10 fases. Mas a versão para PSVR veio sem qualquer funcionalidade online.

“O multiplayer para PSVR é uma funcionalidade de alta prioridade que gostaríamos de trazer ao Raw Data”, garante o estúdio, em nota ao blog. “Dito isso, atualmente não temos esta funcionalidade programada para o desenvolvimento. No entanto, isso pode mudar à medida que o mercado VR crescer e virmos mais interesse em experiências PVP e multiplayer no PSVR”, completa a nota da empresa.

Particularmente, já vejo um interesse gigantesco dos jogadores por modos multiplayer semelhantes ao Raw Data, como ficou escancarado pelas reações ao recém-anunciado Firewall: Zero Hour e pela expansão PVP do Farpoint.

No entanto, os desenvolvedores da Survios parecem estar focados no próximo lançamento da empresa, o game de corrida/parkour Sprint Vector, previsto para o primeiro trimestre de 2018. A assessoria de imprensa do estúdio também comentou sobre a beta de Sprint Vector e disse que os testes devem começar em breve.

Já se inscreveu na beta de Sprint Vector? Saiba mais aqui

PREÇO PROMOCIONAL

Raw Data ainda não foi disponibilizado na PS Store do Brasil. Mas, na PSN americana, o jogo foi incluído na promoção de fim de ano que começou ontem. O desconto total é de 30%, se você tiver a PS Plus, saindo por US$ 28,00. Apesar da ausência do multiplayer, continua sendo uma ótima pedida.

Leia abaixo a nota oficial da Survios sobre o multiplayer (no original, em inglês):

“Multiplayer for PSVR is a high priority feature that we would love to bring to Raw Data. That said, we currently do not have this slated for development. Although, this may change as the VR market grows and we see more interest in PVP and multiplayer experiences on PSVR.”

[escolha do editor] Raw Data é muito mais do que um shooter

Lançado para o Playstation VR em outubro deste ano, Raw Data (Survios) é um dos melhores shooters que temos até hoje para o PSVR. E ponto final. Meu review poderia terminar aí, mas acho que tenho que dar mais detalhes sobre o jogo para parecer convincente, não é mesmo? Então vamos lá.

O que faz Raw Data ser tão especial? Bom, primeiro a locomoção livre pelo cenário. É verdade que em nove das dez fases você terá que permanecer no mesmo ponto, para proteger a torre de dados que está sendo hackeada. Mas o jogo te dá uma liberdade de movimento que poucos jogos ofereceram até agora. Em Raw Data você não fica parado feito um poste como em The Brookhaven Experiment, não fica preso a trilhos (literalmente) como em Rush of Blood nem tem que ficar pulando de torre em torre como em Ancient Amulator. E isso faz uma grande diferença.

Vamos aproveitar para falar dos controles do jogo: os PS Moves são obrigatórios e não há suporte à aim controller nem ao Dualshock 4. Você pode optar por usar somente o teleporte (que funciona muito muito bem, diga-se de passagem) ou a movimentação livre + teleporte.

A movimentação livre também funciona muito bem e é idêntica ao Skyrim VR (o mais correto seria dizer que foi o Skyrim que imitou Raw Data, já que o game da Survios veio primeiro). Ao segurar o move button (o botão grande que você aciona com o dedão) e direcionar o move esquerdo, você se move na direção que seu braço está apontando. Se quiser andar para trás, é só direcionar o move para trás, próximo à sua cabeça.

Seja qual for o tipo de movimentação que escolher, não tem como negar: os controles com os moves ficaram perfeitos (até onde isso é possível dada a ausência de direcionais). Teleportar evita o enjoo de movimento e tem suas vantagens, inclusive de gameplay. Aliás, é uma mecânica incluída na história do jogo. Se você usá-la demais, terá que aguardar um período de reboot.

Outro ponto forte do jogo é a sua história e o universo que a Survios desenvolveu em torno do game. Conforme você avança na história, você vai desbloqueando vídeos que te colocam dentro desse universo. E você pode assisti-los no seu “quartel-general”, em telas gigantescas. Tem uma animação à la X-Men e vários vídeos com atores reais, como se fossem peças de propaganda da Eden Corporation, a empresa por trás de um esquema que pretende substituir a humanidade por robôs, no longínquo futuro de 2271.

OS PERSONAGENS

A cereja do bolo eu guardei para o final: em Raw Data, você não fica restrito a um único tipo de jogabilidade. Você tem quatro personagens a escolher, cada um com armas e habilidades diferentes, que você vai destravando conforme vai jogando com cada um deles. Dessa maneira, é como se você tivesse quatro jogos em um.

E há algo fantástico por trás de cada um desses personagens. Eles são cópias descaradas de personagens/heróis já existentes na cultura pop, seja nos filmes, quadrinhos ou games. E isso, longe de ser um demérito do jogo, é muito bom. Quer ver?

Bishop usa duas pistolas e tem a habilidade de deixar o tempo mais lento para atirar freneticamente. Eu ouvi alguém falando “Neo” aí? Além disso, o visual do personagem lembra muito o protagonista do frenético Equilibrium, interpretado por um Christian Bale antes de Batman.

Já Boss é um gigante com uma escopeta na mão e braços mecânicos com o apelido singelo de “Demolition Man”. Seria uma mistura de Jax (Mortal Kombat) com Exterminador do Futuro?

As referências mais evidentes estão no arqueiro Elder (não, ele não é brasileiro. Elder significa “mais velho” em inglês). Pô, mas o arco dele tinha que ser verde mesmo? E atirar flechas verdes? E usar barba? Acho que já deu pra entender de quem estamos falando, né?

Por fim, a ninja cibernética Sayja aparece fazendo cosplay descarado de Warframe. Suas habilidades incluem o uso de espadas laser e telecinese. Se você lembrou de Star Wars, acertou, mizerávi! Coloque uma boa dose de Ninja Gaiden e Metal Gear Rising e está pronto!

CADÊ O MULTIPLAYER?

No PC, Raw Data tem modos multiplayer, tanto cooperativo quanto PVP (player vs. player). Mas a versão para PSVR veio sem essa funcionalidade. Não sabemos quando virá, nem se virá. É uma pena.

VEREDITO

Raw Data tem suas limitações e não está livre de críticas. Ficar preso a um cenário em um gameplay estilo modo horda pode parecer cansativo para alguns. Mas cada fase tem as suas peculiaridades e vão sendo acrescentadas mecânicas novas (e novos inimigos) que não deixam o jogo cair em monotonia. A variedade de estilos de jogo faz de Raw Data ser muito mais que um shooter. Mas é inegável que um multiplayer poderia dar uma sobrevida ao jogo. Sem ele, o jogo já é excelente. Com ele, seria obrigatório. Nota: 9,0.

INFORMAÇÕES TÉCNICAS
Jogo: Raw Data
Desenvolvedor: Survios
Gênero: Shooter
Data de lançamento: 10 de outubro de 2017
Preço: US$ 39,99 (na PS Store dos EUA)
Tamanho do download: 8,64 GB
Plataformas: PSVR (utilizada nesta análise), HTC Vive e Oculus Rift
Idioma: Inglês (áudio e interface – sem legendas)
Controles suportados: apenas PS Moves

Assista ao trailer de lançamento de Raw Data:

Survios lança trailer animado de Sprint Vector. Assista aqui!

O studio Survios, criadora de Raw Data, lançou hoje um trailer animado de seu próximo game, Sprint Vector, que tem lançamento previsto para o primeiro trimestre de 2018.
O jogo, aliás, está com inscrições abertas para sua beta.

Inscreva-se aqui na beta de Sprint Vector

Sprint Vector mistura elementos de corrida, parkour e jogo de plataforma, em primeira pessoa. Serão seis personagens para você escolher, mas a página oficial do game não deixa claro se eles terão habilidades especiais ou se a diferença será apenas na aparência.

O game terá suporte para Playstation VR (PSVR), Oculus Rift e HTC Vive, com multiplayer cross-plataform. Apesar da ação frenética, os desenvolvedores prometem que jogo não terá “desconforto físico algum”.

Assista ao trailer animado do jogo: 

Inscreva-se grátis na beta de Sprint Vector, game de parkour em RV

Dos mesmos criadores de Raw Data, será lançado no primeiro trimestre de 2018 o game Sprint Vector (Survios), que mistura elementos de corrida, parkour e jogo de plataforma. O game está com inscrições abertas para sua beta.

Inscreva-se aqui na beta de Sprint Vector

Além do PSVR, Sprint Vector será lançado também para Oculus Rift e HTC Vive e terá multiplayer cross-plataform. Apesar da ação frenética, os desenvolvedores prometem que jogo não terá “desconforto físico algum”.

Serão seis personagens para você escolher, mas a página oficial do game não deixa claro se eles terão habilidades especiais ou se a diferença será apenas na aparência.

Assista ao teaser do jogo: